Bolsonaro volta atrás e revoga artigo da MP que permite suspensão de contrato de trabalho

"Determinei a revogação do art.18 da MP 927 que permitia a suspensão do contrato de trabalho por até 4 meses sem salário", anunciou Bolsonaro

Foto: Reprodução redes

Jornal GGN – Jair Bolsonaro decidiu revogar o artigo da Medida Provisória 927, que permitia as empresas demitirem temporariamente os trabalhadores brasileiros por quatro meses, como uma das estratégias do mandatário para fazer frente aos impactos econômicos do novo coronavírus no Brasil.

Alvo de duras críticas, a Medida Provisória autorizava o empregador a suspender os contratos de trabalho [leia mais aqui]. Segundo Bolsonaro, o objetivo era evitar que as demissões. Nesse período, a empresa não precisaria pagar o salário, mantendo apenas benefícios, como o plano de saúde.

A MP publicada neste domingo não determinava se o trabalhador continuaria recebendo algum tipo de aporte estatal para sobreviver, apenas trazia esta carta branca aos empresários, que seriam blindados de qualquer ações judiciais trabalhistas.

Após a grande repercussão nas redes sociais, o mandatário voltou atrás e divulgou, em sua conta no Twitter, que revogará a MP. Sem maiores explicações, escreveu: “Determinei a revogação do art.18 da MP 927 que permitia a suspensão do contrato de trabalho por até 4 meses sem salário”.

Leia mais: Medidas econômicas por coronavírus levam a golpe de Estado, por Pedro Serrano

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Bolsonaro não quer indenizar profissionais da Saúde incapacitados ou mortos pela COVID

4 comentários

  1. O Inominável é mais cruel com os brasileiros do que Hitler foi com os alemães antinazistas. É um criminoso de uma perversidade sem igual. Sentir-se assim à vontade para praticar suas maldades é o sinal da falência das instituições ditas “republicanas” e a ausência total de qualquer oposição a este desgoverno de gangsteres milicianos.

  2. Assombração sabe pra quem aparece!
    Esta aberração não se sustentava e foi editada apenas pra que mais tarde, quando os capos cobrarem, se pudesse dizer: “ô eu tentei”

    Agora, para aqueles alienados da classe trabalhadora que aplaudem violações embutidas em mentiras como “menos direitos e mais empregos”, fiquem certos que alem do direito a saude e segurança, o que tinhamos de mais sagrado eram nossos direitos trabalhistas.
    A carteira de trabalho AZUL sempre foi nossa maior arma. Esta verde e amarela (sei lá se é isso) não passa de mais uma farsa, um trampolim para regulamentação do subemprego. Entendam isso e reajam, ou os tubarões farão festa.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome