Fernando Castilho
Fernando Castilho é arquiteto, professor e escritor
[email protected]

Com perseverança, um dia todos serão presos, por Fernando Castilho

O rover conseguiu acessar informações sobre o microscópico ser e descobriu que ele pregava aos quatro ventos da fraca atmosfera marciana

Com perseverança, um dia todos serão presos

por Fernando Castilho

Os técnicos e cientistas da Nasa já haviam quase perdido as esperanças em encontrar vida em Marte. Afinal, já fazia quase 4 anos que o rover Perseverance fazia suas rondas no planeta vermelho sem que qualquer sinal de algum ser, microscópico que fosse, tivesse sido detectado.

Porém, há bem pouco tempo, um ser bem microscópico, poderíamos dizer, ínfimo, porém letal aos humanos, foi observado por seu companheiro, o pequeno helicóptero Ingenuity, na parte superior de uma pilha de rochas sedimentares com mais de 200 m de altura.

O rover apressou-se em assestar suas potentes câmeras macro e, qual um big brother, tratou de espionar o entorno do marciano.

A Perseverance descobriu que se tratava do líder de uma seita, que já detivera muito poder, mas agora caminhava para um castigo pelos seus malfeitos contra o povo marciano, principalmente por pregar que a terrível doença advinda de uma grande irregularidade da radiação marciana era apenas uma radiaçãozinha. Como resultado, centenas de milhares de marcianos foram desintegrados.

O rover conseguiu acessar informações sobre o microscópico ser e descobriu que ele pregava aos quatro ventos da fraca atmosfera marciana, composta principalmente de dióxido de carbono, a importância da família, do patriotismo a Marte e, principalmente a Kwrdyyeettyvwxtóim (na verdade um nome impronunciável), o deus supremo que pairava sobre todas as cabeças.

Indo mais a fundo, o aparato pesquisou a vida pessoal do ser e descobriu que ele já havia se unido a três fêmeas e que já estaria separado da terceira, nomeada M-03, fato ainda escondido a sete chaves por ele e pela seita, justamente em nome da família tradicional marciana.

Descobriu ainda, para surpresa dos técnicos da Nasa, que o ser, agora nomeado como J-01, é pai de seu próprio neto, o que contraria a lógica dos seres humanos da Terra.

Os cientistas, inconformados com a constatação, exigiram mais dados e lá foi a Perseverance investigar mais a fundo. E ela conseguiu!

Na verdade, o neto em questão é tido pelos membros da seita e pela imprensa local como sendo filho do descendente de J-01, nomeado pela Nasa como C-02, mas este nem conhece a fêmea que vive próxima a cratera Jezera, local já investigado pela Perseverance. Esse filho é o 6º descendente direto de J-01, fato oculto de seus seguidores porque oficialmente M-03 ainda é sua companheira. Se isso for descoberto pelos seguidores da seita, o estrago será grande para J-01.

Além disso, corre à boca pequena (as bocas dos marcianos são minúsculas) que a descendente de J-01, nomeada como L-05, seria na verdade, filha de C-02, já que J-01, após sua segunda união, teria feito um procedimento que o impediu de gerar mais descendentes. Dizem que a semelhança entre L-05 e C-02 é muito grande, embora os cientistas sejam incapazes de distinguir um marciano de outro.

Enquanto isso, M-03, que ainda procura se manter como uma das líderes da seita, publicou em suas redes sociais marcianas, fotos comprometedoras em que aparece beijando o pescoço de outro ser.

A Perseverance apurou que o J-01 está furioso, não só por começar a ver exposta sua vida familiar que de forma alguma corresponde ao pensamento que sempre buscou pregar em sua seita, mas também porque deverá responder ao assim chamado Centro Marciano de Punição a Desvios de Conduta por vários crimes cometidos.

Dizem as várias línguas (os marcianos têm 3) que J-03 em breve deverá ser conduzido a Centro de Confinamento em Fhobos um dos satélites naturais de Marte.

Fernando Castilho é arquiteto, professor e escritor

O texto não representa necessariamente a opinião do Jornal GGN. Concorda ou tem ponto de vista diferente? Mande seu artigo para [email protected]. O artigo será publicado se atender aos critérios do Jornal GGN.

Fernando Castilho

Fernando Castilho é arquiteto, professor e escritor

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador