Corrupção e economia derrubam popularidade de Dilma

Por Ricardo Noblat

Popularidade de Dilma despenca e é a mais baixa desde Fernando Henrique

Do Blog do Noblat

O escândalo de corrupção na Petrobras e a deterioração da economia brasileira apresentam a fatura à presidente Dilma Rousseff. Pesquisa Datafolha revela que Dilma obteve a mais baixa avaliação de um presidente da República desde Fernando Henrique Cardoso.

De acordo com o levantamento, 23% dos entrevistados consideram o governo bom ou ótimo, enquanto 44% o consideram péssimo ou ruim. Em dezembro, data da última pesquisa, Dilma marcava respectivamente 42% (ótimo/bom) e 24% (ruim/péssimo).

São as piores marcas de seu governo e a mais baixa avaliação desde Fernando Henrique, em dezembro de 1999 (46% de ruim/péssimo), segundo a sondagem publicada neste sábado (7) na Folha de S.Paulo.

A queda acentuada de popularidade arrasta para a mesma vala de Dilma o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o prefeito da capital paulista, Fernando Haddad (PT).

Alckmin caiu dez pontos (ótimo/bom), passando de 48% para 38%, nível que tinha em junho de 2013. Haddad empatou com Dilma em pessimismo: 44%. E retornou ao patamar da crise do aumento das tarifas de ônibus em 2013.

Voltando ao governo federal, de acordo com o levantamento, 21% dos entrevistados apontaram a corrupção como o principal problema, enquanto 26% consideram a saúde.

Segundo o Datafolha, 77% dos entrevistados acreditam que Dilma tinha conhecimento da corrupção na estatal brasileira. Outros 52% dizem que ela sabia dos desvios e deixou que continuassem. Por fim, na avaliação de 25%, ela sabia e nada pôde fazer.

Além disso, 47% dos brasileiros a consideram desonesta, 54% a denominam falsa e 50%, indecisa. Dilma não escapa nem mesmo do crivo dos petistas. Entre eles, 15% falam em desonestidade e 19%, em falsidade.

Leia também:  Estudantes do Cefet, no Rio, barram interventor de Bolsonaro

A pesquisa mediu a temperatura em relação às mentiras de campanha. Para 46%, ela falou mais mentiras que verdades (25% em meio a petistas). Para 14%, só mentiras.

O peso no bolso do cidadão começa a pesar. Se no segundo turno, só 6% achavam que a sua situação econômica iria piorar, hoje são 26%. 38% acreditam que não haverá mudança.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

19 comentários

  1. Dilma paga a conta pelo silêncio

     

    Brasil247 – 8 de fevereiro de 2015 

    A inflação não disparou, o desemprego não subiu. Aprovação caiu 19 pontos porque, encerrada a campanha eleitoral, Dilma emudeceu e debate político voltou ao controle da velha mídia

     

    por Paulo Moreira Leite

     

    Um mês depois do início do segundo mandato, Dilma Rousseff atinge um nível deprimente de impopularidade. A queda nos  índices de aprovação não é uma surpresa. Mas é importante discutir o que está por trás disso.

    Nossos analistas econômicos continuam anunciando um apocalipse que insiste em não mostrar sua cara — ao menos até agora. O desemprego não aumentou. A inflação também não disparou.  Não há novidade na Operação Lava Jato, que segue seu curso de espetáculo midiático.

    Vários fatores explicam a queda de Dilma e pode-se mesmo dizer que o governo federal vive uma situação semelhante à do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e à do prefeito da capital, Fernando Haddad. Estes também caíram na aprovação do eleitor.

    Para entender o que aconteceu com Dilma, porém, o ponto principal, na minha opinião, é a mudança no lugar do governo.

    O último levantamento disponível, onde números de bom, ótimo, ruim e péssimos estavam praticamente invertidos, refletia a realidade política da campanha presidencial. Os ataques eram violentos e diários — mas Dilma tinha o horário político para defender-se, para argumentar e fazer o contraponto. Apesar da parcialidade dos meios de comunicação, o governo tinha como responder aos ataques, com bom espaço, no horário nobre. Também participava de debates, onde era possível denunciar a falsidade de boa parte das críticas.

    Encerrada a campanha, voltamos ao monopólio dos adversários, ao Manchetômetro nosso de cada dia.  Para ficar no Jornal Nacional, os números da última semana indicam 24 notícias contrárias para 9 neutras.

    Outros fatores também pesaram, porém. O governo não apenas não tinha o horário político para defender-se — mas em nenhum momento empregou o espaço convencional que a presidência oferece a quem está em palácio para dar explicações, argumentar ou responder. Não confrontou versões nem fez a disputa política — condição para impedir que um mentira repetida 1000 vezes se transforme em verdade.

    A queda de 19 pontos na categoria bom e ótimo é um movimento tão grande que expressa outro sinal. Difícil negar que eleitores que garantiram a vitória de Dilma no segundo turno, num confronto polarizado de projetos políticos, ficaram decepcionados com aquilo que veio depois. Hoje, diz o DataFolha, um total espantoso de 54% dizem que Dilma é “falsa” — número que chegava a 13%, anteriormente.

    A nomeação de um ministro da Fazenda inteiramente identificado com as ideias adversárias já seria complicada em qualquer situação, em particular num país onde a credibilidade não é a virtude mais reconhecida entre os políticos e candidatos. A novidade agravou-se porque a nova direção econômica veio acompanhada de medidas que, mesmo sendo justificáveis do ponto de vista técnico, são economicamente desvantajosas para os assalariados, que mais uma vez sentiram-se chamados, compulsoriamente, a pagar uma conta de ajuste que  caiu no seu orçamento, poupando os ricos e endinheirados de qualquer sacrifício.

    Como disse na época o professor Wanderley Guilherme dos Santos em entrevista ao 247: o governo precisava ter explicado o que estava fazendo, por que, para chegar aonde. Disse Wanderley, em 16 de dezembro de 2014:

    “Quem foi eleita prometendo idéias (e gente) novas para um governo novo, e suplicou o apoio ativo da esquerda na última semana da campanha – arrancada sem a qual teria perdido a eleição – não tem o direito de pedir silêncio quando surpreende a praticamente todos os setores da esquerda com suas indicações. Não se trata de oposição radical aos nomes indicados, mas de expectativa de que sejam informados de qual trajetória a ser cumprida. A indiferença do governo em relação ao espanto e reclamações de seus eleitores, ao lado de afagos a adversários de ontem, pode ser entendida como abuso de confiança. O governo deve satisfações a quem o elegeu.”

  2.  
    *Bateu,

     

    *Bateu, levou?

    #######

    *Parece que desta vez o PT decidiu não apanhar calado
    Bateu, levou!

    Por jornalista Paulo Nogueira

    Postado em 07 fev 2015

    FONTE: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/parece-que-desta-vez-o-pt-decidiu-nao-apanhar-calado/

    ##########################

    É de doer o coração o padecimento do militante do Partido dos Trabalhadores. Entregue à própria sorte, em meio à arena dos leões, ele tenta resistir como pode ao massacre midiático contra o governo do seu partido. Mas a solidão é grande. Diante de toda sorte de ataques sórdidos, vilanias e infâmias, o governo da presidenta Dilma adota o silêncio como tática suicida de luta….
    (…)
    Enquanto isso, o militante do PT enfrenta o cunhado reacionário no almoço de família, sendo obrigado a ouvir da tia, do primo e dos amigos também a ladainha “só votei no PT e na Dilma porque você pediu, mas estou arrependido.” Ouvir na padaria e nos botequins da vida que o seu partido é sinônimo de corrupção já faz parte do calvário cotidiano do petista. Mas, ainda que de forma quixotesca, ele resiste. Com todo abandono, ainda marca presença nas redes sociais e até nas ruas.
    Só que paciência e abnegação têm limites. É visível o desânimo que vai tomando conta dessa galera. Pudera…
    (…)
    E se continuar com esse ar blasé, fingindo não ver que vivemos tempos de guerra, o governo será derrotado no parlamento, nos tribunais e, o que é pior, nas ruas.

    Por jornalista Bepe Damasco

    em

    ‘POBRE MILITANTE DO PT’

    7 DE FEVEREIRO DE 2015 ÀS 07:30

    FONTE: http://blogdobepe.blogspot.com.br/2015/02/pobre-militante-do-pt.html

  3. e agora?

    vai fazer campanha de recuperacao da imagem com zeh cardozo, levy e katia abreu?

    ela merece a fatura pelo estelionato eleitoral cometido, pela banana dada aos eleitores.

    com sua soberba, “maria antonieta” nao percebeu a casca daquela mesma banana jogada pelos seus eleitores a sua frente, escorregou e caiu de bunda.

    “parabens” sra. presidente!

  4. Espero que este seja o fundo do poço

    Agora é recomeçar a remar contra a maré, e ver se, em um ano ou dois, a presidenta recupera sua credibilidade perdida.

    Tenho pra mim que, mais que a inflação, o aumento do preço dos combustíveis, com a queda pela metade do preço do barril de petróleo, foi o ponto nevrálgico da queda de Dilma. O ministério, verdadeira torre de babel, veio a seguir, e a Petrobras ficaria logo atrás.

    Com o manchetômetro, porém, não se brinca. Meus amigos tucanos preferem acreditar no Noblat do que em mim, ou no Nassif, ou no PHA. E vamos concordar, nem aqui no blog, ou melhor, até aqui no blog a popularidade da presidenta caiu, era de se esperar.

    A novidade boa é a queda do Alckmin também. Caiu pouco, vai cair mais, Pra ele, o fundo do poço tá longe.

  5. Caro Nassif e demais
    A

    Caro Nassif e demais

    A pesquisa não focou só a Dilma, mas também Alckmin e Haddad. 

    Alckmim que tem todas as mordomias midiática da casa grande também caiu.  

    Acredito, que a verdadeira função da pesuisa não foi Dilma, mas sim saber, como a proteção de Alckmim tinha surtido efeito.

    A mídia fez o seu estrago contra o PT, mas além da mídia, o estrago de Alckmin se confirma pela realidade e não pelas mentiras de sua proteção.

    Com isso a mídia não contava, o seu predileto,  desmorona pela realidade.

    Noblat, como sempre, repetiu a mantra e focou Dilma e PT, pois assim manda o senhores.

    Mas o ódio contra o PT continua sendo construído.

    Saudações

     

     

  6.  
    FHC ou FFHH?
    Gagá ou a Tese

     

    FHC ou FFHH?

    Gagá ou a Tese ‘Os canalhas também envelhecem’?

    É o cinismo delinquente, estúpido!

    ENTENDA…

    ###################

    FHC: ROUBO DE BARUSCO NÃO TEM NADA A VER COM ELE

    Teoria do ex-presidente tem dois pesos e duas medidas: roubalheira na época de seu governo é culpa exclusiva do ex-gerente da Petrobras; já os malfeitos ocorridos nas gestões petistas são de responsabilidade de Lula e de Dilma; em carta enviada ao Jornal Nacional, o ex-presidente tucano diz que o delator é explícito ao dizer que tratava-se de acordo direto entre ele e o representante de uma empresa; disse ainda desejar que a Justiça vá até o fim na investigação da Operação Lava Jato, embora tenha reforçado que as alegações de Barusco são sobre propinas pagas nos governo do PT

    8 DE FEVEREIRO DE 2015 ÀS 08:29

    (…)

    FONTE: http://www.brasil247.com/pt/247/poder/169393/FHC-roubo-de-Barusco-n%C3%A3o-tem-nada-a-ver-com-ele.htm

    #################

    … É a impunidade, estúpido!

    E a blindagem criminosa do PIG também!

    Só faltou o DEMoTucano FHC afirmar que “a plataforma P36 foi afundada durante o período Lula/Dilma…

    Privataria: Ano a ano, os estragos que FHC fez na Petrobras

    (…)

    FONTE:
    http://limpinhoecheiroso.com/2014/03/26/privataria-ano-a-ano-os-estragos-que-fhc-fez-na-petrobras/

    Viva a CPI da Petrobras!

    “Venha!”

    E tremeis fascigolpistas, entreguistas e antinacionalistas!

    CORRUPTOS e incompetentes!

  7. Tenho recebido todos os dias,
    Tenho recebido todos os dias, há pelo menos duas semanas, convites de fontes múltiplas para a manifestação pelo impeachment de Dilma, em 15/03, e a orientação para vestir v&a caso não compareça, ficando à calçada de casa em protesto. Recebo também a lista dos locais, por todo o Brasil, onde ocorrerão as manifestações (mais de 30 cidades até o momento e a lista cresce). Não vejo ninguém se manifestar a respeito disto por aqui. Não é golpe (na acepção da palavra), é manifestação pelo impedimento e não está restrita ao vão do Masp. Tenho a impressão de que teremos confusão pela frente e a Presidenta continua encastelada.

  8. O governo reeleito da

    O governo reeleito da presidente Dilma,isto mesmo,REELEITO,tem pouco mais dde um mês.  Todas as tentativas de desgastá-lo não são manobras contra o PT e nem contra a presidenta,são manobras contra a democracia e contra o país.

    O presidente Lula foi muito feliz,no discurso proferido no festa dos 35  anos do PT em dizer que a oposição,na falta de votos,busca um atalho para chegar ao poder.

    Precisamos,todos nós,sabermos que a democracia não admite atalhos e,assim como disse o presidente Lula,aqueles que  assim não acreditarem terão de acertar constas com a história,básico assim.

    O blogueiro da grupo da TV da ditadura não tem compromisso com a democracia,não tem compromisso com o Brasil,se por acaso tivesse,ddenunciaria com muito mais ênfase a falsa distribuição de mais de 4 bilhões de dividendos da SABESP nos últimos 10 anos. Falsa,porque sabe-se hoje,pela realidade,que não foi oriunda de lucros,mas sim de falta de investimentos que estão retirando dos paulistas o seu bem indispensável para a sobrevivência:A água.

  9. A Dilma pela economia e

    A Dilma pela economia e petrobras, o alckmin pela crise da agua e o haddad? Qual o motivo do haddad cair? A tarifa não é já que ele amenizou com a tarifa zero para estudantes, é a velha pesquisa datafoia.

  10. Noblat no médico

    Médico: Diga 33

    Noblat: 33 milhões.

    _____________________________________________________________________________

    Toffoli julga mulher de Noblat por rombo de R$ 33 milhões no INCRA

     Agora está explicado a obsessão do blogueiro da Globo contra o ministro Dias Toffoli, do STF.
     http://www.stf.jus.br/portal/processo/verProcessoAndamento.asp?incidente=2485274 Toffoli é relator da Reclamação 4895 no STF, onde Raul Jungmann (PPS-PE) reclama ser julgado pelo STF em Ação onde é réu por improbidade administrativa junto com a ré Rebeca Scatrut, mulher de Noblat. 

    A Ação foi movida pelo Ministério Público Federal do DF, e acusa fraude em contratos com agências de publicidade feitos pelo Ministério da Reforma Agrária, comandado por Jungmann no governo FHC, envolvendo a empresa da mulher de Noblat, RNN Comunicação. 

    O rombo nos cofres públicos foi de R$ 33 milhões em dinheiro da época, segundo o MPF.
     http://processual.trf1.gov.br/consultaProcessual/processo.php?proc=200634000378430&secao=DF O MPF-DF cobra a devolução dos R$ 33 milhões aos cofres públicos, neste processo. 

    Houve outro inquérito criminal por peculato e corrupção ativa e passiva sobre esses mesmos fatos, com os mesmos réus, mas como não eram petistas, acabou sendo arquivado a pedido do Ministério Público, alegando prescrição. Mas esse outro fato quase tão esquesito quanto o engavetamento da Operação Vegas em 2009, já é assunto para outra nota.

     

  11. NO blat? É serio isso?

    Caramba, pleno domingo, entro no Blog pra me atualizar e o que vejo?

    Ricardo Noblat?  Diretamente do Blog do NOblat?

    Passo batido pelo blog do cara, faço tudo pra nem ler o que ele escreve e venho achá-lo aqui no Nassif?

    Sacanagem, parece coisa de estagiário, nem como as boas “provocações” do Nassif serve. Creio que 98% dos frequentadores deste espaço desprezam o blogdonoblat.

    Se for pra ter leitura de baixa qualidade vou direto na fonte.

     

  12. Foi a presidente Dilma que

    Foi a presidente Dilma que caiu ou “cairam” com  ela ? O que será que acha o seo Nassif ? Foi o Hadad que caiu ou caíram com ele. Mas o Alckminho não caiu muito , ou ” seguraram ele” ? Oh dúvida cruel ! Pq o Noblat, nem li e/ou lerei jamais.

  13. Nada a ver, Dilma perdeu o

    Nada a ver, Dilma perdeu o apoio de quem votou nela, com seu ministério e medidas impopulares. O eleitor se cansoud e ser traído pela presidnete.

  14. o noblat contribuiu

    o noblat contribuiu exponenialmente para a crise e ainda

    sente-se no direito de analisar uma pesquisa feita num

    período estranhamente conveniente para que se chegasse a tais resultados…..

  15. Não há como conferir o resultado da pesquisa, longe das eleições

    As pesquisas de opinião de governo precisam de credibilidade dos institutos de pesquisas, credibilidades estas perdidas em função da atuação da maior parte da grande mídia nas disputas políticas.

    As eleições atualmente são uma forma de avaliar as pequisas de opinião de governo, longe das eleições estamos hoje sem qualquer parâmetros para avaliação.

    Outra forma é o nível das mobilizações sociais contra o governo, mas a ausência de partidos de oposição com capacidade mobilizadora também afastam esta possibilidade de avaliação.

    Da mesma forma que as pesquisas eleitorais são manipuladas em épocas das convenções partidárias que definem as alianças políticas para as disputas eleitorais, o mesmo pode ocorrer em momentos de formação de governo, ou nas reformas ministeriais.

     

  16. Alguns comentários sobre a crise CENOGRÁFICA da míRdia

    1) A menos de (perigosa) virtualização, NÃO HÁ CRISE real, nem na economia nem na Petrobrás,. Existem problemas comuns a governos e empresas:

    ..1.1) O Brasil tem PLENO emprego, inflação estável e dentro da meta há mais de década, melhora consistente de índices sócio-econômicos (o principal recurso de um país: GENTE), reconhecidos mundialmente, e quase todos os demais índices, que foram consistentemente melhores que os da “solução” neoliberal que aleijou o Brasil.

    Estes poucos índices (monetarista-financeiro-contábeis), só nos últimos dois anos pioraram (basicamente déficits, e o baixo crescimento), muito devido ao corpo mole que a parte economicamente capaz da sociedade (as chamadas zelites). Eles não aceitam ganhar com produção, mas eminentemente com finanças (suco de dinheiro).

    Mas mesmo nestes índices (agora) ruins, nada que não seja muito diferente de países como França, Austrália, Reino Unido, EUA, Alemanha, Japão, Itália, Espanha e outros líderes da economia mundial.

    ..1.2) A Petrobrás, operacional e economicamente é um destaque mundial positivo: lucrativa, produtiva, crescente, tecnologia de ponta, etc.

    Há nela um caso de polícia de elementos que já estão lá desde FHC ou antes e que, se roubaram muito, em termos pessoais, o produto do roubo por maior que fosse, NÃO ABALA a empresa, operacional e economicamente, apenas sob o ponto de vista de governança (que sempre será feita por pessoas).

    Sendo uma empresa estratégica para a nação brasileira, não apenas acionistas de “mercado” (financeiro), qualquer investigação (que deve ser feita) tem a OBRIGAÇÂO de ser discreta, sigilosa, não só pelos benefício a ela própria, como pelos efeitos negativos que simples vazamentos (quanto mais ESCANDALIZAÇÂO) podem causar.

    Os efeitos de imagem e mesmo econômicos (crédito, paralisação de projetos e seus retornos, etc.) e operacionais (clima organizacional interno) podem ser (e suspeito que já são) muito maiores que os malfeitos!

    2) Há uma barragem de artilharia, um rolo compressor funcionando 24h por dia, que se existe desde pelo menos 2005, agora está numa intensidade nunca vista (manchetes síncronas que trocam de meia em meia hora!) contra o governo, sejam elas fatos ou, sim, mentiras criminosas (que exigem processo de interesse público), como as de que uma empresa de capital aberto ao público omitiu 88 bilhões de prejuízos de corrupção). Fosse na Inglaterra, este jornal seria fechado ou multado pesadamente, pois isto é muito mais sério do que grampear telefonemas do príncipe. A míRdia está se comportando tal qual vandalos em protestos difusos. Fazem o que querem!

    3) Dilma está estranhamente silenciosa e aparentemente paralisada por este massacre miRdiático. Espero profundamente que ela saiba o que está fazendo e nos traga (ao país) alguma(s) bela(s) surpresa(s). Mas a descrença, a frustração, a angústia e a ansiedade está se espraiando até por seus apoiadores. Caso não haja (logo) a tal surpresa, este caminho a levará à solidão do poder e ao carnaval dos golpistas, que andam alvoroçadíssimos.

    Minha compreensão não comporta a escolha e manutenção de ministros estratégicos como o da Justiça e o da Casa Civil. Naõ comporta falar em “tosse de vaca” e logo depois, desnecessariamente, fazer anúncios que dão gripe na vaca. Tudo tem hora e lugar, ainda mais em política! Ainda que seja razoável e defensável, qual a urgência e relevância em anunciar logo agora mudanças de previdência, seguro desemprego, salários e similares? Quem coordena estas ações? Merdacante, digo, Mercadante?

    E a “PF do Zé”? Preocupado em tratar investigados “direitinho” enquanto outtrso de “seu” partido tem suas casas invadidas para conduções espetaculosas que poderiam ser feitas com um mero convite telefônico ou carta simples? Estão gastando nosso dinheiro (equipes, movimentações, tempo de Judiciário, etc.) por uma simples ligação telefonica? (sim, sabemos que ela é das mais caras do mundo, mas…).

    E a tal da Abin? Continua abrigando arapongas da ditadura e agentes que andam por aí com crachá? O governo, seu partido e todas as instituições deste país tem infiltrados e traidores servindo à oposição e interesses “exógenos”. A presidente do país (e não do PT ou de petistas) nã consegue falar ao telefone. A presidente da maior empresa do país não consegue fazer uma reunião de conselho sigilosa! A PF, o MP e o Juduciário “não conseguem” não vazar! Como acham que conseguirão combater estes mal feitos (sim todos ilegais)? Com agentes “secretos” com entrada registrada nas portarias? Com agentes treinados lá fora? Ou simplesmente não usá-los, qenquanto bicheiros, revistas, jornais e elementos institucionais fazem a festa? Ganhando muito dinheiro correlacionado a estes serviços?

    E porque não gasta uma fração do que vai para a míRdia em inserções comerciais (pagas) nos principais tele-jornais do país? Além de esclarecimentos e informação, conseguirá inserir o contraditório na agenda de discussão do país, Produzido por  profissionais da área de comunicação. E será um prazer estupendo ver um Bonner da vida ser desmentido no intervalo comercial seguinte. Ou forçá-los a um noticiário mais “cuidadoso”, para não correr o risco de “pegar mal”.

    Insisto que o principal papel da míRdia hoje é criar sentimento (ruim), não interessa se com informação boa ou ruim. E estão conseguindo. Há mutio que isto tornou-se quasi-científico (RP, Edward Bsernays, inteligência, propaganda, etc.)

    Enfim, salvo alguma estratégia que nos surpreenda, Dilma tem sim, culpa passiva nesta crise cinematográfica. Mas que se compreenda também que o cerco incendiário do poder quintocentão de fato (que mantém este rico país no atraso quintocentão) sobre ela não é algo simples de se enfrentar (deveria estar atacando este problema há mais tempo ao invés dea boa fé de fazer quitutes na A.M.Braga).

    Devo dizer que, por mais que se critique a presidenta do Brasil (como eu mesmo), ela ainda é, de longe, a melhor opção que dispomos. Ou alguém preferiria agora ter um verdadeiro Carnaval com Aécio ou Marina?

    Devo também lembra a oposição que ela é presidenta dela também. E foi eleita por uma MAIORIA, por menor que tenha sido. O que querem é desrespeitar isso, pensando sim, que como há séculos, govcernos deven governasr para ELES. Eleitos ou não…

    Tenho a esperança de que este massacre, à semelhança do gen. Westmoreland no Vietnam, cuja estratégia (“bem” sucedida) era destruir e matar o máximo possível de nortistas e congues. Funcionou mas … perdeu a guerra para outro general que não tinha um milésimo de seus recursos militares.

    Quem sabe Dilma consiga ser uma Giap?

     

     

  17. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome