Eduardo Cunha formava rede de captadores de dinheiro com PC Farias, diz jornal

Jornal GGN – Em ação por danos morais contra o Blog, o deputado federal e atual presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), contesta um artigo de Luis Nassif que cita seu envolvimento com o chamado esquema PC Farias. Diz a defesa de Cunha que o texto, de maio de 2013 (leia aqui), “imputou-lhe falsamente fato ofensivo à sua reputação, uma vez que é público e notório que o ‘esquema PC Farias’ dedicava-se à corrupção e à sonegação fiscal, sendo o próprio PC lembrado como um malfeitor e inimigo público.” Ele quer indenização por constar ao lado do homem que levou Collor ao impeachment.

O envolvimento a nível nacional de Eduardo Cunha nos escândalos que orbitaram em torno de PC Farias, no início da década de 1990, é registrado em reportagens do jornal O Globo. Em uma delas, de 14 de junho de 1992, o periódico publicou com exclusividade o nomes de “10 captadores de dinheiro” que formavam a rede montada por PC para alimentar a campanha presidencial de Collor em 1989.

“Segundo relatos, a rede de PC era formada pelos ex-secretários de Assuntos Estratégico Pedro Paulo Leoni Ramos (Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso), Paulo Octávio Pereira e Luís Estevão de Oliveira (Brasília), o ex-ministro de Educação Carlos Chiarelli (Rio Grande do Sul), o ex-deputado José Carlos Martinez (Paraná), o ex-governador João Castelo (Norte do País), o ex-presidente da TVE Leleco Barbosa, o publicitário Juca Colagrossi e o atual presidente da Telerj, Eduardo Cunha, do Rio”, afirmou o jornal [imagem acima].

O esquema consistia em escalar um operador em cada região do país, com exceção de São Paulo, região coordenada única e exclusivamente pelo irmão de Collor, Leopoldo. No Rio de Janeiro, Cunha era um dos captadores da rede de PC. Segundo O Globo, à época, informantes relataram que uma parte dos recursos angariados pela rede de PC não foi usada na campanha de Collor.

“Os três informantes do Globo concordam com a avaliação feita por Pedro Collor de Mello, irmão do presidente [que entregou à Veja um dossiê contra PC Farias, quando este ameaçou entrar no mercado editorial de Alagoas e concorrer com a família Collor], de que teriam sido gastos apenas 60% ou 70% do dinheiro captado na campanha. Por essas contas, o saldo ao final do segundo turno teria sido de mais de US$ 30 milhões”, apurou o jornal. Os captadores da rede de PC aceitavam doações de empresários “preferencialmente em dólares ou em Certificados de Depósitos Bancário (CDB)”.

Leia também:  Reportagem mostra como bolsonaristas atuam em linchamentos virtuais

No dia seguinte, 15 de junho de 1992, o jornal dedicou uma página inteira para repercutir a notícia com governadores que passaram a exigir de Collor uma explicação sobre seu envolvimento com PC, acusado de tráfico de influência, enriquecimento ilícito, desvio de recursos de campanha, entre outros crimes.

A manchete principal era “Governadores exigem ação no caso PC” [anexo]. Na mesma página, Cunha, então presidente da Telerj (companhia de telefonia do Estado), ganhou espaço para se defender. Além de negar todas as informações sobre ter participado da rede de captadores de PC Farias, Cunha disse ameaçou processar o repórter que assinou a matéria sem consultá-lo antes.

No início dos anos 1990, os problemas envolvendo PC Farias não eram os únicos com os quais Cunha tinha de lidar. Ele também sofreu desgaste com uma série de reportagens da Folha de S. Paulo sobre sua atuação na Telerj. No período, ele foi acusado de lançar editais para a contratação de empresa que seria responsável pela elaboração e comercialização das listas telefônicas do Rio. À época, o jornalista Janio de Freitas escreveu que Cunha, com as licitações enviesadas, estava a favorecer empresas como a Listel, do Grupo Abril. Outra favorecida em decisões de Cunha seria a NEC, do Grupo Globo.

Leia mais: Eduardo Cunha e o escândalo da Telerj na Folha dos anos 1990

Janio também é autor de um artigo chamado “Os representantes” [anexo]. No texto, ele aborda os homens indicados por PC Farias para cargos importantes em diversos governos. O caso destacado como o mais “espantoso” é o de Eduardo Cunha, que com dificuldade foi removido da Telerj. Janio cravou que Cunha foi “escolhido a dedo” por PC para o cargo.

A VOLTA COM JORGE LA SALVIA

Leia também:  Sem Bolsonaro no caminho, Witzel articula concorrer à Presidência em 2022 pelo PSL

Quem defendia PC Farias no escândalo que pipocou no início do governo Collor e rendeu o impeachment do ex-presidente era advogado argentino Jorge La Salvia, que também comandava a Secretaria Geral do PRN na campanha de Collor, em 1989. 

La Salvia e Cunha retornaram com força às páginas de Folha de S. Paulo quando o hoje presidente da Câmara estava na chefia da Cehab (Companhia de Habitação do Rio de Janeiro), por indicação do deputado evangélico Francisco Silva (PRN). O jornal fez uma série de denúncias sobre a relação suspeita de Cunha e La Salvia, e isso custou a cabeça do hoje peemedebista, em 13 de abril de 2000 – sua mulher, então jornalista da Globo, viveu o constrangimento de noticiar a demissão da Cehab.

Em fevereiro de 2000, a Folha publicou a reportagem “Governo do Rio abriga ex-colloridos” [anexo], na qual sustenta que “Dois personagens do período Collor voltam a se encontrar, desta vez na Companhia Estadual de Habitação (Cehab) do governo Garotinho: Eduardo Cunha, tesoureiro no Rio de Janeiro da campanha presidencial de 89 e ex-presidente da Telerj (91 a 93), e Jorge La Salvia, ex-procurador de Paulo César Farias e que o teria ajudado quando fugiu do Brasil para a Tailândia. Eduardo Cunha assumiu a presidência da Cehab em setembro. Desde então, Jorge La Salvia frequenta o prédio da companhia, no centro do Rio.”

Continua o jornal: “Ele [Cunha] dirigiu a Telerj de fevereiro de 91 a abril de 93, quando foi substituído, já no governo Itamar, por José de Castro. Era considerado, então, do esquema PC, mas sempre negou que tivesse participado do esquema. Cunha chegou a ser réu em um dos maiores processos do caso PC, acusado, assim como Jorge La Salvia e outras 39 pessoas, de envolvimento com Jorge Luiz Conceição, que operava contas fantasmas do chamado esquema PC.”

RELAÇÃO CUNHA-LA SALVIA É INVESTIGADA

Em março do mesmo ano, na matéria “Governo do Rio abre sindicância” [anexo], publicou a Folha: “O governador do Rio, Anthony Garotinho, abriu ontem sindicância para esclarecer a presença de Jorge La Salvia na Cehab. La Salvia é acusado de ter participado do chamado esquema PC durante o governo Collor e responde a vários processos por sonegação fiscal. A Folha informou domingo que Jorge La Salvia frequentava a Cehab. O presidente da empresa, Eduardo Cunha, explicou, então, que La Salvia representava os interesses de uma empresa de administração de crédito imobiliário, a Caci, em uma licitação. Disse ainda que nunca tinha se encontrado com La Salvia na Cehab e que nunca o recebera em seu gabinete. Essa informação foi desmentida por um diretor da própria Caci, Sérgio Mauro Gomes, que informou que foi apresentado a La Salvia no gabinete de Eduardo Cunha.”

Leia também:  Bolsonaro saqueia o petróleo brasileiro e coloca em risco o meio ambiente

Em abril de 2000, no texto “Collorido ressurge em duas novas crises” [anexo]: “O argentino Jorge La Salvia é o ponto comum de três grandes crises recentes na política brasileira. Ele foi o procurador de Paulo César Farias, o PC, durante todo o governo Collor. É o estopim das investigações na Cehab/RJ, pela amizade com outro collorido, Eduardo Cunha. E aparece agora nas investigações que apuram a autoria dos grampos no BNDES. A Folha apurou que foram detectadas várias ligações telefônicas entre Temílson Antônio Barreto de Resende, o Telmo, indiciado como um dos autores do grampo, e Jorge La Salvia.”

Francisco Silva foi, na época, o deputado evangélico responsável por abrir as portas do governo Garotinho para Eduardo Cunha. “Eles [Cunha e Francisco Silva] têm um outro fator em comum: o advogado Carlos Kenigsberg. Foi Kenigsberg quem representou, em janeiro, [Francisco] Silva no leilão em que o deputado arrematou [por menos de 20% do valor de mercado] a casa onde Cunha mora, na Gávea (zona sul).” O escândalo da casa também foi entendido como ocultação de patrimônio.

Na ação por danos morais, a defesa de Cunha reclama que o Blog “deixou de informar que o inquérito [instaurado contra Cunha e La Salvia] desobordou em ação penal trancada pelo Tribunal Regional Federal em sede de habeas corpus, por aticipicidade do fato denunciado.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

28 comentários

  1. Não são inimputáveis só os

    Não são inimputáveis só os tucanos.

    Peemedebistas travestidos também.

    O Ibope da Dilma é 13%

    Do Congresso, 11%.

    Qual seria o do Judiciário, se fôssemos um país politicamente alfabetizado?

     

     

  2. A grande mídia é uma franca

    A grande mídia é uma franca praticante do esqueçam o que eu escrevi, do seu mais ilustre protegido FHC, mas os blogs sujos e nós seus leitores estamos aqui para reavivar as lembranças dos desmemoriados baluartes da libertinagem de imprensa.

  3. Simples.

    Basta verificar o que foi feito dos dois processos que Cunha moveu contra o jornalista. Se é que ele os moveu, essa é a chave da questão.

    Houve uma época em que Serra também os movia. Parou após tomar um “a exceção da verdade” do Amaury Ribeiro Jr.

    • Na verdade, o Cerra tomou uma

      Na verdade, o Cerra tomou uma “exceção da verdade” do  Flavio Bierrenbach (será que escrevi certo no nome desse juiz da Justiça Militar?).

  4. Ele busca um “Nada Consta”

    Ele busca é um “Nada Consta”!

    Os jornalões não valem nada, por isso conseguir um “Nada Consta”, a partir dos blogs sujos –  É O MELHOR ATESTADO DE IDONEIDADE que ele poderá ter!

  5. Vamos para a Rua

    Além de pedir o impedimento da presidenta Dilma sem provas que a liguem ao esquema da operação Lava-Jato, vamos para a rua pedir o impedimento do Capivara Cunha. Aqui há provas de sobra. Conclamo que empresários, suas associações,o movimento vem para rua também e outros que venham conosco para a rua já que suas bandeiras são para um “BRASIL SEM CORRUPÇÃO. Acredito que o sistema Globo não vai cobrir juntamenter com as demais redes concessionárias de TV aberta do país.Portanto muitos não aparecerão na telinha.Mas o convite tá feito. 

  6. O presidente da Câmara é um

    O presidente da Câmara é um bandido velho com pós-graduação no crime. Cunha não tem nem ética. Tanto que quer prender os garotos que fazem estágio na carreira que escolheu e na qual progrediu.  

  7. Ações engavetadas

    “(…) a defesa de Cunha reclama que o Blog “deixou de informar que o inquérito [instaurado contra Cunha e La Salvia] desobordou em ação penal trancada pelo Tribunal Regional Federal em sede de habeas corpus, por aticipicidade do fato denunciado.”

    Eu sei, tu sabes, eles sabem, nos sabemos, vos sabeis e eles sabem que a justiça brasileira vive em dois compassos. Aquela punitiva e moralista contra pobres, negros e agora o PT; e outra, a que passa as mãos na cabeça dos do lado de ca.

    Não da pra confiar nessa justiça. Eh preciso investigar Eduardo Cunha, assim como Agripino Maia, Aécio Neves, Alvaro Dias e Beto Richa (alô Moro!), Ronaldo Caiado e uma pa “de gente de bem”, sem esquercer de José Serra e cia. da privataria.

    • Por que o Sérgio Tucano Moro

      Por que o Sérgio Tucano Moro não pediu a quebra do sigilo bancário do Álvaro Botox após a delação de que Sérgio Guerra recebeu 10 milhões para abandonar a CPI da Petrobrás e justamente ele e seu companheiro de partido, Botox, os únicos do psdb que participavam da CPI, anunciaram suas saídas em conjunto numa entrevista coletiva?

  8. Se continuar assim, o Eduardo

    Se continuar assim, o Eduardo Cunha vai acabar oferencendo um acordo ao Nassif.

    Ele supende a ação que move contra o blog, e o Nassif acaba com essas reportagem do passado.

    E de quebra ainda vai oferecer um “cala boca” ao Nassif.

  9. Quando a hpnestidade não vale

    Quando a hpnestidade não vale nada.

    De que adianta ter Aloizio Mercadante e Pepe não sei das quantas pra serem articuladores políticos?

       Nesse caso não pesa honestidade, pesa malandragem cpm um TREMENDO jogo de cintura que Temer tem …os dois requisitos.

             Renan Calheiros tem 52528 125 789 processos nas costas. Eduardo Cunha os mesmos.

                Então , são canalhas?

                Muito provalmente, sim. Mas tbm, diga-se de passaagem, tem uma habilidade política inquestionável.

                O congresso tem muita semelhança com o Vaticano,

                    Embora os demônios sejam em maior número que os santos foram congidos, são os ”demônios” quem o admnistra.–capacitados e com pouca honra.

                  E no congresso brasileiro tbm.

                    Santo no congresso não funciona, E nem virgem na zona.

                  É necessário ter pilantras, no bom ou outro sentido, pra governar ambos.

                      Já pensou Madre Teresa de Culcutá presidindo a Igreja e o Congresso?

                        Não existiria leis punitivas e nem o inferno.

     

  10. Até “Jesus” ele monopolizou

    Até “Jesus” ele monopolizou na internet. Se o homem de Nazaré resolver voltar, terá que pagar tributo a Cunha

  11. Até “Jesus” ele monopolizou

    Até “Jesus” ele monopolizou na internet. Se o homem de Nazaré resolver voltar, terá que pagar tributo a Cunha

  12. ”’Diz jornal” é

    ”’Diz jornal” é indefinido.

       Qual jornal?

       Que data?

       É da Globo ,Estadão e Folha que vcs malham todo dia e não acreditam neles?

              Ou só acredita quando interessa?—normal por aqui.

                    Afinal,Qual ”jornal diz”?

                      Sou todo ouvido. Péra aí:

                    Sou todo ouvidos( tenho dois)

                 

      

  13. Lendo com mais atenção parece

    Lendo com mais atenção parece que foi o Globo.

       E desde quando vcs acreditam nele?

             Malham todo santo dia porque escreve mentiras.

                  E agora escreveu verdades?

                      Só nesse caso?

                       Ah, entendi!

    • Meu caro, anarquista, se os
      Meu caro, anarquista, se os jornalões nunca dissessem a verdade, já estariam todos mortos. Aliás, nenhum ser sobrevevria dizendo mentiras 100% do tempo! Não seja ingênuo, ou dissimulado, ou você não sabe que o papel de jornalistas sérios é procurar a verdade aonde quer que ela esteja?

      • Eduardo Cunha

        É verdade. O papel dos jornalistas é procurar e publicar a verdade onde quer que esteja.

        É mais uma demonstração lógica e cabal de que não há jornalistas na Globo.

        Nem na Veja, Época, Folha de São Paulo, Estadão … os que trabalham lá só fazem copydesk e locutam notícias….

  14. Esse Sr é o famoso Cara de

    Esse Sr é o famoso Cara de Pau! mas nossa Justiça gosta deles, abre processo, fecha processo e ela vai ganhando poder.

  15. Se a defesa for apenas

    Se a defesa for apenas noticias de jornal, não vai dar certo. Tem q conseguir documentos, gravações, depoimentos etc.

  16. Silvio o Patrao Inquilino

    Como dizia a principio na materia anterior, vizando a operacao caca-tutelar o institudo do menor ao zelar a conexao com o marnham e salvador, nada mas fez que aprecorear a vinda de imigrantes em pleno seculo 21. Te pergunta Nassif, seria essa a real custa que teriamos que arca enquando colarionhos brancos ursufruin de cargo politicos e beneficios sem fim?

  17. Agora ele está tendo jantares

    Agora ele está tendo jantares íntimos com ela, então:

    a) na grande mídia devem subir os ataques…

    b) na mídia chapa branca, caem os ataques…

  18. defende Dilma

    Eduardo Cunha defende Dilma do impeachment hoje em dia. O belo levantamento de fatos obtido junto aos arquivos dos jornais mostra ainda que não é de agora que se investiga e se pune quem sacaneia. A diferença é que agora se sacaneia muito mais.

     

  19. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome