Retornemos ao tempo da delicadeza, por Maria Inês Nassif

por Maria Inês Nassif

Eu não sonho com um Ano Novo. Sonho com um mundo novo, delicado. Com pessoas novas, delicadas.

Que a delicadeza invada as suas vidas e as tornem humanas. Que a humanidade dentro delas exploda em direção ao mundo e o transforme em um mundo delicado.

E o mundo delicado trate com delicadeza todos os contemporâneos dessa era insana, que acreditam que eliminar pessoas pela guerra, pela fome e pelo preconceito faz parte de uma torpe lei natural, que consiste em eliminar os mais fracos para que os mais fortes prosperem.

Desejo um mundo melhor do que isso, feito por pessoas melhores do que essas que invadiram nossas vidas e nossas casas com o discurso de ódio e contra o direito do outro.

Nós os expulsaremos com a delicadeza dos que sabem que só a igualdade é justa.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Crítica: Filme de Chico Buarque censurado em Montevideo

13 comentários

  1. Axé Maria Inês.Como se pode
    Axé Maria Inês.Como se pode admitir que a maior articulista de política do Brasil,fique a margem da mídia.Não essa mídia canalha e vil,que já vendeu a alma ao diabo.Falo de uma parte diminuta dela,mas que faça por merecer uma jornalista de seu quilate.Um grande e forte abraço,com meus sinceros votos de um Feliz Ano Novo.

  2. Delicadeza

    Maria Inês, se a humanidade ainda resiste sobre a terra é graças à delicadeza da  maioria silenciosa e paciente

    das pessoas esperançosas e otimistas que vivem as desigualdades mas não se desesperam com elas.

    Os usurpadores e gananciosos sofrem de gula psicológia e acabarão por devorar-se a si mesmos.

    Abraços e Feliz Ano Novo

  3. Não faz muito tempo soube,

    Não faz muito tempo soube, aqui no blog do Luis, que a Maria Inês foi uma das vítimas da invasão da PUC-SP em 1978, numa tentativa de impedir a reconstrução da UNE. Muitos estudantes foram presos e feridos pela polícia de um tal Erasmo Dias, de quem os santos se apiedem. Eu estava em um outro espaço do campus, onde realizamos um Encontro Nacional de Estudantes, que marcou para o ano seguinte o Congresso de Reorganização da UNE, realizado em Salvador. Era o fim da ditadura.

    Ainda compartilhamos os mesmos sonhos.

  4. Feliz Ano Novo, Maria Inês Nassif!

    Me lembrei de Mário Quintana  –  que esteve em certa época muito chateado com alguns críticos, mas delicadamente escreveu o Poeminho do Contra:

    Todos esses que aí estão

    Atravancando o meu caminho,

    Eles passarão…

    Eu passarinho!

     

    • feliz….

      O mundo não, você quer dizer o Brasil. No mundo a violência é a exceção, um fato determinado, histórico e temporário. Inclusive nos nosso vizinhos latino-americanos, o que leva à desmoralização aquela máxima da pseudo-esquerda brasileira que a pobreza é que alavanca a violência. Basta ir até o Paraguai, Bolivia, Equador para não citar melhores condições sociais que as nossas. Não precisamos nem exemplificar com Chile, Argentina, Uruguai. Seria muita humilhação.Mas num país que depois de 30 anos de uma ilusória Constituição Cidadã, que não promove a educação e o ensino, ao invés disto, promove e incentiva ” bailes funks” na periferia, com um discurso ideológico imbecil dizendo ser isto diversão e lazer para a juventude destes lugares. Drogas, prostituição infantil, bebidas alcoolicas, perturbação da ordem, criminalidade, armas de fogo. E depois vem falar em delicadeza? Como já disseram loucura é fazer sempre as mesmas coisas da mesma forma e esperar por resultados diferentes. Delicadeza e generosidade foi demonstrado pelo povo colombiano na tragédia com o avião do time de futebol. Não importa isto ou aquilo, paixões ideologicas ou politicas. Nós brasileiros precisamos ter a consciência que estamos errando e muito feio. Todos assumirem tais erros e ter a consciência em mudá-los. Paz gera paz. Respeito gera respeito. Tolerância gera tolerância. E então delicadeza será apenas consequência.

  5. Delicadeza ou gentileza gera

    Delicadeza ou gentileza gera amor, confiança (ah! como é bom ter confiança), cumplicidade e tantas outras coisas boas. Ent]ao, mais delicadeza sim.

  6. Obrigado

    Maria Inês, obrigado pela generosa e desafiadora reflexão. Uma importante lembrança de que precisamos nos enganar com coragem para construir e refazer o que foi rudemente desfeito. Delicadamente obrigado!

  7. Retribuo

    Prezada sra. Nassif, permita-me parabenizá-la e retribuir os votos de um Novo Ano mais delicado. Lembrar-se da característica que nosso País e nossa gente mais esqueceram, ao longo daquele malfadado 2016, dá a medida da grandeza pessoal de quem escreve. À famíila Nassif, os votos de um 2017 mais gentil, menos truculento e mais lúcido, para que as lutas se transformem em buscas por um mundo menos desigual!

  8. Comentário
    Maria Inês, que belas palavras! Linda reflexão. Acho que dizem do desejo de muitos mesmo que não o saibamos colocar de uma forma tão bonita. Espero que muitas e muitas pessoas que sonham com um mundo delicado encontrem forças pra não se calarem, ao acordar, diante dessa violenta realidade.

  9. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome