Coronavírus: Países europeus mudam de discurso quanto à obrigatoriedade de máscaras

Nos últimos dias, no entanto, a máscara vem sendo considerada essencial para a proteção contra o coronavírus, e alguns países já a tornaram obrigatória.

Foto Alejandro Garcia - EPA

Jornal GGN – A maioria dos governantes europeus, até há algumas semanas, consideravam o uso de máscaras pela população como sendo desnecessária. Nos últimos dias, no entanto, a máscara vem sendo considerada essencial para a proteção contra o coronavírus, e alguns países já a tornaram obrigatória.

A mudança no enfrentamento alcançou o uso de máscaras. O governo francês estava usando o discurso da Organização Mundial de Saúde (OMS) de que o material deveria ser reservado às forças de saúde, mas depois que a própria OMS mudou o discurso, acabou revendo a necessidade de cobrir as vias respiratórias e a boca para impedir a disseminação do vírus.

Na Ásia, no entanto, já é parte do costume popular o uso de máscaras para se proteger de doenças contagiosas. Desde o início da epidemia, chineses, japoneses e sul-coreanos as utilizaram para frear a propagação do vírus.

Os asiáticos se surpreenderam com a resistência dos países ocidentais na utilização do artefato. Segundo eles, este é o grande erro dos países.

Novas pesquisas apontaram para a possibilidade de transmissão da doença através do ar expirado por doentes, e os governos acabaram por mudar de ideia, recomendando seu uso à população.

Especialista em saúde pública, KK Cheng, do Reino Unido, explica que a máscara não protege do contágio, na realidade ela reduz as fontes de transmissão. ‘Não é perfeito, diz ele, mas é melhor do que nada’.

A mesma coisa acontece na Alemnha, onde o instituto Robert Koch, responsável pela luta contra a pandemia, entende que mesmo sem provas científicas, seu uso parece plausível.

Leia também:  Vítima fatal do coronavírus, deputado Gil Vianna usou cloroquina

A Academia de Medicina francesa considerou o artefato importante o suficiente para se tornar obrigatório mesmo após o confinamento. Na Itália, na região da Lombardia, foi instituído no fim de semana a obrigatoriedade de cobrir as vias respiratórias à população.

No Leste Europeu a mesma coisa se observa. Na República Tcheca e Eslovênia o uso é obrigatório, e na Áustria é obrigatório em supermercados.

Com informações do RFI.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Em 31/3 falei aqui o óbvio sobre o uso de máscaras:

    Idiro Iida 31/03/2020 at 16:47
    O mundo deveria ignorar um pouco o Bolsonaro e se voltar à produção de máscaras de proteção. Penso que quando a maior parte do mundo puder e passar a usar máscaras de forma correta, a pandemia irá regredir até que se encontre uma vacina ou cura.

  2. A máscara é elemento poderoso na diminuição da propagação do novo coronavírus, principalmente os assintomáticos, Seu é muito eficiente para que uma pessoa portadora do novo coronavírus não transmita o vírus com facilidade para as pessoas ao seu redor, principalmente em locais públicos.

    Já para proteger o usuária, ela já não é tão eficiente, em função do erro no manuseio da máscara.

    Poucas pessoas em o cuidado de lavar as mãos, após tocar na máscara.

    Outra medida que poderia ajudar muito. seria a colocação de álcool na entrada de qualquer recito público, principalmente supermercados, e comércio em geral.

    Na atual circunstância, deveria proibir a circulação de pessoas sem o uso de máscaras.

    Máscaras feitas pelos próprios usuários, como temos vistos em vídeos pela internet, também são eficiente, principalmente, se uma folha de papel toalha for colocada entre duas tiras de algodão, de preferência gazes.

    Depois de utilizadas o papel toalha seria descartado, o pano seria lavado para ser reutilizado.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome