A manga e o combate à fome no deboche do governo, por Maister F. da Silva

O triste para um brasileiro é constatar a partir do deboche de uma Ministra que um pé de manga é proporcionalmente mais eficaz no combate a fome do que tudo o que o governo federal fez em 100 dias de governo

Foto: Agência Câmara
A manga e o combate a fome
Por Maister F. da Silva

A declaração debochada da Ministra Tereza Cristina, não é um acaso ou uma infelicidade, pelo contrário, expressa a opção de classe feita pelo governo federal. A Ministra ao dizer que “brasileiro não passa muita fome por que temos muitas mangas”, soma-se as declarações desastrosas dos demais ministros e evidencia que desprezam os pobres e os trabalhadores do país, deixando-os a própria sorte ou à famigerada meritocracia, ou seja, se merecedor “talvez você possa comer mais que uma manga”.

A ministra não trata com o mesmo desprezo os seus representados do agronegócio, em 100 dias de governo já liberou mais de 150 agrotóxicos, desses 16 altamente tóxicos e alguns outros proibidos no mundo inteiro. O governo Bolsonaro não reconhece que a segurança alimentar é um pilar de desenvolvimento e sustentabilidade ambiental, econômica e social e como tal deve ser tratada, para o bem comum da nação. A falta de emprego e de um projeto claro de desenvolvimento de curto prazo tem trazido de volta a triste realidade do retorno da fome e da insegurança alimentar a milhares de lares brasileiros, ao que parece Tereza Cristina e Bolsonaro não preocupam-se com isso.

Um hectare de mangueiras produz em média 25 toneladas de manga. O triste para um brasileiro é constatar a partir do deboche de uma Ministra que um pé de manga é proporcionalmente mais eficaz no combate à fome do que tudo o que o governo federal fez em 100 dias de governo para melhorar a qualidade e as condições de vida do povo pobre e trabalhador brasileiro.

* Militante do Movimento dos Pequenos Agricultores e membro do FRONT – Instituto de Estudos Contemporâneos

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

3 comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome