Supremo deve favorecer Renan, ou Jucá assumirá Senado no lugar de Viana

Jornal GGN – A crise entre Senado e Supremo Tribunal Federal, colocando em xeque medidas econômicas que interessam ao governo Temer, pode terminar nesta quarta (7) com tendência de favorecimento a Renan Calheiros. Segundo informações da Folha, Temer conseguiu articular com o STF para ter maioria no julgamento que ocorre hoje. A tendência é Renan ser mantido no cargo de presidente do Senado.

De acordo com o jornal, o ministro Dias Toffoli deverá sustentar que Renan não poderia assumir a Presidência na ausência de Michel Temer, por ser réu. “Mas essa condição não o impediria de permanecer no cargo em que está.”

Celso de Mello, por sua vez, “deve lembrar que já decidiu nesse sentido na sessão em que se discutiu se um político que é réu poderia permanecer num cargo que está na linha sucessória da Presidência da República, como é o caso da presidência do Senado.”

Logo, Toffoli, Celso de Mello e mais quatro ministros podem votar contra a liminar de Marco Aurélio Mello, que afastou Renan da presidência do Senado. São eles: Ricardo Lewandowski, Luiz Fux, Teori Zavaski e a presidente Cármen Lúcia.

Os ministros Gilmar Mendes e Luis Roberto Barroso não participarão desse julgamento. Gilmar estará fora, mas já se manifestou a favor de o Supremo reverter o quadro criado pela liminar de Mello. Já Barroso se declarou impedido porque um dos advogados da causa já trabalhou com ele. Ele também se manifestou sobre essa crise, mas em sentido contrário a Gilmar: criticando a decisão de Renan de não cumprir a ordem de Mello.

“Eu não participo desse julgamento por estar impedido e portanto não quero fazer comentário sobre ele. Porém, falando em tese, diante de decisão judicial é possível protestar e apresentar recurso. Mas deixar de cumpri-la é crime de desobediência ou golpe de Estado”, afirmou Barroso.

Ainda de acordo com da Folha, se Renan não voltar ao cargo, Jorge Viana, primeiro vice-presidente do Senado, estaria cogitando entregar o cargo a Romero Jucá, segundo vice-presidente da mesa diretora, por viver um dilema: se colocar a PEC do teto em votação, rompe com a esquerda; se não colocar, será acusado de afundar ainda mais a economia do País.

A coluna diz que ele já afirmou que não quer fazer com “eles” [a gestão atual] o que o grupo político de Temer fez com Dilma Rousseff: invialibilizar o governo em meio a uma grave recessão.

A PEC do teto dos gastos estava prevista para ser votada na próxima semana. O governo Temer não aceitar deixar uma das principais medidas do ajuste fiscal para 2017. Até procurou Viana para insistir que a votação deve ocorrer. Lideres de apoio ao governo também traçam estratégias para, mesmo que Viana seja o presidente do Senado, a PEC seja votada conforme o calendário.

30 comentários

  1. A desgraça desse pais é essa

    A desgraça desse pais é essa elite bizarra golpista caipira que se faz de morta para comer o coveiro…e Alckmin é bem isso, o paulista que vive à mercê da grande midia, e são muitos, adora esse tipo bobalhão que, no fundo no fundo, é espertalhão, um tipo Dória que, se em publico faz a linha, pinta e borda entre 4 paredes…e Carmem Lúcia tem esse perfil de tonta mas obediente a Madame Globo, boba ela não é, só o jeitão de Beto Carrero o Vampiro das Trevas para enganar coxinhas trouxinhas…rss

  2. Pena que Jorge Luís Borges,

    Pena que Jorge Luís Borges, Gabriel Garcia Márquez e o nosso conterrâneo Dias Gomes não estejam mais no mundo dos vivos para retratarem a conjuntura surrealista pela qual atravessa esse país tropical bonito por natureza e feio por outras naturezas.

    Rola nas redes sociais que o sucessor natural de Renan Calheiros, o senador pelo Acre Jorge Viana, já pediu água, ou seja, não quer assumir dadas as imensas pressões que deverá enfrentar. Bem, a se confirmar o boato certamente o antes tido como bravo parlamentar será visto, como se diz popularmente, um “veste calça”. 

    Agora mais essa: uma possível assunção à presidência do Senado de um dos membros da dita camarilha de Temer. Um senador claramente envolvido na trama que levou ao impedimento da presidente Dilma e ainda mais citados em delações na Operação Lava a Jato com amplas chances de virar também réu. 

    Do jeito que vai deve sobrar para o rapaz do cafezinho. 

    • Pior, JB Costa, o Viana e o PT querem aprovar a PEC 55

      Pior do que o Viana jogar a toalha é o PT presidir o Senado e fechar com a pauta dos Golpistas. Dizem que o PT pensa em fazer isso.

      Caiu de vez a máscara do PT.

  3. Viana negou
    Declarou há pouco que jamais pensou em renunciar e nunca disse as palavras que a Folha enfiou na sua boca.

    Antes de pré-julgar, é sempre bom lembrar: a Folha, como Temer, mente PRA C…

  4. O STF SE TORNARIA GRANDE SE AFASTASSE O JUIZ MORO.

    Juiz Moro atravessou todas as janelas da etica jurídica, não tem mais condições de ir em frente, a não ser que o STF queira esse festival de frivolidades em evidência, não resta mais dúvida que o juiz não seja parcial, é um político em campanha.

+ comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome