Por divergências, Jucá deixa liderança do governo no Senado

Foto Marcelo Camargo/Agência Brasil

Jornal GGN – O senador Romero Jucá (MDB-RR) anunciou que deixa a liderança do governo após desentendimento com o Palácio do Planalto sobre os encaminhamentos dos problemas enfrentados em Roraima, com a imigração de venezuelanos. Pelo Twitter, Jucá disse que comunicou sua decisão ao presidente Michel Temer.

“Acabo de comunicar ao presidente Michel Temer que deixo a Liderança do Governo por discordar da forma como o governo federal está tratando a questão dos venezuelanos em Roraima”, tuitou.

Jucá foi escolhido líder do governo no Congresso desde que Temer assumiu a presidência após o golpe de 2016. Foi escolhido o líder no Senado em março do ano passado, substituindo Aloysio Nunces quando este foi escolhido para o ministério das Relações Exteriores.

Jucá participou na semana passada de uma reunião no Planalto sobre a imigração de venezuelanos e sugeriu ao governo o fechamento temporário da fronteira do estado. Segundo ele, isso evitaria que Roraima entrasse em ‘colapso’. O Planalto já havia sinalizado que não limitaria a entrada de estrangeiros no país por questões humanitárias e também de acordos internacionais dos quais é signatário.

O Planalto ainda não comentou o assunto da saída de Jucá da liderança e nem confirmou o teor da conversa entre Temer e o senador.

Segundo a Agência Brasil, Jucá pretende atuar como ‘adversário’ do governo na questão de Roraima e que ‘fará muito barulho’ para cobrar do governo federal e outros órgãos para que seus pleitos sejam aceitos. Negou, no entanto, que sua decisão tenha sido tomada pela proximidade das eleições.

Leia também:  Operação da PF instala de vez as condições para Bolsonaro deixar PSL

“Há dois anos eu defendi o fechamento da fronteira. Eu estava antevendo o problema, e vai piorar, porque a Venezuela só piora. Depois da eleição, o problema continua. Esse assunto vai se agravar ainda mais, será uma questão para o novo presidente”, afirmou.

O senador emedebista afirmou que não tem condições de defender Roraima, criticar o governo e ocupar o cargo de líder. “Entre o cargo de líder, o governo federal, o estado e a população de Roraima, que me elege e eu tenho que defender, é claro que eu opto sem nenhuma dúvida pela população de Roraima”, disse. 

Afirma que o governo tem ‘boa vontade’ para tratar dos venezuelanos, mas que não está focado no que interessa, no cerne da questão, que é o alto número de imigrantes que chegam a Roraima. “Eu não rompi com o governo, mas nessa situação sou adversário do governo e portanto vou cobrar todas as questões que o meu estado precisar. Eu sou hoje um senador independente, o MDB apoia o governo, sou presidente do partido. Mas a defesa do governo no Senado será feita pelo novo líder”, disse.

Quem assume a liderança do governo no Senado é o atual vice-líder, senador Fernando Bezerra (MDB-PE).

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

9 comentários

  1. Ligue os pontos da “oposição” de Jucá a Temer

     

    LIGUE OS PONTOS

    Gabriel Priolli

     

    1. Romero Jucá renuncia à liderança do governo no Congresso, por aparente divergência com Temer na crise dos venezuelanos.

    2. Venezuelanos são a principal preocupação dos roraimenses hoje.

    3. Romero Jucá disputa a reeleição ao Senado.

    4. Temer tem 90% de desaprovação na Região Norte

    6. Romero Jucá está em 3º lugar nas pesquisas, segundo o Ibope.

     

  2. Huumm revelador,FAKE NEWS
    Huumm revelador,FAKE NEWS MILITAR A CAMINHO P UMA GUERRA,?Já está acertado!?O golpe e as petroleiras são capazes de td,lembremos o prédio q caiu após explosões!

  3. Nenhum ingênuo acredita nesse

    Nenhum ingênuo acredita nesse papo de divergência com o governo golpista. O real motivo é o oportunismo para se apropriar de uma bandeira dos eleitores de Rorâima, que não é sua, contra o acolhimento aos venezuelanos.

    • Pior que tem, chapa. Tu viu

      Pior que tem, chapa. Tu viu alguma repercussão disso ? Só no sul-sudeste. Por lá os amigos de sempre espalharam que “Ente divino. Sempre se preocupou com as causas humanitárias mundiais”. Putz!

      120 mil votos o colocam no Senado por mais 8 anos. E isso é moleza. E a reboque a tão sonhada e almejada Imunidade parlamentar por mais 8 anos. E adesão celular-plasmática com o próximo governo do presidente que ganhar as eleições.

      Seja ele qual for.

       

  4.  
    PARTE DOS RATOS GOLPISTAS

     

    PARTE DOS RATOS GOLPISTAS JÁ ESTÃO SENTINDO-SE ENCURRALADOS.

    A debandada do Jucá, sinaliza que o covil no qual se acoita o miShell  e seus parças, o nível da água já incomoda perigosamente. Tudo indica que a lama já ultrapassou a popa da bunda gorda dos salafrários.

    Orlando

    • PARTE DOS RATOS GOLPISTAS

      Sabe nada inocente!

      Ele quer se reeleger, entendeu agora?

      Depois que Temer liberou um monte de verba à ele para que ele ajude seu estado a receber os refugiados vezuelanos, agora volta a seu covil usa esse dinheiro para fazer companha, dizendo que é a favor dor povo e contra o governo, diz o que o povo quer ouvir.

       

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome