Antônio Carlos Simões na PGR colocará fogo no formigueiro, por Eugênio Aragão

Se alguém quisesse “melar” aquela instituição por inteiro, não poderia ter feito melhor. O governo Bolsonaro reveste-se de um caráter disruptivo

Foto: José Cruz/Agência Brasil
Que imploda tudo!
Por Eugênio Aragão

A escolha de Antônio Carlos Simões para PGR é de alta octanagem. Tem tudo para colocar fogo no formigueiro do MPF. Se alguém quisesse “melar” aquela instituição por inteiro, não poderia ter feito melhor.

O governo Bolsonaro reveste-se de um caráter disruptivo. Quer romper com o passado, com “tudo que aí está”, sem distinguir com clareza entre o que, no processo histórico das ultimas décadas, foi receita de sucesso e o que foi causa de disfunção na governabilidade. Num verdadeiro “carpet bombing”, destrói o que se encontra nos limites do espaço público. Nem o ministério público do golpe escapa.

Antônio Carlos Simões não vai consertar o MPF. Não tem liderança para comandar um órgão voluntarioso com membros atuando de forma autárquica feito metralhadoras giratórias descontroladas. Vai sobrar bala para o chefe. Vão sabotá-lo sistematicamente. Vai ser um conflito doméstico, sem o mínimo respeito aos costumes da guerra. Dele só sobrará tapera. Uma terra arrasada.

Mas, talvez seja disso que o ministério público precisa: de um incêndio transformador em larga escala, que ponha a nu, diante da sociedade, suas vulnerabilidades e, com isso, desfaça a imagem de superior vestal da moralidade que alguns cultivaram com esmero nos últimos anos, desde quando Antônio Fernando de Souza cometeu a uns principiantes a execução técnica do caso do Mensalão. De lá para cá, o MPF foi só miséria, foi só deformação ímproba, alcançando seu ápice quando ajudou a destituir uma presidenta legitimamente eleita, protagonizou a ópera bufa de querer expulsar Temer do poder para garantir uma sucessão na PGR que consolidasse o grupo em torno do trapalhão Rodrigo Janot e maquinou a prisão do maior líder popular da história brasileira.

Esse MPF transformou o Brasil numa republiqueta bananeira, apontando para os atores políticos e econômicos como raiz de todo o mal, enquanto pagava verbas ilegais a seus membros. O auxílio-moradia, a verba de substituições transitórias em unidades distantes da lotação, a pretensão a pagamento de plantões e acúmulo de ofícios – os procuradores mostraram enorme criatividade para se locupletarem à margem da lei. Mas os podres sempre são os outros, numa casa que exibe um ego coletivo a salvo de toda crítica pública.

Antônio Carlos Simões  fará bem ao MPF; implodi-lo-á de vez para permitir um recomeço radical, despido das vicissitudes que o fizeram obtuso, arrogante e golpista. Bolsonaro talvez não se dê conta do grande favor que fará à sociedade brasileira nesse particular.

11 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Welington barros

- 2019-08-25 14:06:26

Eugênio fica incomodado com a mudança de mentalidade dominante que se avizinha na PGR. Enquanto estava esquerda lá , nada escrevia. Nenhuma ideologia pode se perpetuar no poder. Democracia é alternância viu....Sr. Eugênio.

Fernando Vieira Pereira

- 2019-08-25 09:41:04

Dr. Eugênio Aragão é uma celebridade que possui capacidade intelectual para desenvolver uma reviravolta nos absurdos que vimos, ouvimos e sentimos em relação ao MPF e outros estaduais que compactuam com aqueles que estão sendo desmascarados agora. Para mim ele seria um justo PGR e também o criador de uma "nova constituinte federal sobre MPF e Judiciário", embora saibamos que o Legislativo também precisa ser ajustado. Parabéns Dr. Eugênio, o Sr. é um grande brasileiro!

Bonobo de Oliveira, Severino

- 2019-08-25 04:33:11

Enquanto destroem tudo o que foi construído e botam fogo na terra, abençoada por Deus, para entrega-la aos seus patrões, os legítimos representantes da delinquência nacional organizada prosseguem realizando seus ofícios, um dia sim, o outro também.

Jus Ad Rem

- 2019-08-24 23:03:03

O perigo é o MP se desmoralizar ao ponto de ser extinto, e não colocarem nada no lugar... Isso abriria caminho para um regime de tirania; sem um mínimo de questionamento e/ou ponderação.

Wanderson Pereira

- 2019-08-24 22:34:02

Resumindo: O MPF estaria cheio de incompetentes imorais e tudo estava bem enquanto o chefe da instituição era um deles. Bolsonaro estaria impondo uma disfunção governamental e isso será bom.

Lula livre

- 2019-08-24 21:07:28

Soltar os presos e prender os promotores, policiais e juízes (não os do supremo, é claro) Forrupa poca é bobagem...

Roberto Machado Cassucci

- 2019-08-24 20:55:44

Caríssimo Ministro (Eterno) Eugênio Aragão, o senhor levantou um Ponto Fundamental, que muito em breve, deverá ser Tratado/Enfrentado (rogo que pelo Senhor mesmo) em nosso combalido Sistema Judiciário... Certamente, ninguém espera uma Caça-as-Bruxas, o Vigor Intransigente da Lei-de-Talião ou Retalhações por Vingança, porém, EXPURGOS Inexoráveis (ainda que pontuais), TERÃO de Ocorrer, para uma Necessária e Justa Assepsia no Poder Judiciário... Uma situação complicadíssima! Não se espera nem é desejável, uma Completa ENDOFAGIA, mas "Exemplos Expressivos" deverão ser PINÇADOS e Afastados dos Quadros e PUNIDOS com Firmeza (sem desculpas, sem panos-quentes), para que toda a Nação veja, e voltem a ter Confiança em Nossa JUSTIÇA. Os Bons-Quadros (Literalmente), sabem muito bem, quem são os "Colegas" que Envergonham Sua Profissão, e, sem Receio (Falso Corporativismo), precisarão "Indicar" (e Isso Não tem Absolutamente Nada á Ver com caguetagem/dedo-durismo) Aqueles que Conspurcam "O BOM TRABALHO"! Boa Sorte MINISTRO, e SUCESSO em sua "Próxima" Empreita... Do Teu Sucesso, Viveremos uma Justa JUSTIÇA!!!

Wilma

- 2019-08-24 20:17:42

Excelente análise de Eugênio Aragão.O MPF está no meio de toda corrupção fascista e Raquel Dodge, coitada maneta, puxou puxou tanto o?? e caiu direto na ??? daquele que mandou o povo fazer menos cocó.E agora está nos fazendo um enorme favor,com esse novo na PGR,com uma ficha notável de processos etc...Pobre Brasil.Que o fogo da Amazônia chega entre eles! Hipócritas!

Carlos Augusto Cruz

- 2019-08-24 20:03:08

O MP é a cara da classe média brasileira. Egocêntrico, vestal(mas trambiques em nome do "bem" pode...), brancos estudados em escolas brancas que valorizam mais o "decoreba" que o estudo é a interpretação. Meninos mimados, sem limites, mesmo que destrua e cause o mal, impunes pelo corporativismo que reflete sempre a mesma imagem. Deve ser repensado, modelado para a democracia,, em conjunto com todo o judiciário e seus órgãos afins. Está podre.

Ailton Souza

- 2019-08-24 18:09:16

Realmente. O Brasil esta caminhando para um mundo perdido, inglório e sem esperança de nada.

Ana Velozo

- 2019-08-24 17:55:10

Preciso o texto de Eugênio Aragão. É materializar o dito popular: Há males que vêm pra o bem!! O ministério público precisa ser destruído para se construir um novo. Uma DEMOCRACIA não comporta um MP baixo e inescrupuloso!!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador