Blanco foi indicado por amigo pessoal de Pazuello

Ex-assessor chegou ao posto graças ao coronel Franco Duarte, que atuou na operação Acolhida e amigo do ex-ministro desde 2013

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Jornal GGN – O senador Randolfe Rodrigues (Rede), vice-presidente da CPI da Pandemia, ressaltou que o tenente-coronel Marcelo Blanco, ex-assessor do departamento de logística do Ministério da Saúde, teve influência direta nas negociações em torno da compra de vacinas contra a covid-19.

“O senhor chega no Ministério da Saúde com uma função de peso, inclusive com a capacidade de suceder o senhor Roberto Ferreira Dias”, disse Randolfe após listar o currículo de Blanco e apontar a inexistência de experiência na área de saúde. Segundo Blanco, ele foi lotado na área de logística do Ministério.

“Dentre as competências do departamento de logística, digamos assim, a arma, a especialização minha dentro do Exército é voltada para a área de logística, orçamento, finanças (…)”, disse Blanco, afirmando ter sido indicado ao cargo por um companheiro de turma, o coronel Franco Duarte.

“O coronel Franco Duarte atuou com o general Pazuello na operação Acolhida. Me parece que a operação Acolhida foi toda para o Ministério da Saúde” disse Randolfe, uma vez que o coronel Elcio Franco, o coronel Franco Duarte e o empresário Carlos Wizard atuaram lá. “Mas tem um antecedente ainda do coronel Franco Duarte: ele é amigo pessoal do general Pazuello desde 2013, trabalhou junto com o general Pazuello no Palácio Duque de Caxias, lá no Rio de Janeiro”.

Diante desse contexto, o vice-presidente da CPI ressaltou que Blanco teve papel importante nas negociações para a compra de vacinas da AstraZeneca, uma vez que ele era um dos nomes apontados para suceder o nome do ex-diretor Roberto Dias “somente em afastamentos oficiais dele”, segundo Blanco.

A partir daí, o vice-presidente da CPI procura listar os passos em torno da relação mantida por Blanco e Dominguetti. “O senhor não acha impróprio essa relação com o Dominguetti, e logo em seguida se utilizar da sua relação com Roberto Ferreira Dias para realização de um encontro, um chope de final de tarde, para tratar de vacinas?”

“Obviamente, se for olhar por esse prisma, da forma como o senhor relatou, talvez alguém há de achar que é impróprio”, disse Blanco, que negou intermediação em questões de vacinas e disse que Dominguetti lhe pediu como ter uma agenda na semana em que ele estava em Brasília.

“O senhor mesmo disse que, quando Dominguetti lhe procurou, o senhor apontou os canais oficiais (…) O senhor há de convir que um chopinho de final de tarde entre alguém que estava querendo vender vacina, junto com o diretor do departamento de logística, não é propriamente um canal oficial”, disse Randolfe.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome