O xadrez do estado policial, no D+

Vamos ao nosso balanço pós-crise

A rigor, manifestações servem apenas para o exercício da catarse e para expor o verdadeiro tamanho de alguns personagens públicos, jornalistas, políticos.

O efeito de fato é sobre a perspectiva futura do eleitorado. Nesse sentido, as manifestações são eficientes por demonstrar capacidade de mobilização contra o governo e as esquerdas em geral.

Mas é apenas um fator.

O que se discute hoje em Brasília é mais amplo do que a votação em 2018: é disputa de poder real, atual, do momento e as expectativas de poder a partir de 2018.

Vamos a um pequeno rescaldo dos fatos do momento.

Fato 1 – O D+ do impeachment.

Não há consenso sobre o dia seguinte de um eventual impeachment.

Há um enorme conjunto de interrogações no ar, o que dificulta o pacto pró-impeachment.

A maior parte das alternativas degola Dilma e leva junto o vice-presidente Michel Temer. Se Lula conseguir apresentar uma alternativa minimamente viável, ainda pode segurar o PMDB.

Chama a atenção o fato de, na delação do senador Delcídio do Amaral, nenhum procurador ou delegado ter manifestado a mais remota curiosidade sobre o papel de Gregório Preciado – ligado ao senador José Serra – nas relações com empreiteiros. Como se recorda, Preciado foi expressamente mencionado por Delcídio no grampo armado por Bernardo Cerveró – o filho de Nestor – que serviu de base para a prisão do senador.

Fato 2 – Lava Jato e o estado policial.

É ilusória a ideia de que o afastamento de Dilma ou a prisão de Lula faria cessar o jogo político da Lava Jato. Pelo contrário, se derrubarem a Bastilha do poder presidencial, conseguirão implantar definitivamente o estado policial no país. Pois não haverá mais força institucional capaz de detê-la. Se ousarem recuar, perdem toda a base de apoio da malta.

Os episódios das últimas semanas revelaram que intenção da Lava Jato é implodir qualquer forma de acordo político, mesmo que signifique jogar o país em uma guerra interna e em uma depressão econômica.

Leia também:  Governador do Ceará não cogita anistia a policiais amotinados

São vários os indícios.

Indício 1 – As manifestações de domingo corroborando a ideia de que o movimento atual é contra o sistema político em geral. E a visão redentorista de que resolvendo a questão da corrupção, todas as soluções aparecerão por si.

Indício 2 – as pregações do procurador Deltan Dallagnol, dando outra leitura para a Itália pós-Mãos Limpas. Segundo ele, houve a eleição de Berlusconi e a paralisação da operação não porque jogou a economia da Itália no fundo do poço, mas porque a Mãos Limpas não cuidou de impedir os acertos políticos posteriores. Ou seja, para limpar definitivamente o país da corrupção e implantar a paz dos cemitérios, a Lava Jato tem que ir além da derrubada do atual governo.  O adversário é toda a classe política.

Indício 3 – O acirramento da perseguição a Lula, pela Lava Jato, que está em Curitiba; o vazamento do grampo em Aloizio Mercadante e da delação de Delcídio, que estão em Brasília. Alguma dúvida?

Indício 4 – em maio do ano passado, o Ministro Teori Zavascki suspendeu os mandados de prisão determinados por Sérgio Moro e requisitou os processos para analisa-los. No dia seguinte, o site da revista Veja divulgou matéria na qual dizia que um investigado da Lava Jato tinha apoiado Zavascki nas eleições para a diretoria do Grêmio. Naquela mesma tarde, Zavascki reviu sua posição (veja nos anexos pdf da matéria de Marcelo Auler da Carta Capital). O mesmo ocorreu com o Ministro Luís Roberto Barroso. Após um voto corajoso sobre os ritos do impeachment, foi alvo de ataques através das redes sociais, sobre um apartamento adquirido por sua esposa em Miami, em operação perfeitamente legal. No momento seguinte, reescreveu sua biografia voltando pela supressão da terceira instância nos processos.

A estratégia de grampear um Ministro de Estado é apenas mais um passo na escalada da Lava Jato, depois que atravessou o Rubicão. Lateralmente, há uma estratégia de intimidação de quem ousar ficar na frente.

Leia também:  ABJD: Atentar contra os Poderes é golpe contra a Democracia

Fator 3 – Lula. 

Se fosse pensar exclusivamente no seu processo, seria mais prudente a Lula não aceitar o cargo. Sendo Ministro, o caso vai para o STF (Supremo Tribunal Federal) e não haverá instâncias de apelação.

Politicamente, não há outra saída.

Não se tem um desafio fácil pela frente.

No formato mais rápido, o rito do impeachment leva 45 dias. Nesse período, Lula precisará apresentar ao PMDB um cenário minimamente confortável, que precisa incluir uma estratégia econômica, que não pode ser conservadora a ponto de agravar a recessão, nem fiscalmente imprudente.

O Ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, tem em mãos algumas alternativas interessantes de retomar investimentos em saneamento com participação da iniciativa privada, em cima do encontro de contas com Estados e Municípios. O padrão Dilma, no entanto, é o receio de que um respiro mais forte e a água entrar pelo nariz. Talvez com Lula chegando, possa ser rompida a inércia.

O acordo com o PMDB só será selado se Lula demonstrar que o governo Dilma se tornou economicamente viável.

Há alguns fatos a favor. Nas últimas semanas surgiram no ar indícios de recuperação da economia e de redução do ímpeto inflacionário. Não se sabe até que ponto a Lava Jato conseguirá abortar essa recuperação, com as bombas dos últimos dias.

Fator 4 – Eugênio Aragão e o STF.

Se não pararem com a escalada da Lava Jato, não haverá estabilização possível.

Tem-se um quadro curioso.

O PGR Rodrigo Janot montou uma Força Tarefa absolutamente confiável, com total integração e afinidade política entre os procuradores escolhidos e os delegados da Polícia Federal.

Fora da Lava Jato, no entanto, há uma animosidade crescente entre procuradores e policiais, devido à tentativa da Polícia Federal em conquistar autonomia financeira e administrativa.

Aragão é um procurador eminentemente legalista. Mesmo tendo assumido a defesa do governo, em algumas ocasiões, conta com o amplo respaldo das associações de procuradores. E, na condição de Ministro da Justiça, passa a ser o comandante de fato da Polícia Federal.

Leia também:  Celso de Mello se manifesta sobre ato de Bolsonaro: não está à altura do cargo!

A total perda de controle na Lava Jato – com grampos em Ministros do governo, ataques a Ministro do STF, truculência na invasão de residências e na decretação de prisões – é um fator potencial a mais para reagrupar forças jurídicas e políticas, antes que sobrevenha o caos.

Não tenho elementos suficientes sobre a habilidade política de Aragão, sobre o nível atual das suas relações com Janot, ou mesmo sobre sua posição em relação à Lava Jato para formular qualquer prognóstico. Nos debates e na defesa de ideias, mostrou-se uma fortaleza de coerência e de responsabilidade institucional. O jogo político exige mais, habilidade, visão estratégica. Aí, é esperar para ver.

A questão central é que sem uma ação orquestrada e responsável, passando pelo STF, que limite as estripulias da Lava Jato, não haverá normalização política e econômica possíveis.

Cenário de estabilização

O cenário de estabilização política e econômica passa pelas seguintes etapas, de difícil execução:

1.   Lula conseguindo reagrupar a base de apoio com o PMDB. O PSDB caindo na real sobre os riscos do estado policial.

2.   O STF colocando um freio na escalada da Lava Jato. Nos próximos dias a Lava Jato, juntamente com a Globo, jogará tudo – inclusive ameaças à família de Lula – para abortar qualquer tentativa de acordo.

3.   A perspectiva de recuperação da economia não ser novamente abortada pela estratégia da Lava Jato.

Há uma possibilidade, ainda que pequena, de reverter o jogo.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

77 comentários

  1. De total acordo,

    Nassif,

    Acontece que, agora, o que é necessário é ação rápida por parte da Dilma, que, até o momento, anda pensando que vai escapar de algo, se perder o mandato. A resistência teimosa, para ver onde vai dar o barco, e aí agir ou não, podem fazer com que encalhe e naufrague. Não dá mais para ficar mantendo aparências. Ou age ou se arrebenta, levando consigo todo um projeto de país.

    PS.: imperdoável a recondução de Janot. Só alguém sem visão estratégica e extremamente vaidosa poderia fazer algo assim …

    • Nao foi so vaidade e falta de visao

      Realmente. Na epoca da reconduçao a popularidade dela ja tava no nivel morto. Nao ia perder nada mais nao reconduzindo. E o Senado – Renan a frente – claramente nao teriam problema nenhum em sabatinar outro.

      O problema, como o Nassif apontou outro dia, eh que Janot sempre foi cuidadoso na vitrine no STF e nas tratativas com o governo para aparentar “republicanismo” e “isençao”, enquanto no gabinete da PGR ele(s) traçavam a estrategia e iam “carcando” o governo a cada rodada.

      Entao se pode dizer que naquela altura ainda nao se sabia do real posicionamento dele(s).

      Eu estava curioso para ver a reaçao do “Alto Comando” ao “Lula Ministro”. Queria ver se eles iam botar a viola no saco e sentar a mesa com Lula, STF e PMDB para traçar a saida ou se iam continuar na guerra total.

      Com o grampo, parece que eh guerra total.

      Ja a GLOBO, com a leitura patetica de Bonner e da outra la da nota dos advogados de Lula, parece que deu um passo atras na declaraçao de guerra total. Talvez volte da guerra quente para a guerra fria de antes. Resta combinar com o outro combatente: Lula.

  2. Seletividade

    Opinião do PT e simpatizantes sobre o senador Delcídio do Amaral (PT/MS):

    ** Como líder do governo no Senado: político sério, negociador e articulador brilhante, homem acima de qualquer suspeita, honradez inquestionável. Como sempre a Dilma foi sábia e escolheu muito bem.

    ** Como delator do Aécio e da oposição: arauto do Justiça, confiável, se ele disse com certeza é verdadeiro.

    ** Como delator da Dilma, Lula, Mercadante: canalha, mentiroso, ressentido, sem qualquer credibilidade, delator não merece respeito.

    Comentário do Lula: “Não sei de nada”

     

  3. O marco zero de todo análise

    O marco zero de todo análise acima é Lula aceitar ou não um ministério. Caso contrário, aquele 1 por cento de chance de sair do coma do governo Dilma zera de vez.

    Ouvi a entrevista do Mercadante. Ele alegou que se encontrou com o aspone do Dulcídio pra prestar solidariedade. Uma coisa pode se dizer de Mercadante = vai ser ingênuo assim na casa do c… E ele mesmo disse que a conversa ia tomando um rumo estranho. Então  que ele desse um ponto final nela na hora, fingindo que se lembrou que tinha uma consulta marcada no proctologista ou coisa assim (Rs). Entendo porque o Lula não gosta do mercadante = é a união da arrogância com a burrice.

  4. Olhando de fora me parece

    Olhando de fora me parece claro que a estratégia toda foi armada de uma forma extremamente competente. Os envolvidos até aqui visíveis (Moro, o vazador da PGR, a própria Globo) são muito burros pra fazer tudo isso. Tá na cara que o Brasil está sendo objeto de uma guerra de 4a Geração (alguns diriam 5a Geração), tal como apregoada e defendida em diversos estudos da Rand Corp. e que tem como base a Teoria do Caos.

    Acho que depois do Moniz Bandeira é hora de entrevistar alguém que entenda desse tipo de guerra, porque é o que (na minha humilde opinião) estamos realmente vivendo.

    Tenta um desses dois:

    – Eduardo Italo Pesce – Especialista em Relações Internacionais e professor no Centro de Produção da UERJ.

    – Iberê Mariano da Silva – General-de-brigada engenheiro militar do Exército Brasileiro, na reserva. Que doidera, meu!

  5. E os movimentos sociais, os

    E os movimentos sociais, os militares e a parcela mais politizada da população, que inclui intelectuais, jornalistas e artistas além de gente comum que não está nem um pouco satisfeita com a perspectiva de implantação deste estado polícial ou ditadura branca, como entrariam na equação?

  6. republica bananeira de concursados

    Então tá assim, no Irã temos os ayatollah de vestimenta pretas no comando da nação, aqui os moros de togas pretas.

    Socorro mamãe…

  7. Dois pesos…

    Interrogatório de FHC (em sua casa) à PF:

    – Investigador: “Excelência, por obséquio, poderia esclarecer uma pequena dúvida,  sem querer abusar de vosso precioso tempo: o senhor sabia das negociações para, com o perdão da expressão, compra de votos para vossa reeleição?”

    – FHC: “Não.”

    – Investigador: “Ah sim, claro, eu já imaginava… que audácia a minha, o senhor me perdôe, mas sabe como é, é meu trabalho… Bem, para encerrarmos, desde já pedindo mil desculpas mais uma vez por estar lhe importunando, mas é que, bem, é… eu queria saber se vossa excelência por acaso, quem sabe, talvez, ainda que por alto, ouviu algo sobre corrupção na Petrobras durante o seu governo?

    – FHC: “Não.”

    – Investigador: “Ótimo, perfeito. Excelência, mais uma vez muitíssimo obrigado por seus importantes esclarecimentos. Um excelente dia para o senhor. Ah, excelência, perdão, só mais uma coisa, sem querer abusar: pode me dar um autógrafo?”

    Interrogatório de Lula (em Congonhas) à PF:

    – Investigador: “Seu Luis Inácio, o senhor pode me dizer, em detalhes, a marca e os tipos de café que eram servidos no palácio do planalto durante o seu governo?”

    – Lula: “Não sei.”

    – Investigador: “Não sabe? Como não, seu Luis, o senhor ficou por lá durante 8 anos e não sabe algo tão importante? Estamos falando de café, CAFÉ, senhor Luís, isso mexe com o país, é uma paixão nacional, ou o senhor também não sabia disso? Bem deixa pra lá, vamos em frente. E a água mineral do palácio? Pois se consumia muita agua por lá no seu governo com certeza, com toda aquela secura… O palácio comprava agua importada ou nacional? com gás ou sem?
    De quais marcas? O senhor sabe?

    – Lula: “Não sei.”

    – Investigador: “Não sabe? Como não? O senhor quer que eu acredite nisso? 8 anos e não sabe a água que bebia no palácio? Estranho, muito suspeito mesmo, o senhor há de concordar comigo que isso não é normal. O senhor respondeu ‘não sei’ 2 vezes seguidas! Temos muito ainda a investigar. Um ex-presidente não saber sobre café e água, vê se pode… E mais uma coisa: mantenha-se alerta, podemos precisar convoca-lo novamente a qualquer hora e a qualquer momento, por qualquer motivo! “

     

  8. DISCORDO

    prossegue a visão do golpe sem forças armadas.

    90% dos presentes aos selfies na paulista, e só houve manifestação nessa passarela coxinha, estavam lá porque a polícia militar garantiu que não haveriam oposicionistas.

    não existe golpe no brasil sem forças armadas.

    se a polícia federal ou as estaduais tentarem um golpe, as forças armadas varrem todos do mapa em 12 horas.

    isso mesmo: 12 horas.

    os idiotas deram-se conta disso em congonhas.

    veja se ousaram desobedecer o comandante da aeronáutica.

    estavam armados até os dentes mas … não eram loucos.

    infelizmente, dilma revelou-se uma lástima: nos primeiros 4 anos queimou toda a imensa gordura acumulada pelo antecessor. elegeu-se porque ele, com um prestígio avassalador, interviu na campanha presidencial e depois de eleita, continuou a fazer suas besteiras.

    num ponto, deve-se concordar com a análise de nassif: só resta uma alternativa, pode-se dizer, suave à ruptura institucional (e essa turma dos marajás do judiciário que abram os olhos): lula como chefe de governo e dilma como chefe de estado ou nem isso.

    ela e sua oposição ridícula desapareceram politicamente na patuscada do domingo: lula, se quiser, será o próximo presidente do brasil e se elege no primeiro turno.

    em tempo: quando os cidadãos virem os contra-cheques dos juízes brasileiros, moro incluído, não será a bastilha que cairá, mas versailles: os rendimentos dessa gente são um insulto ao contribuinte.

  9. A raiz de toda crise politica

    A raiz de toda crise politica ainda está no republicanismo tosco da presidente. Nomeou e reconduziu para um segundo mandato o cara que está implodindo o governo, o pgr. Um verdadeiro tiro no pe. Burrice maior, impossível.

    A queda é questão de tempo.

  10. Se conseguirmos vencer esse

    Se conseguirmos vencer esse golpe , uma coisa é certa. Seu arquiteto o ministério público, um quarto poder esdruxulo criado pela constituição de 88, e que vestiu suas garras e tirou sua máscara deverá ser plenamente repensado. Com a retirada de muitos poderes. Ou estaremos fadados a “república policalesca dos bacháreis”….

  11. Updates do Xadrez – leitura INDISPENSAVEL
    1- Luis Nassif definitivamente é o melhor analista da conjuntura atual, com os seus desenhos das peças e movimentos no tabuleiro de xadrez, que ele vai atualizando a cada rodada. 2- Foi o primeiro que identificou – desde a semana passada já na base da certeza e não mais da hipótese – onde está o estrategista da Lava Jato – que não é o Moro e não esta em Curitiba. 3- Em artigo anterior ele já tinha anotado o padrão desse estrategista de, no dia imediatamente após qualquer iniciativa que traga de volta o protagonismo ao governo, esse Estrategista da Lava Jato soltar mais um dos vazamentos – seletivos e a conta-gotas. Sempre para murchar a bola do governo 4- Dito e feito: ontem o governo “quebrou a internet” com a notícia do “Lula Ministro”. Só se falou disso desde então e o governo voltou a ganhar na batalha das expectativas. O que acontece NO DIA SEGUINTE? “Vaza” para a Veja o audio de um grampo de conversa entre o Ministro Mercadante e um emissario de Delcidio. 5- MAS… como esse grampo é totalmente imprestavel, sem nada que comprometa Mercadante – so pode gerar no maximo factoide e lead sensacionalistas na imprensa – isso quer dizer que por hora “o Estrategista” está com a mão vazia. Atacou baixando à mesa do baralho um par de 2 a espera de cartas melhores nas proximas rodadas. 6- Se o governo souber matar esse grampo na saida, parece que o campo esta livre para a atuaçao de Lula.

     

    • Dilma “habilidosa”

      Pois é… acho que podemos eliminar o meu item (6).

      O governo não vai matar no nascedouro o grampo. A nota infame de Dilma jogando Aloisio Mercadante ao mar por sua “iniciativa pessoal com a qual ela não tem nada a ver” é PASSAR RECIBO de que teria algo reprovável na iniciativa de Mercadante – fora a burrice de se deixar gravar nessa altura do campeonato, mesmo que não falando nada demais.

      PÉSSIMA HORA para Dilma ressuscitar a “faxineira ética”, aquela que joga ao mar qualquer colaborador sob tiros da mídia por “comportamento suspeito” no calor da primeira acusação. Dar esse Sangue novo para o velho lobo nesse momento é péssimo. Ela vai fazer o mesmo com Wagner, citado por Dolcídio?

      Essa obsessão dela em sair logo gritando “não tenho nada com isso / toma aqui ele pra vcs” para supostamente salvar sua imagem pessoal mais uma vez prejudica as articulações pro governo ficar de pe de novo. 

      LULA ENTRA LOGO PRA FAZER DAMAGE CONTROL!!

  12. Dilma tem poderes para:
    1 –

    Dilma tem poderes para:

    1 – Demitir Janot que quer enforcá-la e lançar o Brasil numa guerra civil.

    2 – Demitir toda a direção da PF no Brasil que compactua com os crimes da Lava Jato e do Moro e realocar essa turma pra onde ela quiser.

    3 – Usa parte substancial de nossas reservas internacionais que não rendem nada la fora pra alavancar a economia.

    4 – Usar os setores da PF e outros sob comando do executivo que não compactuam com a turma de Curitiba e lança-los nos encalço dos crimes da Globo e dos filhos do Roberto Marinho.

    5 – Ter a grandeza de espírito em reconhecer que perdeu o controle de tudo e deixar LULA comandar todo o processo que irá virar o jogo, respaldando todas e quaisquer decisões dele. 

    Tudo isso feito entraria pra história do Brasil como uma grande mulher e presidenta. Pode ainda sair dessa como uma grande ESTADISTA.

     

  13. Há duas cartas a mais neste

    Há duas cartas a mais neste jogo:

    1. A imputação criminal de moro, janot, e todos os elementos do MP e da PF envolvidos na conspirata – e nisto Aragão tem papel chave.

    2. A abertura de procedimentos de cassação de concessão da globo, por evidentes infrações aos termos da concessão.

    E nenhuma das 2 ações são de caráter arbitrário. Pelo contrário, é apenas a aplicação da lei – para todos.

  14. Não há maneira de “recompor”

    Não há maneira de “recompor” com o PMDB sem enfrentar a globo. O que o Partido está fazendo é valorizar o seu dote enquanto procura o galho mais seguro. Os Tribunais de Justiça e STJ foram por decadas e décadas aparelhados por eles em comum acordo. O daqui do Rio é um exemplo claro.

    A Globo sabe que ela é a unica que pode mitigar os impetos dos crianções concurseiros; e está apostando todas as fichas nisso. Ela sabe que com uma ou duas semanas de jornal nacional nenhum juiz, promotor ou delegado bota a cabeça pra fora. A ninguém é dado o privilégio de ignorar, por exemplo, que nada aconteceu ao aliciaram uma funcionária da Receita Federal para dar sumiço em um processo de centenas de milhões de reais, e ser considerado credenciado para um debate responsável ou razoável…

    Por isso o PMDB sabe que algum acordo só é possível agradando a Globo, coisa que, no nível de molecagem e baixaria que chegou, só a capitulação ou aniquilação total do PT permite.

    Não há ouitra saida, portanto, para o PT: ou enfrenta a globo e carrega pra sempre a pecha de conciliação com a “classe política” ou deixa que eles se recomponham imediatamente após acabarem com a “raça dele”.

    …Se destruir esse monstro de manipulação e chantagem criado pela ditadura, talvez o maior entulho que a sociedade brasileira carrega até os dias de hoje, acho que o PT faz jus a seu bilhete pra entrar para a história pela porta da frente….

    Afinal, não foi a conciliação que o PT propôs em 2002?!

    Pra usar uma linguagem já antiga: que cumpra seu papel histórico com alguma dignidade, pelo menos…

    E lembrem-se: quem rompeu foi a Globo, ora, ora! A oposição parlamentar sempre esteve de fora (o Aécio nem tanto….)!

    Ou seja, na negociação com o PMDB o Lula deveria pedir explicitamente a cabeça da globo; para o bem da República, em primeiro lugar, e dos dois partidos!

    E depois, depois cada um seguiria com o que restar de suas forças…. Sem financiamento de empresas a Democracia superaria maravilhosamente bem, eu suponho,

    Que fique claro que esse tudo ou nada não é dado só por questões materiais, não; mas por rixas ideológicas que tornaram qualquer acordo em bases claras e transparentes impossível – acordo que de algum modo chegou a transcorrer nos últimos anos, diga-se, ainda que com atritos explícitos.

  15. Quem sabota a recuperação econômica é o PT

    Com a sua pauta econômica suicida, e não a lava-jato. Façam o favor de dar nome aos bois, né….?

    • Errado. Fazem 2 anos que a
      Errado. Fazem 2 anos que a Lava Jato paralizou as empresas nacionais de construção pesada no Brasil.
      Paralizou as empresas e parou as obras, que se continuarem assim serão grandes elefantes brancos e um crime muito maior pelo prejuízo causado por essa ação dos investigadores , Moro e MPF.
      Provocaram e estão provocando com isso forte desemprego em toda a indústria ligada direta ou indiretamente com as obras que essas empresas vinha realizando no Brasil e fora do Brasil. O impacto não é só no desemprego mas na quebra dessas empreiteiras.
      O estrago na economia é imenso muito maior do que qualquer corrupção e dinheiro recuperado.
      Não acredito na recuperação da economia enquanto essa Operação Lava Jato continuar paralizando as empresas e paralisando um dos braços mais importantes da economia e que interfere diretamente na vida da população. O mais estranho é que essa investigação é eterna não tem data pra acabar por isso mesmo é os fatos mostram que existe uma motivação política por trás, interesses pesados de fragilizar a economia o governo e as empresas preparando assim o terreno para a o golpe, e a tomada de poder pela direita, mas com o estado policial no controle do poder e assim dilapidar o pratrimonio publico via privatizações em massa e entrega das riquezas nacionais e inviabilar por.completo qualquer projeto nacional e independente.

  16. Nassif

    E aí, como é que fica?

    Lendo o artigo fico com a imagem de uma briga que começa numa mesa da boate, e minutos depois está a boate inteira destruída e todos machucados. Não sobra nada nem ninguém de pé.

    Quem vai governar o país se esse processo insano não for interrompido?

     

  17. Pontos a comentar

    1 – a liberação de trechos da delação na semana retrasada foi uma jogada brilhante pra esvaziar as manifestações e mesmo esse estalinho de hoje. Fico mais confiante que foi obra do planalto + PGR + Cardozo. Quando não temos controle dos eventos, tentamos controlar a velocidade ou narrativa. E foi o que o Planalto fez: já que ia vazar mesmo, que vaze no nosso momento.

    2 – continuo com a teoria que o PGR está envolvido em guiar a narrativa da LJ na direção que interessa ao governo: blindar o Aécio interessa ao planalto, oferecer N denúncias contra o Cunha e, agora, contra o Renan interessa ao planalto. A delação do Delcídio empurra todos os jogadores para buscar um consenso: se o que ele falou é verdade, acabou a festa pra todo mundo – exceto Serra – e que talvez seja interesse do Planalto.

    3 – nunca podemos esquecer que Dilma/Lula/JW estão tentando impedir um golpe judicial/policial patrocinado por um império em decadência. Se puderem usar isso pra limpar o ambiente político sem explodir no colo é uma jogada de mestre. E eu tenho a teoria é que este é o caso: tentar guiar a LJ pra mudar a configuração partidária/política do país. A idéia é usar cada movimento dos golpistas do MP – que estão sob vigilância do PRG, mas não controle – em direção a este objetivo, na crença de que sobrará um núcleo do PT após a tempestade. O PGR faz um jogo dúbio para poder acompanhar de perto – e se necessário – desarmar movimentos. Isso seria muito ruim, pois exporia a estratégia do planalto.

    • teses interessantes, mas oq

      teses interessantes, mas pq interessa ao planalto blindar o carbonario Aecio Neves?

      O espeeeeeeerto e maleavel $erra tudo bem…

      Queria muito acreditar que esse fosse o caso, mas acho que eh whoshful thinking achar que o planalto ainda ta no controle.

      • Resposta

        Eu enxergo vários motivos para manter o Aécio solto:

        1-impede ele de se fazer de vítima de perseguição política como aconteceu na Venezuela;

        2-expõe a hipocrisia dele como porta-voz de uma oposição patética. Exemplo: quando saiu a delação do Delcídio, ele e tropa correram pra anexar no pedido de impedimento da presidenta. E agora que o nome dele apareceu vai dizer que é mentira do Delcídio? Como assim? Só metade é mentira?

        3-Aécio Neves solto estimula a divisão de uma oposição natimorta na luta pelo segundo lugar em 2018;

        4-Mantém o Serra e o Alckmin ocupado tentando sabotar a candidatura dele;

        5-provavelmente atrapalha os planos do Orquestrador. Explico: ainda não está claro pra mim se o orquestrador trabalha ajudando a oposição ou se ele É a oposição. Se ele é a oposição, ele está começando pelo PT, que é o partido mais forte do país e depois vai destroçar o que resta da oposição atual.

        O Planalto não está no controle assim como o Orquestrador também não. Mas todos tem as cartas na manga pra usar conforme a necessidade. Apostava que a carta Lula Ministro não seria usada tão cedo. Acho que algum movimento do Orquestrador obrigou essa jogada.

        Exemplo: a divulgação da delação do Delcídio fora dos meios usuais (Veja e Época) atrapalhou um ponto alto no objetivo de inflar as Manifestações. A não-prisão do Lula – um dos cenários mais esquisitos e que ninguém se animou a desvendar – atrapalhou outro ponto alto dos objetivos do Orquestrador.

        • Todas consideraçoes muito

          Todas consideraçoes muito interessantes. Mas a nossa discussao foi atropelada pelo (nao)evento de hoje: Aecio devidamente jogado ao mar. A prancha da qual ele foi jogado do navio? Diego Escostegy/Epoca. Que ironia! Ou nao..

          O mesmo do tweet que furou a conduçao coercitiva em 4h.

          O orquestrador podia disfarçar melhor. Ou ja e pra ser acintoso mesmo e mostrar que nao tem medo de nada?

        • Todas consideraçoes muito

          Todas consideraçoes muito interessantes. Mas a nossa discussao foi atropelada pelo (nao)evento de hoje: Aecio devidamente jogado ao mar. A prancha da qual ele foi jogado do navio? Diego Escostegy/Epoca. Que ironia! Ou nao..

          O mesmo do tweet que furou a conduçao coercitiva em 4h.

          O orquestrador podia disfarçar melhor. Ou ja e pra ser acintoso mesmo e mostrar que nao tem medo de nada?

        • Todas consideraçoes muito

          Todas consideraçoes muito interessantes. Mas a nossa discussao foi atropelada pelo (nao)evento de hoje: Aecio devidamente jogado ao mar. A prancha da qual ele foi jogado do navio? Diego Escostegy/Epoca. Que ironia! Ou nao..

          O mesmo do tweet que furou a conduçao coercitiva em 4h.

          O orquestrador podia disfarçar melhor. Ou ja e pra ser acintoso mesmo e mostrar que nao tem medo de nada?

          • Em observação

            Foi o Orquestrador? Ou atrapalha ele?

            Supondo que o Orquestrador não vá atropelar a oposição até acabar com a situação, isso é ruim. Está adiantando capítulos guardados pro futuro.

            Supondo que a Globo não sabe dos planos do Orquestrador e que é só uma peça.

            Se o Orquestrador faz parte da oposição – e eu ainda não tenho certeza – foi um tiro no pé dado pela Globo. Mas quando analisamos o fator Aécio temos que levar em conta o fator Serra. Serra possui um apoio midiático muito grande, e o Delcídio passou a léguas dele mesmo sabendo tudo sobre Preciado. Serra possui financiamento muito forte – petroleiras, alstom, e as mutretas no nome da filha. Serra tem um histórico de criação de dossiês e de dominar a contra informação.

            Eu diria que ele é o maior beneficiado com a LJ até o momento. Aparece pouco, costurou o PL da Chevron e está costurando o parlamentarismo.

            Mas rifar o Aécio e receber no colo o Serra não sei se é uma idéia muito boa. O importante pro governo é não criar mártires na oposição.

            A delação do Delcídio pode servir pro governo pressionar mais ainda a cúpula do PMDB e cabeças do PSDB, já que estrago mesmo só causou no Mercadante – que já não é muito bem vindo.

            Lula ministro, novo ministro da justiça, dívidas dos estados. Parece que a situação planeja um ataque ao Orquestrador.

  18. Parabéns Nassif bela análise, mas

    “Fato 2 – Lava Jato e o estado policial.

    É ilusória a ideia de que o afastamento de Dilma ou a prisão de Lula faria cessar o jogo político da Lava Jato.”

    você sabe que vivemos no país do cinismo e da hipocrisia, no dia posterior a queda a mídia virá a cabestro para o outro lado, e a lavajato virá castelo de areia 2.0. 

    • Também acho possível que isso ocorra…

      Não diria com tanta convicção que a Lava-Jato continuaria com o mesmo ritmo e intensidade após eventual queda de Dilma/Lula/PT. O Alto Comando já mostrou o lado dele. Se a força-tarefa lhe é subordinada, por que eles não cessariam diante de eventual ordem de cima e da abrupta perda de apoio midiático, que, aiiás, pode se virar contra eles – vide caso do Procurador Francisco, do fusca?

      Único ponto controvertido dessa análise, ao meu ver. De resto, me parece tudo muito coerente e claro. 

  19. Nada funcionará…

    Nada funcionará… absolutamente nada funcionará enquanto não forem neutralizados os irmãos Marinho e sua imensa máquina de fazer idiotas… NADA!

    Bem vindos ao ADMIRÁVEL MUNDO NOVO!

    Eles tocaram fogo no país; agora só eles podem apagar. O resto? Detalhes.

  20. Concordo com a hipótese do

    Concordo com a hipótese do “Alto Comando”, mas considerar o PSDB carta fora do baralho é ignorar quem manipula as manifestações. Sim, *dentro* de uma multidão não há controle e sobra pro PSDB também, mas eliminados os adversários (Lula e Dilma), o pacto da elites volta a valer e toda a destruição a serviço dos golpes cessa:

    O noticiário murcha, as ilegalidades do estado de exceção são reprimidas com já deveriam ter sido.

    O “povo” da av. Paulista volta ser convencido que os tucanos não são tão ruins assim. Afinal, melhor eles que o Bolsonaro.

    Mesmo entre os “revoltados” há um volume considerável que consegue aturar o tucanos mesmo com todos os desvios. Os que xingaram o clubinho de Alkmin e Aécio eram provavelmente ex-eleitores da esquerda em algum ponto mas cederam envenenados pela mídia, então são imagino que sejam uns iludidos, mas não hipócritas.

    E o pulo do gato, o dinheiro que vinha irrigando os protestos será guardado para influenciar na eleição de 2018. Sem alguém marcando os protestos, e sendo financiado sabe-se lá da onde (vamos fingir que não sabemos), esse pessoal vai ficar em casa reclamando que o Haddad fechou o trânsito na paulista aos domingos e pintou as ciclovias de vermelho.

    Bônus: fica um arzinho de impunidade disponível para manipular a “massa cheirosa” sempre que for necessário; e quando for possível redirecionar o foco para um alvo útil.

    Mídia e tucanos tem relação antiga e mutualmente benéfica ($$$), e pra abandoná-los só se o barco já estiver afundado. Marina, p.ex, nunca será opção das “zelites”. Vejam como a Marta foi recebida na manifestação, e ela é loura de olhos azuis 😉

  21. Fingimos

    Fingimos não perceber o grande clima de sabotagem da economia do Brasil, por conta do Mensalão, Lava Jato, e das gigantescas badernas iniciadas em 2013 com surpreendentes saques e depredações de lojas, agências bancárias, concessionárias de veículos, incontáveis incêndios de ônibus e viaturas. Os mais diversos vandalismos sobre patrimônios públicos e privados, objetivando derrubar o excelente clima econômico Dilma/PT da época, os mais robustos dos últimos 50 anos.

    Fingimos não perceber que toda a gigantesca e bem coordenadas badernas por todo o Brasil, acompanhadas de diárias e sistemáticas coberturas da grande mídia “livre”, visa quebrar o ânimo e a confiança dos investidores internos e externos, empurrando nossa economia para o caos.

    Fingimos não perceber que por detrás de todos os impensáveis e bombásticos acontecimentos dos últimos tempos, jamais imaginados, como Mensalão, Badernaços e Lava Jato, encontra-se a eficiente coordenação da turma de preto, com agentes em todos os lugares, profissões e cargos, dos mais simples aos mais importantes, inclusive, na Mídia, Justiça, Congresso e Ministérios.

    Fingimos acreditar que todas as acusações de roubalheiras propositadamente centradas na Petrobras, decorrentes da Operação Lava Jato, teria o único objetivo de moralizar essa estratégica, importantíssima e lucrativa empresa estatal, nunca mesmo, desmoraliza-la diante do povão visando sua privatização, apesar do intenso bombardeio midiático junto com o PSDB, o partido das privatizações.

    Fingimos já ter esquecido o gigantesco desastre econômico e financeiro das privatizações FHC/PSDB, com prejuízo global a valores de hoje, diretos e indiretos, em mais de R$ 10 trilhões. Na época fez milhares de falências e desempregados por todo o Brasil, sucateando nossa indústria. Acabando por situar nossa telefonia entre as mais caras do mundo e de pior qualidade. Deixando nossa energia elétrica entre as mais caras do planeta.

    Fingimos não perceber as coordenadas e perversas ações de sabotagem da economia brasileira nas avalanches diárias de notícias ruins (verdadeiras e falsas) divulgadas pela grande mídia “livre”,  nas diversas ações jurídicas e insólitos comportamentos de alguns membros da Justiça, inconsequentes, resultando na paralisação de importantíssimas e estratégicas obras, debilitando incontáveis empresas brasileiras, causando gigantescos prejuízos aos cofres públicos e privados, fazendo milhares de desempregados e de falências.

    Fingimos não perceber que poderosas forças, juntos com a grande mídia “livre”, procuram destruir tradicionais grandes empresas privadas brasileiras, altamente qualificadas, experientes e conceituadas, possuidoras de notáveis currículos em grandes obras por todo o mundo, maldosamente, procurando confundir a própria empresa com as acusações de delitos a seus executivos e funcionários, visando causar gigantescos prejuízos morais e financeiros a essas importantes empresas brasileiras.

    Fingimos acreditar que as grandes roubalheiras só começaram a acontecer com a chegada do PT ao Poder.

    Fingimos acreditar que a grande mídia “livre”, é realmente livre, não é corrupta, nem está ligada a grandes interesses internos e externos, estranhos aos interesses do povo e do Brasil.

    Fingimos acreditar que a Justiça, tornou-se realmente cega, competente e honesta, nada a ver com o seu triste, passado e presente, de altos integrantes envolvidos em coisas erradas e criminosas.

    Fingimos acreditar que essa última grande manifestação de domingo, em várias capitais, teria sido manifestações livres e autênticas do povo, nunca, comandadas pela turma de preto (que desta vez foi de verde e amarelo).

    Até quando vamos continuar fingindo?

    Como nunca antes, o Brasil precisa da proteção de Deus e de patriotas de muita coragem.

    • mandou muito bem…
      parabéns,

      mandou muito bem…

      parabéns, cara…

      fingimos tanto que a realidadea GORA NOS APAVORA…

      ESSA RELAIDA INVENTADA PELOS GOLPISTAS…[

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

      mandou muito bem….

      parabéns.

      fingimos tanto que só  agora

      essa construção golpista nos apavora…

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

    • e qualquer outro núcleo recuaria…

      porque é jogo de quem quer impor sua lei, talvez outra, talvez estranha

      e nesta condição, futuro duvidoso, a melhor lei é a que qualquer núcleo já tem e não respeita

      • gente do céu, entendam…

        e só me refiro ao céu porque estou em pé no ombro do Nassif, digo, de um gigante

        que todo mundo se agrupe e parte pra cima juntos, porque a metralhadora tá numa base giratória

        • brinco assim porque já tou com 60 e tal…

          o e tal vem de tantos outros anos iguais

          não vai mudar nada, mas,

          não precisaremos nos preocupar com torturas do passado

           

           

          um ótimo… para todos………….o quê?………………..uma ótima……………sei lá o que…………onde estou? que ano é hoje para todos?

  22. É preciso lembrar que Moron

    É preciso lembrar que Moron tem para sí informações de toda a república, inclusive juízes e imprensa. 

    Pelo que se viu nas manifestações, Moron foi picado pela mosca azul e a Globo caiu na armadilha dele. A Globo ficou sozinha pois nem o PSDB tem como livrá-la de uma investigação qualquer do serviço Moron de inteligência, seja parati, seja fifa, seja receita federal. Tudo muito fácil com uma ou duas delações feitas em qualquer canto, principalmente com cooperação internacional. É só a Globo piscar que o tal juiz manda bala. Não ví até hoje a Globo ser mandada.

    O PT já passou pelo pior, agora temos repetição da repetição. O PSDB e o PMDB estão nas mãos do Moron e seu segredo de justiça parcial. Quais os segredos de Moron?

    Temos então que Todos os partidos, o Supremo, e a imprensa, especificamente a familia Marinho,, estão debaixo da espada do Moron. 

    Será que eles se manterão ajoelhados por muito tempo?

  23. Volto a dizer o hipotético

    Volto a dizer o hipotético pós-golpe é imprevisível, a turma da lava a jato megalomaníaca acha que depois de tudo vai abrir champanhes e pousar para fotos como os mais novos salvadores da pátria.

    Erro crasso, nem o maior cientista político do planeta é capaz de prever o cenário, uma coisa posso afirmar não haverá vencedores no caos que se instalará, é inimaginável simplesmente achar que a esquerda e os movementos sociais irão para casa com a cabeça baixa lamber as feridas como bons perdedores enquanto a globo saúda os novos tempos.  

  24. Quem comanda a Lava Jato?

    Nassif

    1-O Ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, tem em mãos algumas alternativas interessantes de retomar investimentos em saneamento com participação da iniciativa privada, em cima do encontro de contas com Estados e Municípios. O padrão Dilma, no entanto, é o receio de que um respiro mais forte e a água entrar pelo nariz. Talvez com Lula chegando, possa ser rompida a inércia.

    Nassif me recordo de uma entrevista do ex-ministro Palocci no programa Roda Viva, lá você perguntou para ele por que não fazer um grande encontro de contas de municípios, estados e o ente federal, acredito que foi final de 2002 inicio de 2003, ou seja se passaram 13 anos para agora cogitarem fazer o óbvio, dá raiva viu?

    2-Cardozo, o maior mistério da era Dilma: Algum dia Dilma Rousseff terá que esclarecer os motivos que a levaram a manter Cardozo durante tanto tempo em seu governo. Sua presença é uma ofensa a todos que se empenham em lutar pela manutenção das regras democráticas e contra o impeachment.

    Decididamente, não é normal essa complacência de Dilma em relação a seu Ministro.(( tenho curiosidades a respeito desta charada ).

    3- Quando você escreveu: Chama a atenção o fato de, na delação do senador Delcídio do Amaral, nenhum procurador ou delegado ter manifestado a mais remota curiosidade sobre o papel de Gregório Preciado – ligado ao senador José Serra – nas relações com empreiteiros. Como se recorda, Preciado foi expressamente mencionado por Delcídio no grampo armado por Bernardo Cerveró – o filho de Nestor – que serviu de base para a prisão do senador.

    Nossa Senhora de Aparecida, você já matou a charada do item 3, A Mãe de todas as Charadas, quem é pelo menos no Brasil ,o “Grande Chefe” da Lava Jato,:Aécio, Alckmin –  ACORDA MENINOS,kkk!!! 

  25. Se a Lava Jato está travando

    Se a Lava Jato está travando o país economicamente, e as principais empresas estão sendo afetadas, inclusive as que prestam serviços para as FAs.

    Nesse caso não é uma questão de segurança nacional ? Os milicos não estão sendo afetados ?

    Eles não podem questionar a postura do Moro ?

    Ou o poder desse juiz de primeira instância está acima de tudo e de todos ?

    Alguém em algum momento vai ter que dá um basta nesse juiz.

    • Gilson,

      quem tentar dar um basta nesse árbitro de Curitiba vai ter que enfrentar a Rede Bobo. Quem se abilitaria?

  26. Novos velhos atores

    Com os atores atuais não há mais saída política.

    PSDB, PMDB e PT tinham grandes possibilidades de ficarem um século dividindo o “poder”, mas parece que Lula, se convenceu que realmente fora o melhor presidente da história do país, o melhor do mundo neste século, como ele mesmo repete. Desprezou todos os ventos que lhe foram favoráveis e se achou realmente imbatível e resolveu dar o “gorpe” na política, elegendo uma substituta apolítica e teleguiada.

    Está aí o resultado.

    Lula aderiu ao extremo centro para se eleger e tentou se apossar dele. Mas não combinou com os russos.

    A burguesia não gostou nem da audácia de Lula e nem da incompetência dos tucanos que, enfiados em brigas internas, não fizeram seu papel de oposição e opção de poder.

    Hoje só há um quadro possívei para a burguesia, a qual interessa a volta da calmaria, que é boa para os negócios. E não a briga de seus lacaios políticos.

    Vão ter que apresentar alguém que reaglutine o extremo centro, por que a radicalização entre grupos fascistas como o de Bolsonaro de um lado e o PSOL /PSTU de outro é tudo que eles não precisam.

    Enquanto isso, tem um senador quietinho, trabalhando com o ex-marqueteiro de Aécio. Até um partido imaculado já arrumou. Não por acaso, é o que tem menos rejeição a nível nacional.

    E o eleitor brasileiro adora o extremo centro.

     

    • E quem seria esse senador?

      Serra

      Cristovam

      Romário (mesmo com as contas na Suíça)

      Reguffe (com um discurso de austeridade, mas que seria agradável ao empresariado e a classe média)

       

  27.  
     
    O golpe foi dado .
    Muita

     

     

    O golpe foi dado .

    Muita gente terá que se preparar para militar na clandestinidade.

    Os  aparelhos repressivos aguardam ordens .

    E o  Brasil levará uns 200 anos para reerguer sua industria.

    Janot/Alto Comando, Tio Sam  saberá retribuir .

  28. Uma Nova Alemanha Sulista

    Uma Nova Alemanha Sulista nazista nascerá nesta nação?

    A tendência é que sim,pelo momento e pela manifestação da Paulista

    Ví grupos de extrema direita sabe-se lá financiados por quem, e muito organizados, ví pessoas INSANAS!

    Aécio e Alckmin vaiados na manifestação nos deram uma grande dica q eles tb não sairão vitoriosos

    COM CERTEZA HAVERÁ UM VÁCUO DE PODER Q SERÁ OCUPADO POR ALGUÉM,quem será?

    NAZISMO!     FASCISMO!     DITADURA POLICIAL/JUDICIÁRIA!    OU  A   NORMALIZAÇÃO DA DEMOCRACIA!!??

    ESTA LUTA POR PODER NÃO VALE, PELO QUE PASSAREMOS POSTERIORMENTE À ELA!!!

  29. O Nassif esqueceu de dá mais

    O Nassif esqueceu de dá mais uma opção, NRA, que é a minha.

    Se a situação econômica melhorar nos próximos meses, melhora todo o ambiente politico como um todo.

    Alguns analistas duvidam que o PMDB com sete ministérios, desembarcam do governo próximo de eleições municipais.

    Segundo alguns analistas, ministério é uma máquina de fazer prefeito e vereador, e o PMDB não vai nesse momento entregar a rapadura.

    O PMDB é igual a corno, reclama que foi enganado, que não merecia isso, diz que vai embora, arruma as malas…

    No final volta para os braços da mulher amada, diz que não sabe viver sem ela.

  30. A SAÍDA
    “Aonde fica a saída,
    A SAÍDA

    “Aonde fica a saída, perguntou Alice ao gato que ria.
    Depende, respondeu o gato. De quê, replicou Alice.
    Depende de para onde você quer ir”. (Lewis Carroll)

    O mundo político, os veículos de comunicação e parte da sociedade brasileira discutem a saída para a atual crise que nos envolve. A primeira questão que formularia é: qual crise?
    Iniciemos pela crise política. O que mais evidente sobressai das manifestações da classe média alta, neste domingo 13 de março, é o desencanto com os políticos e a política. Tanto que, além das críticas e agressões ao Governo e ao Partido dos Trabalhadores, foram também vaiados e excluídos líderes oposicionistas como o Governador de São Paulo, o Presidente do PSDB e a Senadora Marta Suplicy.
    Mal informada e acrítica, esta parcela da sociedade adota como solução uma das causas da crise política: a judicialização da política. Grande parte desta situação cabe às mídias que, desde o julgamento do “mensalão do PT”, colocam como heróis os membros do judiciário que condenam parlamentares e dirigentes partidários do PT e de seus aliados.
    Ao erigi-los heróis, os magistrados se asseguraram de uma divindade que repele qualquer ingerência de outros poderes, normais tanto ao Executivo quanto ao Legislativo (TCU e vetos), e qualquer ressalva a suas atuações, mesmo quando em flagrante desrespeito às leis.
    Assim, estende uma crise política à econômica, que ultrapassa os limites do que é importado de um mundo em permanentes e sucessivas crises econômicas desde 1987.
    Verificar o exemplo norte-americano, tantas vezes chamado para orientar nossas decisões, é também relevante neste caso.
    Primeiro porque não há nos Estados Unidos da América (EUA), o Ministério Público, aqui já designado o Quarto Poder. Os promotores, procuradores são nomeados e demitidos politicamente ou eleitos por mandatos de 4 anos. Não há uma burocracia atuante e autônoma, mas uma política que defende um interesse conhecido.
    Depois, e mais relevante, as empresas norte-americanas são consideradas bens nacionais. É inimaginável uma Lava Jato destruindo um patrimônio técnico, econômico e administrativo nacional. O conhecido caso de corrupção da Lockheed foi resolvido com multa, demissão de alguns executivos e sem dano maior à empresa e sua atuação. Cito apenas um exemplo, mas todo profissional de empresa com alguma vivência internacional lembrará de centenas ocorridos nos EUA.
    Em recente programa de debate em televisão aberta, o participante, conhecido consultor de empresas norte-americanas, afirmou que qualquer resposta que fosse encontrada para a crise política brasileira (por sua participação, a saída da Presidente Dilma parecia ser sua escolha) o fim da Operação Lava Jato era indispensável. Este consultor sintetizava a crítica que vem sendo feita ao Judiciário, despreparado nas questões econômicas, sociais e políticas, atropelando, com a limitada ótica processual, qualquer ação governamental.
    Cita-se com frequência paradigmática a Operação Mãos Limpas de 1992, na Itália, um “espetáculo da mídia”. Naquele ano a Itália era a 5ª maior economia do mundo. Em 2015, conforme o World Economic Outlook Database, do FMI, passara para 9ª, atrás do Brasil em recessão.
    Vejamos a crise econômica.
    Desde 1990 o sistema financeiro internacional vem ganhando poder e se fortalecendo em todo mundo. Basta ver que a França, do socialista Hollande, a Alemanha, da democrata cristã Merkel, o Reino Unido, do conservador Cameron, tem rigorosamente a mesma política macroeconômica. Seria uma desconhecida identidade entre o socialismo, a democracia cristã e o conservadorismo ou um mesmo poder comandando estas políticas?
    A rebeldia nacionalista russa de Putin tem-lhe valido embargos econômicos, rebeliões em países de sua área de influência e movimentos de autonomia dentro da Federação Russa. Igualmente as políticas nacionalistas dos Kirchner, de Evo Morales, Rafael Correa os junta sob o pejorativo “bolivarianismo”.
    Seria então possível neste momento uma política nacionalista no Brasil? Assumiria o Estado sua função de alavanca desenvolvimentista com investimentos diretos e ações nas áreas de energia, infraestrutura, liberando a Petrobras para investir no pré-sal? E ao arrepio de uma oposição de ideário neoliberal?
    Vivemos um momento que exige coragem. O grande desafio será enfrentá-lo mantendo a democracia tão recentemente conquistada. Ou estaria a sociedade – e aqui me refiro aos negros, às mulheres, aos pobres, às classes médias e mesmo a elite – disposta a mais uma vez abrir mão de sua liberdade para um regime de força?
    Não sei qual pacto seria possível, mas como administrador penso que a própria Reforma do Estado deveria constar deste acerto.
    Pedro Augusto Pinho,avô e administrador aposentado

  31. O que foi decidido pelas urnas…

    A “solução” para mim, SÃO OS MINISTROS MILITARES chegarem bater a mão na mesa e falar…

    Acabou meninada, vamos todo mundo voltar a trabalhar…

    Vamos bancar a Dilma até 2018 e depois das eleições, O POVO escolhe seu novo candidato!

    Teremos uma Guerra Civil se alguem não bancar o que foi decidido PELAS URNAS!

  32. Discordando…

    Prezado Nassif,

    “É ilusória a ideia de que o afastamento de Dilma ou a prisão de Lula faria cessar o jogo político da Lava Jato.”

    Discordo em gênero, grau e número.

    A operação jurídica-polícial só consegue mobilizar a opinião pública e causar “clamor” se a força mídiatica ecoar sua mensagem para o povo.

    O povo pressiona a força política que transforma este clamor em atos administrativos efetivos, capazes de derrubar governos ou no mínimo balançar o equilíbrio de forças.

    Se a força midiática fizer um acordo com a força política, a força jurídica-policial some de tudo.

    E, se ousar aparecer, pode ter sua existência resumida em narrativas não muito favoráveis.

    A questão apenas é: quanto vai custar este acordo ?

    O poder está com a força midiática, ainda.

    A força midiática é o nosso “governo paralelo”.

     

    • A questão parecer ser um

      A questão parecer ser um pouco mais complexa. Como Nassif destacou em outro post, existe uma investigação sobre a Globo decorrente da cooperação com o FBI. Mas esta investigação está em banho maria. Esta é uma carta na manga do Alto Comando da Lava Jato para manter a emissora apoiando operação por tempo indeterminado.

      Quanto às instâncias superiores do Judiciário, parece que há um temor de que se investiguem os padrinhos políticos dos magistrados ou vida particular destes. A tendência é que os tribunais superiores não interfiram na Lava Jato.

      A Lava Jato parece realmente que não vai parar em Lula e Dilma. Os petistas são o alvo do momento porque, do ponto de vista estratégico, é melhor derrubar os adversários um a um do que combater todos ao mesmo tempo.

       

  33. Pronuciamento do Cunha

    E, quando Cunha anunciou seu ‘pronunciamento do Presidente da Câmara à Nação’ e teve delação vazada na VÉSPERA do grande dia, a ingêncua aqui pensou “nossa, que coincidência”.

  34. Não acho que o PMDB está se

    Não acho que o PMDB está se mobilizando para desembarcar do governo por falta de alternativas econômicas para o país, e sim por alternativas econômicas para o próprio bolso dos parlamentares; alguns deles querem blindagem do PSDB para se livrar da Lava Jato.

    A mafia do mercado financeiro ora manda prender, ora manda soltar as presas da justiça.

    Lula tem estrela própria.

       

     

  35. Lutar mais uma batalha

    Além da minha idéia que seria uma solução com Dilma, talvez a melhor solução seria convencer Temer a renunciar para que Dilma saísse depois. Dizer para ele que não valeria atender a vaidade da Marcela para ser primeira-dama não compensaria o ódio eterno da esquerda e os perigos a partir de 2018. Cunha seria convencido que não valeria a pena ser o presidente tampão a menos que causasse mais caos e problemas políticos e Renan também. Lewandowski seria o presidente interino. A eleição seria em junho/julho o que não contaminaria a eleição municipal. Uma votação na câmara do impeachment por si só já seria periogosa. Imagine o Russomanno votando.

    Lula sairia como candidato. Seria uma campanha modesta, sem grandes ambições ou atropelos. Baseada na contribuição de pessoas físicas, sem jatinhos, voando de classe econômica. A eleição não seria um referendo sobre Dilma, mas sobre a pessoa Lula. Qualquer atuação da Lava Jato seria facilmente caracterizada como manobra eleitoral. E o foco ficaria desviado para a eleição. Os tucanos estariam em tal situação que Aécio não seria um candidato viável para o mandato-tampão, muito menos FHC com sua relação com a Brasif. O candidato seria Serra, por W.O. O DEM talvez viria com Caiado para tumultuar os debates. O PSOL poderia botar um Jean Wyllys para tirar votos a esquerda e Eduardo Jorge para dar um discurso verde. A minirreforma eleitoral não se aplicaria com o tempo de filiações, nem as restrições aos debates. Isso talvez uma candidatura Marina, Bolsonaro ou de Ciro ficasse inviável, já que eles teriam menos de um ano de filiação. Barrar os três seria uma solução salomônica. E teríamos Fidelix, Eymael e um ou outro para completar.

    Lula talvez só fizesse uma coligação com o PC do B e mais um ou outro partido. A vice seria a Jandira. Pouco tempo de TV em comparação com as campanhas de Dilma, mas o suficiente para ter combatividade, sem contar as redes sociais, verdadeiro QG da campanha. Fazer uma campanha PT à moda antiga, com um jeitão de Brizola, sem marqueteiro. Tiradas inteligentes e muita combatividade. Já formatar um programa econômico e uma proposta de reforma da previdência que protegeria o governo de qualquer acusação de estelionato eleitoral. E bater em coisas como terceirização, autonomia do banco central e etc.

    Se ganhar, seria uma coisa linda, seria o nosso Milagre da Casa de Brandenburgo (Frederico, o Grande, na Guerra dos Sete Anos). Retomar o controle do congresso e dar um mínimo de estabilidade. Sairia da presidência de cabeça erquida, sem um Moro para tumultuar. Se perder, as forças progressistas poderiam se reorganizar, com Lula ou sem Lula, inspiradas no legado deste.

  36. O fato é que desde de que

    O fato é que desde de que Lula subiu o tom no aniversário do PT o nível e o risco das jogadas de todos os lados aumentou. Tanto Lula, o governo, a oposição, a Globo, o Moro, o supremo aumentaram o tom, convorme o momento uns atacam e outros se devedem.  O que é um avanço já que até aqui era um lado atacando e outro devedendo. O jogo tá franco e aberto, é claro que o governo, PT e Lula estão em perdendo mas já não estão parados. 

    Todos sentiram os golpes e contra-golpes:

    O Moro e a Lava Jato atacaram e foram atacados e sentiram a repercusão negativa da condução de Lula.

    A Globo atacou e foi atacada e também sentiu a ligação do Triplex, do escandalo da Fifa e CBF.

    A oposição atacou e sentiu o contra-golpe com Aécio e outros envolvidos em corrupção.

    O governo e Lula foram os mais atacados e os que mais sentiram, mas também atacaram o governo trocou o ministro da justiça e foi derrotado e teve que trocar novamente mas pareçe que agora fez uma escolha melhor, agora com a possível ida de Lula para o ministério é um grande ataque que já tem várias frente de contra ataque.

    Cunha também tem réves na justiça mas controla a camâra ainda.

    O PMDB ataca o governo e é atacado mortalmente por demúncias de todas as partes.

     

  37. O poder judiciário sempre foi

    O poder judiciário sempre foi visto por todas as classes sociais como o mais corrupto e mais improdutivo setor da sociedade. A justiça é cega, muda e surda sempre foi dito. Que no Brasil só se prende os 3 P.

    Portanto mesmo que agora turbinado pela mídia, e pelo sentimento da classe média paulista de tirar o PT de qualquer geito do governo a justiça é muito falha e as pessoas sente isso no dia a dia.

    Ontem a justiça através do MP consedeu perdão a um procurador que manteve a sua esposa em carcére privado, o prêmio foi um cargo vitalício, já que estava em estágio probatório. 

    Ou seja o MP, a justiça é muito falha, tem telhado de vidro. Quando a Globo quiser acaba em dois toque com a farra do MP.

    Então o jogo tem que ser centrado no partido de oposição chamado Globo. Tem que investigar os esquemas com a Fifa e a CBF. Investigar a sonegação da RBS e da própria Globo. Tem que centrar fogo na Globo. O goverrno e o PT podem até perder a batalha hoje, mas no futuro próximo podem colocar a Globo no seu lugar que é de informar e não de manipular.

    Resta ao governo tentar melhorar a vida das pessoas e não na sua sobrevivência, até porque se Dilma cair o mundo não vai acabar. Pode haver retrocessos, mas tudo pode ser melhorado se o PT mantiver firmesa. Não importa se na próxima eleição o PT eleger 20 ou 40 deputados, porque se eleger 80 ou 90 não vai poder governar sozinho.

    Eu prefiro o PT voltar o governo em 2022 com 130 deputados do que se manter no poder sem representatividade no congresso. Porque uma derrota em 2018 vai até fazer bem para o PT, porque rompe o ciclo do poder.

    Claro que o PT se for derrotado seja agora pelo golpe, ou em 18 nas urnas tem que fazer o inverso do PSDB. Primeiro renovar suas lideranças, depois montar uma proposta alternativa de desenvolvimento do Brasil, o que fez na primeira eleição do Lula, depois foi só complementação. Lula de certa forma consegui novas lideranças veja que os principais nomes, eleitoralmente falando, não eram conhecidos em 2002. A própria Dilama, Haddad, Jaques Wagnes, etc não eram conhecidas e os potenciais em 2002 são sombras hoje, o próprio Mercadante, Dirceu, Suplici, Marta, Cristóvão Buarque, Tarso Genro, Olívio Dutra, Helóisa Helena, exeção de Marina que mesmo saindo do PT é mais forte que em 2002.

    O principal ponto que o PT tem que levar em conta é que tem que jogar duro contra a oposição mas não pode cair na armadilha do PMDB. Se for para ser derrotado que seja lutando e não se vendendo. Pois o PT não pode por tudo as suas fichas na manutenção desse governo.

  38. O que está em jogo

    O cenário é o seguinte:

    1 Nas cidades do nterior do país muitíssimos politicos estão saindo do PT e migrando para outros partidos de esquerda. Prenúncio de debandada geral.

    2Lula provavelmente não será mais preso. Isto porque mais vale para a oposição e a Globo um Lula comandando um governo Dilma desastroso, e vão fazer de tudo para que ele fracasse do que simplismente prendê-lo. Se Lula naufragar no desastre do Governo Dilma será fim de jogo, e a oposição ganha. Obviamente que eles vão concentrar artilharia pesada no fracasso econômico. Lava Jato, alta da Selic, pautas bombas no Congresso, e tudo mais que tiver direito. Se preparem que a economia vai pegar fogo.

    3 Já descobriram que Moro está sendo mandado pelos EUA para destruir o Brasil. Ou seja, a prisão e queda de Lula e Dilma, não vão para o Juiz. Provavelmente, ele só vi dar a missão por cumprida qundo o Brasil estiver parecido com a Líbia.

    Talvez o país viva guerra civil, ou talvez vá se extinguindo sem conflitos, até acabar em nada. Talvez se esfacele em pedaços, ou talvez mantenha a unidade. Ninguém sabe, mas o certo é que estão lutando para destruir o país.

    Diante de um cenário destes, eu diria que até mesmo quebrar regras, pedir impeachment, trazer um parlamentarismo ou uma ditadura sem torturas seriam melhor do que ver o país destruido e dividido. Mas a questão é que não há garantias de que estas coisas iriam resolver, ou agravar mais ainda a situação. O que falta no momento seria um lider com visão, um estrategista exímio. O que resolveria sem dúvida, seriam as resoluções pelo bom senso, sem ódio principalmente.

    A visão de Lula se foi, no dia em que ele optou pelo republicanismo, se tornou nitido que nada sabe do que está fazendo. O cérebro do Governo Lula era o Dirceu, que está preso.Boa vontade apenas aqui, não ajudam muito.

    O republicanismo foi o fósforo inicial que começou este incêndio. Foi como abrir a jaula dos tigres e convidá-los a conviver “pacificamente” entre a população.

    No fim, é isto mesmo que os EUA desejam, que todos os países se tornem iguais a Libia, e assim, eles reinariam absolutos sobre a Terra sem contestações e sem nenhum perigo de potências rivais. A Líbia atualmente, nem existe mais como estado, são apenas grupos paramilitares armados lutando entre si pelo poder, sem lei nem regras.

    Cenário semelhante aconteceu com  queda do Imperio Romano do Ocidente, quando um bando de Imperadores loucos deu “autonomia ” para a guarda pretoriana. Sem demora, esta guarda assassinou o Imperador e leiloou o trono. O Império ficou em tamanho caos, que os bárbaros invadiram e destruiram o Imperio romano. E mil anos de trevas se seguiram, na idade média. Torturas, fanatismo religioso, insegurança. As pessoas se escondiam em castelos e fortalezas. Do lado de fora das muralhas, não havia a menor segurança. O continente europeu se dividiu em milhares de Reinos, um lutando contra o outro. A violência era tamanha que 20% das mortes de adultos eram em guerras. A classe dominante, a nobreza, explorou e espezinhou o povo ao máximo. Este é geralmente o resultado da decentralização do poder.

     

     

  39. Caro Nassif, só não concordo com você sobre

    as chandes de Lula mudar o jogo, que para mim não são pequenas, mas muito grandes.  Digo isto porque o momento político atual exige um estadista capaz de unir o que está desunido, sob pena de todos naufragarem. Lula é este homem  e todos os olhos e ouvidos se voltam a ele.  Quando ele assumiu jogar este papel, ele se colocou como o salvador da pátria, e digo isto no bom sentido, pois todos irão em romaria consultá-lo sobre o que fazer.   Não há menor dúvida de que Lula, mais uma vez  desempenha um papel de pai refundador do país que sonha com a paz e não aguenta mais este sangramento diário produzido por assaltantes afoitos em retomar o botim do qual foram afastados pelo voto popular.   

    Lula está entrando definitivamente para a História. Ele merece nossa reverência.  

  40.  A principal força contrária

     A principal força contrária aos interesses do País é o Alto comando, segundo o Nassif.

    É contra isso que todos os políticos devem se unir e derrotar.

    Inclusive buscando aliados nas forças armadas se preciso for.

    Caso contrário irão acabar com o sistema político que temos, irão fazer terra arrasada e levar o País há 20 anos de atraso.

    Já há rumores que vão denunciar, em breve, Dilma, Temer, Aécio, Mercadante e Lula, Vão denunciar todos. Ninguem vai escapar.

    Os políticos que se cuidem.

     

  41.  
    … É POR ESSA$$$ &$ OUTRA$$$

     

    … É POR ESSA$$$ &$ OUTRA$$$ QUE OS GOLPISTAS ESTÃO EM POLVOROSA! I
    E OS MARÍN(HO) ATIÇARAM O ‘AÉCIO FURNAS NEVES’ NA FOGUEIRA INCENSADA PELO PRÓPRIO DENUNCIADO!

    $$$$$$$$$$$$$$$$$

    DOLEIRO ABRIU CONTA DE AÉCIO EM LIECHTENSTEIN

    Documentos apreendidos em operação da PF de 2007, divulgados pela revista Época, revelam que Norbert Muller abriu contas bancárias no LGT Bank, sediado no principado de Liechtenstein, para o tucano Aécio Neves; em uma das pastas encontradas na casa do doleiro constava uma etiquetada por “Bogart e Taylor”; era o nome escolhido por Inês Maria Neves Faria, mãe e sócia do senador mineiro, então presidente da Câmara dos Deputados, para batizar a fundação que, a partir de maio de 2001, administraria o dinheiro da conta secreta 0027.277 no LGT; a conta foi citada pelo Delcídio do Amaral, na delação homologada no STF, e está sendo investigada pela PGR na Lava Jato; Globo parece ter rifado de vez o senador Aécio

    16 DE MARÇO DE 2016 ÀS 08:58

    (…)

     

    FONTE, pasme: http://epoca.globo.com/tempo/noticia/2016/03/documentos-revelam-que-doleiro-abriu-conta-secreta-da-familia-de-aecio-neves-em-liechtenstein.html e aqui http://www.brasil247.com/pt/247/poder/221313/Doleiro-abriu-conta-de-A%C3%A9cio-em-Liechtenstein.htm

     

  42. A questão do foro de Lula,

    A questão do foro de Lula, caso assuma um cargo no governo, não deixará “impune” da Lava Jato a família de Lula, que será perseguida e executada da mesma forma e, inclusive, pior, através das mídias.

    Se não consideraram isso, talvez a questão da família do Cunha seja um aviso… o jogo está lá mesmo, na PGR.

  43. O pgr JANOT é o mordomo do

    O pgr JANOT é o mordomo do GOLPE HONDURENHO, pois ele sabia de tudo que o Delcidio delatou e nao foi pra cima!!! O JANOT é o diretor da novela MOROGLOBO…., ele é um do cabeça do GOLPE(traidor da Pátria), o mais novo engavetador geral a serviço do EUA, cia, fbi, nsa, mossad, maçonaria!!!

  44. Como alguns que comentaram

    Como alguns que comentaram antes, também acho que a análise está meio catastrófica no sentido de que o Alto Comando vá destruir a classe política. E quem vai governar? Sempre tem o acordo pelo alto (até encaixou). Eu acredito que a Lava Jato vai parar por falta de cobertura, se os desdobramentos forem aqueles que a classe política aliada à mídia quer. Não precisa brigar com o Judiciário (ninguém faz isso). Basta ignorar. Mas taí uma pergunta que precisa de respostas. Como fica o controle externo do Judiciário e do MP? Afinal, eles também têm uma agenda política, exercida toda vez que decidem abrir ou fechar uma gaveta.

  45. a criatura está solta (2)

    a saída política da crise passa por assumir o inegável: o sistema de poder faliu. não há retorno: nem renúncia, nem impeachment, tampouco qualquer tentativa de ressuscitar o pacto entre as elites, já que elas estão rachadas. menos ainda qualquer ilusão quanto a uma sobrevida da promíscua conciliação permanente operada pelo lulismo, o contexto interno e externo se alterou irreversivelmente.

    a saída está no retorno do que foi reprimido em Junho de 2013: mais participação, mais direitos, mais Democracia.

    a saída da crise passa por tomar a iniciativa de convocar novas eleições: presidenciais e para todo o Congresso. sem financiamento público e sem restrição a candidaturas avulsas.

    apanhados numa complexa e perigosa esquina de nossa história, a saída da crise passa por um encontro com nós mesmos: quem somos? qual Brasil queremos ser?

    não será um tempo fácil. não será uma decisão fácil. mas nossa sobrevivência como Nação e Povo depende de nossa coragem em respondê-la.

    .

     

  46. Pastas rosas servem para quê?

    Pastas rosas servem para quê? São investigações clandestinhas, podem ter provas verdadeiras, grampos, provas forjadas, usadas como moeda de troca com poderosos políticos, empresários ricos, líderes com ampla aceitação junto à sociedade, homens traídos, mulheres traídas, pessoas com vida dupla, espionagem a serviço de outros poderes e de outras nações etc,etc,etc. Isso tudo nas mãos de gente sem caráter (o caráter já caiu, diante da prática clandestina de investigação), o que é que sobre? O MPF da mídia, ou seja, a parte vendida da instituição. Resumindo, esse MPF é dono das pastas rosas.

  47. a criatura está solta (3)

    a crise não é apenas maior do que Dilma. a crise é maior do que todos…  

    o arcabouço institucional do país expirou sua validade em Junho de 2013. desde então, com a representação política em colapso, os principais agentes sociais brasileiros esconderam-se na negação da realidade. agora, o sistema de poder está ruindo diante de todos, que assistem atônitos e incapazes de esboçar propostas.

    apenas um grupo social intervém no cenário macro em consonância com a dimensão da crise: os ultra liberais. alinhados com o projeto global da tirania financeira, avançam sobre o que restou da Constituição de 1988, abrindo o caminho para um permanente estado de exceção: lei anti terrorismo e reforma da previdência, privatização total e completa abertura da economia, fim da saúde e educação pública, entrega do pré sal e eliminação do direito das minorias.

    este é o projeto representado no Congresso pela bancada BBBB: Boi, Bala, Bíblia e Bancos. este é o projeto da República do Paraná e desfraldado nas bandeiras dos Cruzados de Curitiba. e este é também o projeto de uma oligarquia que jamais deixou de ser colonial e escravagista.

    mas a crise também se tornou maior do que eles. a criatura agora caminha sozinha. está solta nas ruas. ganhou base social própria. incapaz de catarse libertadora, exibe por toda parte a volúpia de seu desejo pela castração: controle, repressão, punição. as massas não foram enganadas, as massas desejaram o fascismo.

    a saída da crise não virá dos velhos acordos palacianos e conchavos de gabinete. tampouco virá pela implantação do projeto ultra liberal, porque, acima de tudo, a crise climática inviabilizará qualquer estabilidade com o aprofundamento de um projeto que a desencadeou.

    a encruzilhada histórica nos aponta dois rumos:

    1. o autoritário, com a implantação de um estado de exceção;

    2. o democrático, com a convocação de novas eleições (Presidência e Congresso): sem financiamento empresarial, com candidaturas  independentes de partido, com mecanismos de controle popular do mandato.

    precisamos refundar a institucionalidade política. precisamos radicalizar o compromisso com a Democracia.

     

  48. Agora ficou tudo muito claro.

    Agora ficou tudo muito claro. Um juiz querendo destruir a maior liderança política do Brasil, com desculpas de triplex e sítios. Um juiz querendo destruir o Brasil. É Moro contra o Brasil.

    E é também a Globo contra o Brasil. Pelo desespero global, vemos o quanto foram os golpistas golpeados com a impossibilidade de Moro prender Lula. O maior presidente do país de todos os tempos, segundo os institutos de pesquisa.

    A Globo é mais do que a voz e a imagem do golpe, é o próprio golpe. A Globo, com a Globo News, está apostando hoje em fermentar um movimento tipo vigília noturna em lugares estratégicos, e amanhã tentará uma paralisação geral do país, para forçar um golpe de estado já não tão branco assim.

    Vamos ver se este movimento vai gorar, ou se vai explodir contra outros movimentos contrários e outras reações, numa convulsão social.

    Moro, arrastando consigo uma Globo News desesperada, passou de todos os limites. Agora, neste fogo cerrado da Globo contra a democracia, o que o governo deve fazer é falar e se manifestar ao máximo, ocupando todos os espaços de mídia que puder ocupar.

    As manifestações da direita, embora convocadas pelo PPS, serão tomadas pela direita radical e se diluirão no cotidiano do país. 

    Moro não tem mais serventia. Moro só se salvará se houver um golpe de estado de qualquer maneira, que rompa abruptamente a legalidade, o que é inadmissível. Moro perdeu a razão de ser, com a impossibilidade de prender Lula. Não fez o que deveria por algum desígnio insondável ao comum dos mortais, fazer.

  49. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome