A história do novo campeão das delações premiadas

O novo advogado campeão da Lava Jato chama-se Marlus Arns.

O que leva um advogado de Curitiba a ser procurado por clientes de causas milionárias, em um terreno tão inovador quanto o da delação premiada? Certamente não foi por sua experiência pregressa com o instituto da delação premiada.

Segundo reportagem de Bela Megale e Estelita Hass Carazzai, da Folha (http://migre.me/r7dAK),

“Até a Lava Jato, Arns fazia parte do coro de críticos da delação. Professor da Academia Brasileira de Direito Constitucional, ele sempre falou contra o instituto, e diz que provavelmente continuaria fazendo isso se não tivesse entrado na operação.

“Depois que firmei os acordos, não dei mais aulas. Quando voltar, vou mostrar que é um caminho da defesa, mas que precisa ser debatido, estudado e aprimorado.””

Se não era sequer a favor da delação premiada, o que os réus de Sérgio Moro foram encontrar no advogado, a ponto de fazê-lo mudar de opinião sobre o tema?

Lendo a reportagem da Folha, o nome me soou familiar e fui procurar nos arquivos do post. Ele é mencionado no post “Como a educação inclusiva enfrentou o preconceito e as APAEs” , de 13 de novembro de 2013.

O post denunciava a atuação de Flávio Arns, ex-senador e então Secretário de Educação de Beto Richa, no lobby em favor das APAEs e contra a educação inclusiva.

Arns chegou a disponibilizar para as APAEs do estado R$ 450 milhões, apenas para que pudessem competir com a rede pública, que há anos vinha sendo preparada pelo MEC (Ministério da Educação) para prover serviços de educação inclusiva.

Leia também:  CNMP abre processo contra Diogo Castor, ex-Lava Jato, por ataque ao STF

No post, era mencionada a dobradinha entre as APAEs e Marlus Arns:

“Arns de Oliveira & Andreazza Advogados, de seu sobrinho Marlus Arns, conquistou toda a advocacia trabalhista da Copel, a companhia de energia do estado (http://glurl.co/cLh). Um megacontrato sem licitação. No início deste ano, o mesmo escritório foi contratado para atender à Sanepar, a Companhia de Saneamento do estado, por R$ 960 mil (http://glurl.co/cLm), duplicando a atuação do seu Departamento Jurídico. Também sem licitação.

Uma pesquisa rápida nos tribunais mostra que esse mesmo escritório atende, no mínimo, vinte APAEs do estado, prestando serviços jurídicos de toda espécie (clique aqui), entre elas para as APAEs de Califórnia, Cambira, Curitiba, Dois Vizinhos, Eneas Marques, Figueira, Icaraíma, Mandirituba, Nova América da Coluna, Nova Esperança, Nova Olímpia, Paranaguá, São João do Ivaí, São Sebastião do Amoreira, Telêmaco Borba”.

Esposa de Sérgio Moro, Rosângela Wolff de Quadros Moro foi assessora de Flávio Arns e trabalha como Procuradora Jurídica da Federação Nacional das APAEs, dominada pelo deputado tucano mineiro Marcus Pestana, um dos mais agressivos defensores do impeachment de Dilma (http://migre.me/r7doy).

Em princípio, não significa nenhuma indicação ilícita. Vale apenas pela curiosidade da coincidência. Afinal, a esposa de Marlus é juiza federal.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  'Desde quando o Brasil precisou da Argentina para crescer?', diz Paulo Guedes

58 comentários

  1. Uma coisa que não estou

    Uma coisa que não estou entendendo, esses advogados que trabalham pela delação, estão a serviço de quem? Quem paga é o investigado, mas parece que serve a dois senhores, ou não?

  2. penso 2 advogados…

    um que representa o direito de permanecer calado

    e um outro que representa o acordo de delação

    não deixem de reparar que os dois trabalharão pela falência do Estado, do sistema de investigação usado em toda operação

    e nem é preciso que ocorra o vazamento da delação

    tudo que for aceito disso aí será contrário aos princípios constitucionais, com o silêncio sendo violado nas duas representações, deixando de ser seguro, garantido legalmente e igual para todos

     

  3. além do claro entendimento entre este advogado, Arns,

    os procuradores e Moro, da Lava Jato, de repente deram sossego à adv. Catta Preta, que estava na linha de fogo

    de toda a turma do Eduardo Cunha.

    Que cruzamento é este, Nassif?

    romério

  4. apenas dúvidas……………..e que dúvidas

    dúvidas que já me levaram a crer que todos estão a serviço da grande corrupção

    ou da política que, da forma que se me apresenta nesta operação, exige que todos sejam corruptos

    questão de família, obrigação de todos, para o bem de todos

  5. Como tudo o que Nassif
    Como tudo o que Nassif escreve, o texto é excelente e embasado em investigações jornalísticas.
    Vale aprofundar-se nas investigações, pois parece estar evidente que as Apaes do Paraná estão sendo usadas para lavagem de dinheiro, “caixa dois” e propina, mas eles não são petistas…
    Moro e esposa também têm de se explicarem, todavia, igualmente, não são petistas…

    • Organograma

      Assim como os Procuradores fazem para explicar o envolvimento entre as empresas, denunciados e propinas, seria bom fazer também algo parecido para identificar os relacionamentos entre os investigadores e defensores na Lava Jato. 

      Seria algo como um “Personagrama” para identificar o parentesco, currículo e campo de atuação dos interessados “em fundar uma nova república”.

  6. Povo golpista no Parana

    Essa “raca” é o que mais tem no Parana, sou de lá posso confirmar. Dinheiristas, preguicosos e mamadores enraizados nas instituicoes publicas e logicamente no governo fascista e golpista do Beto Hitler, PSDB.

    E como nao podia faltar, aquele tipico falso moralismo tipico dessa laia: resumindo eu posso e vc nao (sem justificativas). Essa é a real tradicao n1 do estado, e olha la que pra reproduzir essa tradicao nao precisou nem de CTG em cada vilarejo do estado.

  7. Uma operação recheada de

    Uma operação recheada de “coincidências”.

    É desta forma que a tragédia chamada “Operação Lava Jato” será conhecida no futuro.

  8. Máfia demotucana domina PF e outros órgãos públicos
    Como costumam dizer por aí, volto a repetir: “Tá dominado, tá tudo dominado!” Operação Lava-Jato está dominada pela máfia demotucana. Onde estão Ministério Público, OAB, STF ou algum outro órgão competente para coibir tamanha armação? Esse advogado já chega instruído por tucanos de péssima índole.

  9. Coincidências

    quem acredita em tantas coincidências ainda não saiu da idade das trevas revogada por Gauss aquele da curva em forma de sino.

  10. Esta estranha série de

    Esta estranha série de “coincidências” vai custar caro às instituições brasileiras. A “justiça” está totalmente descreditada perante os observadores minimamente atentos.

  11. Estranho, o que alegam para a

    Estranho, o que alegam para a Dilma não vale para mais ninguem, a Dilma é proibida de comer um pedacinho da coxa mas neguinho pode devorar o frango inteiro, tragicomico.

  12. Deve ter sido convencido por “juristas” de multinacionais.

    Mulher de Moro obtém ganhos conflitantes?

    CARTA ABERTA AO JUIZ SÉRGIO MORO

    Exmo sr juiz federal Sérgio Moro, no dia 22 de junho do corrente ano nós do blog Megacidadania lhe enviamos um e-mail, mas não obtivemos resposta (clique aqui). Por este motivo publicamos uma carta aberta.

    Diversas fontes dão conta de que sua esposa, a sra Rosângela Wolff de Quadros Moro, trabalha no escritório Zucolotto Advogados e que este escritório teria entre seus clientes empresas do ramo petrolífero, como são os casos da INGRAX com sede no Rio de Janeiro, Helix da Shell Oil Company, subsidiária nos Estados Unidos da Royal Dutch Shell, uma multinacional petrolífera de origem anglo-holandesa, que está entre as maiores empresas petrolíferas do mundo. A Shell é concorrente direta da Petrobras.

    Por óbvio a sra sua esposa trabalha para auferir ganhos.

    Em tempos de ilações, suposições e suspeições, seria medida de transparência cívica, acredito que inclusive de seu máximo interesse, se fossem publicadas a evolução do rendimento/ganho de sua esposa decorrentes de eventuais aplicações em ações de empresas do ramo petrolífero, bem como das relações comerciais com as empresas acima relacionadas, tendo como início um ano antes da instalação da operação lava jato.

    Além das empresas do Ramo de Petróleo, o escritório onde sua esposa trabalha presta serviços para a Paranaense Perkons, empresa investigada pelo MPF por comandar a Máfia dos Radares no Sul do país, e nos estados de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal. Seria importante também uma declaração sua sobre este inusitado fato.

    Temos certeza, s.m.j., de estar atuando na defesa da transparência devida por todos, principalmente os que atuam no âmbito do serviço público, o que alcança os parentes diretos, como é o caso da sra sua esposa.

    Atenciosamente
    Alexandre Cesar Costa Teixeira
    Blog Megacidadania
    RJ 16/07/2015

    FONTES:
    CARTA MAIOR – Esposa de Juiz da lava Jato é assessora jurídica de Vice de Beto Richa (PSDB)
    Jornal i9 – Mulher de Juiz da Operação Lava Jato defende a maior concorrente da Petrobras
    Tijolaço – Moro e a república ultra-tucana do Paraná
    PORTAL GGN – A delação premiada e as relações entre PSDB e o juiz Sérgio Moro
    Diário da Manhã – Delegado da PF denuncia adulteração de provas

  13. Moro ameaça a segurança nacional

    Vejam a reportagem abaixo, onde Moro questiona o Alm Othon e sua filha, e fala de contas offshore. Este tipo de investigação, sobre uma pessoa que GERENCIOU o PROGRAMA NUCLEAR  brasileiro é tudo que as potências estrageiras desejam. rastrear estas contas, vinculando-as ao Alm pode dar aos americanos e outros, os caminhos que o Brasil utilizou para obter certas tecnologias sensíveis e que devem ficar devidamente  “escondidas”. Só pelo montante que Moro acusa o Alm, face aos valores dos contratos da ELETRONUCLEAR, é rídicula a acusação de propina. Que interesses estão por trás disto????? Mesmo que fossem com boas intenções, asinvestigações de Moro e seus procuradores (vejam que até a PF recuou no assunto e não pediu a prorrogação da prisão, mantida pelo MP, com seus procuradores ungidos pela missão divina ). O Ministério da Defesa, as FAAs e a Marinha devem dar uma basta a esta ameaça que a Vaza-Jato representa neste caso (já se indentifica em largos segmentos das FAAs, descontentamentos com a oposição – notadamente PSDB – e seu entreguismo deslavado, reconhecendo que o PT tem feito muito mais pelo reaparelhamento delas e dado apoio em importantes programas para a segurança nacional e que estão sendo torpedeados pela oposição irresponsável e pelo MP e Juiz Midiático.

    MORO VÊ FRAUDE EM ‘TRADUÇÕES’ DE EMPRESA DO ALMIRANTE

     

    “Foram apresentados documentos aparentemente fraudulentos a este Juízo para comprovar a prestação de serviço pela Aratec a suas contratantes, inclusive com reprodução de material simplesmente copiado da rede mundial de computadores ”, afirma o juiz da Lava Jato sobre relatório de atividades da Aratec Engenharia, controlada pelo ex-presidente da Eletronuclear, almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, preso na Lava Jato

     

    10 DE AGOSTO DE 2015 ÀS 06:18

     

     

    247 – O juiz federal Sérgio Moro apontou indícios de plágio em dois documentos apresentados pela defesa de Ana Cristina Toniolo, filha do ex-presidente da Eletronuclear, almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, preso na Lava Jato.

    “Apesar da oportunidade concedida para eventual comprovação de causa lícita para os pagamentos a Aratec, foram apresentados documentos aparentemente fraudulentos a este Juízo para comprovar a prestação de serviço pela Aratec a suas contratantes, inclusive com reprodução de material simplesmente copiado da rede mundial de computadores e com afirmação falsa de que teriam sido produzidos pela Aratec”, apontou o magistrado.

    O almirante foi acusado de receber R$ 4,5 milhões em propina ligada à construção da usina Angra3. O dinheiro teria passado por contas de empresas de fachada antes de chegar ao caixa da Aratec. “Os documentos apresentados pela defesa de Ana e Othon, no prazo fixado pelo Juízo, não comprovam a efetiva prestação de serviços pela Aratec a CG Consultoria, ao contrário, aparentam ser fraudulentos, em tentativa de ludibriar este Juízo”, afirmou Moro.

    Leia aqui reportagem de Fausto Macedo sobre o assunto.

     

    • É óbvio que as Forças Armadas

      É óbvio que as Forças Armadas vão ficar conscientes do que está acontecendo através esta república autônoma de Curitiba-Maringá-Londrina, com jurisdição estendida a todo o Brasil. Conscientes também do perigo de certas ligações externas. E também vão entender que no caso de qualquer grande tucano que venha a chegar ao poder com a deposição de Dilma, elas perderão logo de saída não apenas a Amazônia Azul, mas também os caças Gripen e todo o projeto dos submarinos.

  14. E tem alguns desavisados (ou mal intencionados?)

    Que acreditam que o país esteja sendo passado a limpo. Estão passando um pano esfarrapdo, fedorento e podre, isso sim. E tem uns que ainda vêm aqui desfilar suas hipocrisias.

  15. “Marlus Arns…Flávio

    “Marlus Arns…Flávio Arns…Beto Richa…Arns de Oliveira & Andreazza… Sanepar… Eneas Marques… Figueira… Telêmaco Borba..Rosângela Wolff de Quadros Moro…Marcus Pestana…esposa de Marlus .”

    Parece aquele intrincamento do célebre poema de Drummond. Só falta o personagem que não ama ninguém, porque o ideal, parece, ama algum dos personagens.

  16. O bom advogado

    Uns conhecem bem a lei e o funcionamento do judicário, mas os que conhecem o juiz…   

  17. É uma panelinha …

    Pra não chamar de gang. O estranho é a completa aceitação e docilidade dos acusados. Por que permitem que o juiz indique até seus advogados de defesa? A outra criatura que fugiu pra Miami ganhou milhões. Agora vem esse outro também tirar sua casquinha. É coisa de mafioso mesmo. A mafia do Judiciário na Republica do Paraná. E a OAB, o que acha de todas essas estranhas coincidencias???

    • Não tem nada de docilidade. É

      Não tem nada de docilidade. É desespero puro, desespero da família do encarcerado. Pois quem contrata o novo especialista em delação não é o preso, mas sim sua família, apavorada com o sofrimento mediavalesco que seu filho está sofrendo na masmorra do Moro, e com a possibilidade de que depois venha a apodrecer na Ilha do Diabo.

      • Comentários fora do contexto.

        Interessante como alguns leitores perguntam coisas para o Nassif ou se dirigem a ele como se estivessem dialogando com o mesmo quando na verdade, como todos os leitores assíduos como eu constatam todos os dias, ele não vai se manifestar.

        Interessante também como outros leitores respondem a essas mesmas perguntas dizendo o que eles pensam que o Nassif quis dizer ou o que ele já disse no passado ou o que o Nassif pensa sobre o assunto.

        Só isso. Nada contra. Talvez este comportamento seja normalíssimo na internet e tal, mas é engraçado como isso transforma o sujeito num ser mitológico.

  18. duas bandejas

    os oligopólios e os plutocratas brasileiro já se unificaram: a FIESP e a FIRJAN se manifestam. o presidente do Bradesco dá entrevista, os incendiários caciques do PSDB se convertem em bombeiros, João Roberto Marinho se encontra com senadores do PT, Dilma ressurge no Jornal Nacional, editorais do Globo e da Folha de São Paulo não deixam dúvida: a decisão está tomada.

    duas bandejas serão oferecidas a Sérgio Moro. na primeira está a cabeça de Eduardo Cunha. após a prisão dos executivos das empreiteiras e do militar do programa nuclear, a Lava Jato ganha como prêmio um conveniente troféu político.

    conveniente porque o Presidente da Câmara já cumpriu seu papel. o governo Dilma já se debilitou o suficiente. agora Eduardo Cunha precisa ser descartado. pois tornou-se um fator de instabilidade.

    mas é a Lava Jato a causa fundamental da crise política. sua validade como instrumento no jogo político entre os setores dominantes, no qual se inclui o lulismo, também está vencida.

    por isto a segunda bandeja está vazia. nela deve ser colocada a cabeça da Lava Jato. assim se restaura a pax social pactuada entre as elites.

    estas mesmas duas bandejas também foram anteriormente oferecidas à Dilma.

    numa estavam o “ajuste fiscal”,  o pré-sal, a continuidade da política econômica neoliberal e o Brasil cativo no modelo liberal periférico. portanto, nesta primeira bandeja jaziam as cabeças de todos os que, pela legitimidade de seus votos, conduziram Dilma a seu segundo mandato.

    ao contemplar a segunda badeja vazia, Dilma decidiu que assim ela deveria se manter, mesmo sob o peso de trair a todos os que a apoiaram, lançando-os à brutalidade dos reacionários e fascistas, ao escárnio, aos xingamentos e ofensas.

    em breve será conhecida a escolha de Moro e da força tarefa da Lava Jato. seja qual for, em nada diminui a escolha que cada um de nós tem a sua frente. porque também a cada um de nós estão sendo oferecidas duas bandejas.

    numa das bandejas está não apenas a manutenção mas, principalmente, o aprofundamento da Democracia. para isto é necessário que a Lava Jato exponha as entranhas de um capitalismo oligopolizado no qual a corrupção sistêmica é condição intrínseca de seu funcionamento baseado na  exclusão social.

    nesta primeira bandeja também estão as cabeças não apenas dos eleitores de Dilma, de Lula e do PT, mas de todos aqueles que se empenham para construir uma nação para o povo brasileiro.

    mais uma vez a segunda bandeja está vazia. nela há espaço suficiente para entregarmos nossa consciência, nossa honra, nossos sonhos.

    afinal, nada disto nos fará falta para a continuidade da defesa do “nosso governo”  e da “paz social” das elites. assim poderemos nos perder definitivamente na miserabilidade daquilo que denominamos de “nossas vidas”.

    porém, sempre é preciso dar um passo à frente. e ainda existem outras duas bandejas. frente a elas não há escolhas. as duas estão nos sendo entregues.

    na primeira está o impasse da crise econômica global. e na segunda a crise climática.

    1. a crise de 1929 só foi superada pela destruição criativa provocada pela II Guerra. só que agora não existe nenhuma possibilidade de destruição das forças produtivas através de conflitos bélicos globais. inevitavelmente, desembocaria na utilização de armas de destruição em massa. a porta de saída tradicional do capitalismo para as crises se fechou;

    2. a lógica do capital pressupõe sua acumulação infinita. o capitalismo não aceita limites. os recursos naturais são não renováveis. além disto, já chegamos a uma situação de crise climática, fazendo com que pela primeira vez o capitalismo enfrente um cenário de combinada crise econômica e sócio-ambiental. a crise hídrica no Brasil, a maior reserva de água do mundo, já é fato e vai se acentuar.

    são estas duas bandejas que não nos deixam escolha: barbárie e extinção. enormes asas negras se estendem sobre o caos. sob peso de suas asfixiantes sombras, a necrose se propaga em direção a todos nós. os zumbis estão por toda parte.

    precisamos de um outro jeito de se viver.

    .

  19. Esqueletos dos inimputáveis tucanos mineiros..

    Lava Jato: Copa e obras em MG ficaram pelo caminho

    por Henrique Beirangê — publicado 06/08/2015 04p8Documentos e planilhas de dois casos pouco explorados até agora indicam uma investigação ainda mais longa    Nélio Rodrigues/ Estadão Conteúdo

    O ex-secretário Paulo Paiva e seu subordinado Fernando Janotti “fiscalizam” a obra em Belo Horizonte. O preço final subiu quase 400%

      

    Após um ano e quatro meses, a Operação Lava Jato acumula números expressivos. As 16 primeiras fases levaram à abertura de 160 inquéritos, à investigação de 500 suspeitos, 96 mandados de prisão, 53 pedidos de cooperação internacional, 28 denúncias e 30 condenações, sem contar os 42 políticos cujo destino depende doSupremo Tribunal Federal (STF). Segundo os investigadores, os prejuízos à Petrobras somam 19 bilhões de reais. Na última terça-feira 28, o caso avançou sobre o Programa Nuclear Brasileiro, com a prisão do almirante Othon Pinheiro, ex-presidente da Eletronuclear. Na segunda-feira 3, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, condenado no “mensalão”, foi preso

    Em uma investigação tão complexa e com tantas ramificações, é natural que algumas pontas fiquem soltas pelo caminho. Como define nos bastidores o ministro do STF Teori Zavascki, na Lava Jato, quando se puxa uma pena, vem uma galinha. E a sensação é de que o galinheiro ainda está longe de ser devidamente preenchido.CartaCapital selecionou dois casos que ainda podem resultar em apurações futuras, dado o emaranhado de nomes, planilhas e menções a contratos. São eles:

      

    Obras em Minas Gerais

     Um arquivo encontrado durante a busca e apreensão na casa de Dalton Avancini, ex-presidente da Camargo Corrêa, detalha o relacionamento da construtora com os responsáveis por obras em Minas Gerais nos tempos dos governos de Aécio Neves e Antonio Anastasia, hoje senadores. Avancini já foi condenado a 15 anos de prisão por envolvimento no escândalo da Petrobras, mas acabou beneficiado pelo acordo de delação premiada.

    Se a sentença for mantida por instâncias superiores, o executivo cumprirá dois anos em regime semiaberto. Para prosperar, a investigação em Minas precisa despertar o interesse do Ministério Público do estado. Procuradores estaduais têm liberdade de solicitar à força-tarefa instalada em Curitiba a documentação referente aos contratos. 

    No computador de Avancini havia uma pasta de arquivos com um sugestivo título: “Item arrecadação”. No relatório de análise de mídia 335/2015, surge uma série de nomes de funcionários do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais e do ex-secretário estadual de Transportes Paulo Paiva. Os arquivos, dizem os investigadores, referem-se à obra da Linha Verde na capital Belo Horizonte.  

    A Linha Verde, lançada em maio de 2005, é um conjunto de obras viárias que incluiu intervenções nas avenidas Andradas e Cristiano Machado, além da Rodovia MG-010. Uma via de trânsito rápido, com 35,4 quilômetros de extensão, para ligar o centro da capital mineira ao aeroporto de Confins. A planilha de Avancini indica que as estimativas de gastos eram bem mais modestas no início das obras. Um arquivo em formato de apresentação inclui a previsão de 99,9 milhões de reais. Em 2006, o valor saltou para 139,6 milhões. 

    O executivo, avalia a força-tarefa, esforçava-se para aumentar os gastos na obra. Ele descreve em uma das mensagens: “Relacionamento vem transcorrendo de forma adequada. Existem ações a serem tomadas para garantir andamento da obra e revisão de valores contratuais”.

    Realmente, os custos foram revistos. Os investimentos na Linha Verde totalizaram 483 milhões de reais, alta de 382%. Aécio Neves, então governador, assinou o contrato. O nome de Paiva, seu secretário de Transporte, aparece logo antes do de um subordinado, Fernando Janotti, secretário-adjunto. Os dois acompanhavam de perto o andamento do projeto, como revelam fotos do período.

     Na sequência dos dois nomes desfia-se a indicação de uma lista de funcionários do DER e uma tabela de valores que totaliza 34 milhões de reais. Por que os nomes aparecem na planilha de Avancini? A que se referem os valores? Qual o motivo de insistir na revisão dos valores da obra? São perguntas ainda em aberto. Vários desses funcionários continuam a ocupar cargos no órgão estadual ou arrumaram emprego na prefeitura de Belo Horizonte.

    Copa do Mundo

    Outro mistério a ser elucidado vem da rede de relações do doleiro Alberto Youssef. Em uma das mensagens interceptadas pela Polícia Federal, uma das filhas do doleiro garante que o pai arrumaria emprego para uma delas na Organização das Nações Unidas. “O pai disse que vai arrumar um estágio na ONU para a Su.”  

    Diz o relatório da Polícia Federal: “Chama muito a atenção uma anotação em que, possivelmente, Taminy (filha do doleiro) escreve que Alberto Youssef vai ‘arrumar’ um emprego na ONU para sua outra filha Surraily. Tal indicação demonstra a influência do alvo”.  Não há informações sobre o suposto contato do contraventor nas Nações Unidas. 

     

    Fornecedora da Petrobras obteve contratos na Copa de 2014, com apoio de Paulo Roberto da Costa. Créditos: J.P Engelbrecht/PCRJ

    A força-tarefa também não se debruçou sobre os contatos de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, no mundo do futebol. Documentos apreendidos em sua casa expõem seu envolvimento em negócios esportivos. Um dos documentos é uma procuração em nome de Alberto Antonioli, italiano dono de uma empresa chamada Value Partners. A companhia participou do Consórcio Copa 2014, responsável pelo “suporte de gerenciamento” ao Ministério do Esporte no Mundial no Brasil. O contrato somava 15 milhões de reais. 

    O Tribunal de Contas da União (TCU) chegou a auditar os contratos e encontrou irregularidades nos pagamentos feitos ao consórcio integrado pela Value Partners. O Ministério do Esporte desembolsou 48 milhões de reais por quatro anos de consultoria. Custo 270% superior ao preço inicial previsto, de 13 milhões. Nas auditorias do TCU, foi identificado o pagamento a funcionários cuja prestação de serviços não restou comprovada.

     A Value Partners não atuava apenas no meio esportivo. Segundo documentos apreendidos na casa de Costa, a empresa detinha um “contrato de consultoria” para serviços na Petrobras na área “de eficiência energética”. 

    O envolvimento de Costa em contratos do Ministério do Esporte é mais um mistério da Lava Jato, uma operação com começo certo, mas sem fim à vista. 

     

  20. Só um “detalhe”.
     
    Dos

    Só um “detalhe”.

     

    Dos denunciados ou investigados, não há nenhum bobo, no sentido de não possuir conhecimento de seus direitos.

    Todos ali têm conhecimento – e dinheiro – suficiente para constituir o advogado que bem entender.

    O texto tenta ver ilicitude onde não há. E não basta a última frase, pois de ilações, TODOS os veículos de comunicação estão cheios.

    • Quais sao as “ilacoes” do

      Quais sao as “ilacoes” do texto e porque eh que somente a sentenca que diz que elas nao existem “nao vale” pra  voce???????????????????

      Tomou remedio demais?

    • Entretanto, pelo que sei ,  

      Entretanto, pelo que sei ,   todo os petistas sempre foram defendidos por advogados que prestaram voluntariamente tais serviços, como tem sido com  o Piza até na Itália

  21. Censurado na Internet “PSDB ficou manco. Romário prova que…”

    Estranho. A Internet já está censurada? Se você buscar no Google “PSDB manco”, achará a notícia que foi publicada ontem com o título “PSDB ficou manco. Romário prova que revista Veja mente”. Ao clicar no link, verá que a notícia foi censurada. O que havia neste link? Vários vídeos, como os que posto logo abaixo:

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=y3yjS4e0Lk8%5D

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=D_4t47AWvd0%5D

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=TZWdSpesNe8%5D

    Além destes vídeos, havia a seguinte imagem:

    O que concluo disso tudo: estão querendo esconder a verdade do povo brasileiro.

  22. otima materia

    Deveria estar estampada num Jornal,pendurado em bancas de jornais

    O povao que trabalha teria muito mais acesso.

    Nao achas!

    • transitou pelo  PT, PSOL e

      transitou pelo  PT, PSOL e terminou no PSDB, sendo vice governador eleito em 2010. Alias, no PSDB foi onde começou carreira politica e foi eleito deputado 3 vezes.

       

      um pouco de contexto faria bem nessa sua tentativa de jogar qq possivel falta  no colo do PT.

      • Meu caro, o PT já não precisa

        Meu caro, o PT já não precisa de ajuda para colocar alguma coisa no colo. Ele coloca sozinho. Aliás, não somente no colo.

        Esta transição entre os partidos do referido ex-senador mostra apenas que os partidos aceitam qualquer coisa e que o PT especificamente tornou-se igualou-se há algum tempo. Não fossem a justiça parcial e a mídia um partido político, todos os partidos estariam com sérios problemas na Lava a Jato. Não custa lembrar que a CPI das Empreiteiras foi enterrada no passado com apoio maciço no Congresso.

    • Ô burraldo, qual a relação

      Ô burraldo, qual a relação entre os dois casos? Dá para juntar o tico e o teco e exarar algum sinal de inteligência? Sabe o que escritórios de advocacia e procuradores de APAEs têm em omum? O universo das ações judiciais.

  23. Arns e Richa

    Beto Richa foi aluno de Falvio Arns no ensino médio.

    Figueiredo Basto, advogado de Alberto Yussef, também estudou no mesmo colégio.

    Richa e Figueiredo Basto foram colegas.

    Figueiredo Basto teve um cargo na Sanepar no início do primeiro mandato de Richa.

     

  24. Richa e Arns

    Beto Richa foi aluno de Flavio Arns.

    Figueiredo Basto, advogado de Yussef, também.

    Richa e Figueiredo Basto foram colegas no mesmo colégio em Arns era professor.

    Basto teve um cargo na Sanepar no primeiro governo de Richa. 

  25. Antes Tão Presente, Hoje Tão Longe dos Holofotes. Por Que?


    O ponto fora da curva nas relações intrigantes, fora do eixo da simples compreensão, que se enroscam e entrelaçam na terra dos Pinhais, e pouco percebido por quase toda a gente que vive à política brasileira, é o chá de sumiço, desde que a vaza jato, começou a produzir seus capítulos, digo, fases, do porta-voz titular e oficial do PSDB junto a Globo e em especial no JN, onde dia sim o outro também, finalizava sempre com sua opinião, a reportagem do dia descascando o governo, Dilma, Lula ou o PT, ele, o peruquinha, Alvaro Dias.

    Por onde andará aquele Alvaro Dias tão falante? Por que será que o senador paranaense tomou chá de sumiço e deixou para outros a exposição diária obrigatória na Globo?  Por que será que Alvaro Dias anda tão obsequiosamente calado?     

  26. Paraná

    A agência de risco Moody´s rebaixou a nota de crédito do Paraná para o grau especulativo. De Baa3 para Ba1.

    Só notícia boa da terra dos coxinhas.

  27. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome