Reverendo Amilton confirma três reuniões no Ministério da Saúde

Reuniões foram feitas para apresentar proposta da Davati; coronéis Helcio Bruno, Marcelo Pires e Elcio Franco estiveram em um dos encontros

Reverendo Amilton Gomes de Paula, em depoimento à CPI da Pandemia. Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Jornal GGN – O reverendo Amilton Gomes de Paula, presidente da SENAH (Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários), confirmou que esteve em três ocasiões diferentes no Ministério da Saúde para tratar de assuntos relacionados à negociação para a comercialização de vacinas contra a covid-19.

Em depoimento à CPI da Pandemia, no Senado Federal, o reverendo disse que sua primeira ida ao Ministério ocorreu no dia 22 de fevereiro, na Secretaria de Vigilância em Saúde, quando foi recebido pelo doutor Lauricio Monteiro (ex-diretor do Departamento de Imunização do Ministério da Saúde), uma vez que Arnaldo Correia (Arnaldo Correia de Medeiros, secretário de vigilância do Ministério da Saúde) “não pôde nos receber”.

Vale lembrar que, neste caso, a reunião foi solicitada às 14 horas e o reverendo foi atendido às 16 horas, em velocidade que não foi vista em outros casos, como pela Pfizer, pelo Instituto Butantan e nem pelo consórcio Covax Facility.

“Nós enviamos o e-mail no dia 24 para conduzir o Dominguetti, e apresentar toda a documentação que fomos orientados para levar”, disse o reverendo. “Essa documentação era uma documentação direta, o governo não comprava de terceiros, o governo comprava direto do laboratório. E o Dominguetti e o Cristiano (Carvalho, representante da Davati Medical Supply) diziam ter essa documentação junto à Davati”.

No dia 1º de março, Dominguetti notificou o reverendo de que estava deixando a empresa Latin Air para representar a Davati Medical Supply, alegando que ela “teria mais condições de atender às demandas”.

Em 02 de março, Amilton levou para o Ministério a proposta apresentada por Luiz Paulo Dominguetti, quando foram recebidos por dois assessores – segundo o reverendo, Dominguetti não esteve neste encontro “alegando uma pane no seu carro”. Além do reverendo Amilton, estiveram presentes Dominguetti, Cristiano Carvalho, e o presidente do Instituto Força Brasil, o coronel da reserva Helcio Bruno.

A terceira reunião foi realizada em 12 de março onde, além do reverendo Amilton, estiveram presentes Dominguetti; Cristiano Carvalho; o coronel da reserva Helcio Bruno, presidente do Instituto Força Brasil; o coronel Pires (coronel Marcelo Pires, ex-diretor do Ministério da Saúde); e o coronel Elcio Franco, então secretário-executivo do Ministério da Saúde. Ao todo, cerca de 10 pessoas estavam presentes.

“Nós apresentamos uma proposta, que foi a proposta dos 400 milhões de doses. Estava na reunião o coronel Elcio Franco, ele apresenta essa demanda, nós apresentamos essa demanda, mas de uma certa forma foi muito rápida essa reunião. Ele me perguntou se tinha o documento da AstraZeneca”, disse o reverendo, confirmando que esse encontro foi intermediado pelo coronel Helcio Bruno, que já tinha agenda marcada e a compartilhou com o presidente da SENAH.

Questionado pelo relator, senador Renan Calheiros (MDB), sobre qual agente público lhe deu aval para procurar e apresentar vendedores de vacinas ao Ministério da Saúde, o reverendo disse não ter recebido nenhum aval de nenhuma autoridade e de agente público.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome