Com bolsonaristas, Weintraub fala de novo em “vagabundos” e é multado por não usar máscara

O ministro participou de atos em frente à Esplanada com manifestantes bolsonaristas com pautas antidemocráticas. Sem máscara, voltou a falar em "vagabundos"

O ex-ministro junto a bolsonaristas em ato antidemocrático - Foto Reprodução

Jornal GGN – Poucas dezenas de bolsonaristas se reuniram, durante este domingo (14), na área central de Brasília, em um ato em frente à Praça dos Três Poderes, para explicitar pautas antidemocráticas, contra o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF). Entre estes manifestantes, esteve o próprio ministro da Educação, Abraham Weintraub.

O ministro chegou sem máscara de proteção facial e infringiu duas determinações do Distrito Federal: além da falta de proteção contra o contágio do coronavírus, Weintraub se encontrou com os bolsonaristas na Esplanada dos Ministérios, local fechado por determinação do governador Ibaneis Rocha (MDB), após manifestantes jogarem fogos de artifício, em simulação a um bombardeio, ao prédio do Supremo, na noite de sábado (13).

Ao chegar ao local, Weintraub gerou aglomeração com os bolsonaristas, que foram tirar foto e cumprimentar o ministro da Educação. Todos estes atos de contato foram feitos pelo ministro, que também abraçou os simpatizantes de Bolsonaro.

No Distrito Federal, aqueles que não usam a máscara de proteção em áreas públicas comete o crime de infração de medida sanitária, e recebe uma pena de multa de R$ 2 mil, podendo chegar até a detenção, estabelecidos pelo decreto 40.648/20, publicado em abril. Por ficar no local sem a proteção, o governo aplicou a multa ao ministro.

Multa aplicada ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, por não usar máscara - Reprodução
Multa aplicada a Abraham Weintraub por não usar máscara – Foto: Reprodução/Redes

Nas redes sociais, Weintraub afirmou que não foi notificado da multa e criticou a medida. “Recurso-me a acreditar que seja verdade. Não fui notificado. Parece que fui o único a ser multado até hoje! Além disso, vazaram para a imprensa meu CPF e RG. Querem me calar a qualquer custo! LIBERDADE!!!”, escreveu o ministro.

A fala é em referência à confirmação da assessoria do governo do DF aos meios de comunicação que questionaram se o ministro havia sido multado por infringir o decreto 40.648/20 do governo.

“Quem sofrer a penalidade tem direito a ampla defesa, podendo recorrer da decisão. Depois do auto de infração, há um prazo de 10 dias para apresentação de eventual impugnação junto ao órgão emitente do ato administrativo”, explicou a assessoria ao Uol.

Além da falta de proteção, o ministro chegou a atacar, novamente, os ministros do STF. No local, ele foi questionado por apoiadores de Bolsonaro sobre impostos pagos para “funcionários corruptos”. Ele respondeu que já tinha manifestado a sua opinião sobre “vagabundos”.

“Eu já falei a minha opinião, o que faria com vagabundo”, respondeu. Na reunião ministerial de 22 de abril, Weintraub havia defendido a prisão de ministros do STF, chamando-os de “vagabundos”.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome