A revolução da Federal do ABC

Com oito anos de existência, a Universidade Federal do ABC (UFABC) é o primeiro caso de sucesso das novas universidades federais.

Com seu reitor alemão Klaus Capelle, a UFABC deverá se transformar em um divisor de águas do ensino e da pesquisa universitária, na passagem para o século 21.

A primeira revolução foi na estrutura interna.

As universidades tradicionais são divididas em departamentos acadêmicos, caixinhas fechadas, compartimentalizadas.

A UFABC inverteu a lógica. Os grandes problemas contemporâneos da ciência e da tecnologia e as demandas das empresas não se encaixam em caixinhas, diz Capelle. A Universidade precisa formar pessoas capazes de resolver problemas, o que passa por uma formação interdisciplinar.

Para tanto, a UFABC foi organizada em três grandes centros:

1.      Centro de Ciências Naturais e Humanas, a etapa da descoberta.

2.      Centro de Engenharia e Ciências Sociais, a etapa da invenção.

3.      Centro de matemática, computação e cognição, a etapa da análise.

***

Durante três anos o aluno receberá sólida formação interdisciplinar, generalista, aprendendo a aprender e sendo empreendedor de sua própria formação, como define Capelle. Por “empreendedor da própria formação”, significa que o aluno tem liberdade para montar sua própria grade.

Os alunos podem sair pelas duas portas de entrada, ou se dedicar a carreiras mais tradicionais: no total de 47 portas de saída, entre graduação e pós. Optando por ela, em dois anos sairá com diploma convencional, já que parte do ensino anterior vale como crédito.

***

Na UFABC o aluno é estimulado para a pesquisa desde o primeiro dia.

Mal ingressa na Universidade, o aluno é envolvido em projeto de pesquisa. A maioria não dispõe de informação suficiente para definir seu projeto. Mas irá se beneficiar da experiência em ambiente de pesquisa.

Anualmente, são concedidas centenas de bolsas para iniciantes, com o orçamento da própria universidade.

***

O pós-graduação tem um doutorado inovador, acadêmico-industrial.

Antes de montar o projeto, o aluno recebe uma bolsa CNPQ (Conselho Nacional de Pesquisas) para passar seis meses em empresas conveniadas, buscando desafios científicos e tecnológicos dignos do doutorado.

Se identificar o projeto, ingressa no doutorado e o desenvolve em colaboração com a universidade inteira. O financiamento será integralmente bancado pelo CNPQ, sem desembolso por parte da empresa.

***

Em 2006 a UFABC foi inaugurada com 50 professores e 500 alunos, sem campus próprio. Oito anos depois, tem 552 professores, todos com título de doutor, 10 mil alunos, 26 cursos de graduação, 21 de pós, 2 campi próprios, 100 mil m2 de área construída e primeiro colocada em vários rankings.

Em 2012, entre as 2 mil instituições avaliadas pelo MEC, foi uma das 27 que tiraram nota máxima. O estudo holandês  Leiden Ranking of Brazilian Research Institutions and Universities analisou 60 universidades brasileiras e conferiu à UFABC o primeiro lugar em colaboração internacional e o segundo em quantidade de publicações entre os 10% mais citados em cada área.

***

Sem a abertura das novas universidades, o país continuaria preso à estratificação das universidades tradicionais.

 

49 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

antonio n

- 2014-12-16 22:26:20

Não sei se vc está ironizando

Não sei se vc está ironizando , mas essa Universidade é obra do melhor presidente de td os tempos -

Presidente Lula

Ralf Rickli

- 2014-12-14 21:13:28

Fico muito feliz em saber que

Fico muito feliz em saber que a Federal do ABC vai bem - embora suas propostas não sejam nem tão únicas nem tão novas quanto se quer crer, e alguma opções da sua estruturação pareçam bem esdrúxulas, além de já tentadas em outros lugares em que não tiveram tanto sucesso.  Seja como for, também desejo o maior sucesso para a Federal do ABC. 

Não posso, porém, deixar de considerar profundamente infeliz e injusta a afirmação de que a UFABC "é o primeiro caso de sucesso das novas universidades federais". Haveria muito o que discutir quanto a que critérios podem levar a essa afirmação, bem como à omissão de outros resultados interessantíssimos que pipocam Brasil afora.

Sobretudo, corretamente entendida, a construção do conhecimento NÃO é um jogo de competição, e sim de colaboração - de modo que a frase fica sendo, como eu disse, profudamente infeliz.

FJP

- 2014-12-12 19:17:04

Mais pura...

... e refinada ironia, não?

Pois é

- 2014-12-12 18:46:37

Não é reportagem é

Não é reportagem é jornal-ismo- do-capilé apenas. Em diversos cantos da USP, Unicamp, etc acontecem tal qual, mas como quem paga, segundo Gilmar,  são estatais federiais, essas são tratada por porqueiras., apenas por interesse politiueiro, nada por educação, po tem  gente que quanto mais corrupto e salafrário  fori esse país, mas rico sabe ficar;.

Pois é

- 2014-12-12 18:36:16

a força do capilé erger e

a força do capilé erger e detrói coisa boas.  Enquando se incentiava todo tipo de desgaça na USP para tentar destruir PSDB, até uym peido da UniLula é vendida como  uma grande descoberta cientídica, quando essa segue tal qual o antro que sempre foram todas as públicas,  diplomadora dos mais corruptos

AlvaroTadeu

- 2014-10-13 22:16:17

Assim Caminha a Humanidade brasileira. Para o cadafalso.

Oi, posso tratá-lo de iGNORÂNCIA(*3)? Pois é, nem todas universidades brasileiras são geridas por petistas desesperados e aparelhistas. No Tucanistão, outrora minha São Paulo querida, há a USP, UNESP e UNICAMP, todas estaduais e administradas por tucanos. Um ex-reitor da UNICAMP, Paulo Renato Souza, foi Ministro da Educação. Ligeiramente medíocre para dizer o mínimo, em respeito ao seu recente passamento (cuidado, não escrevi "passatempo").

Mesmo assim, em termos tradicionais, a única grande contribuição para a ciência da parte de um brasileiro, até onde sei, tem mais de cem anos. Alberto Santos Dumont, o Pai da Aviação, autor do primeiro voo num aparelho mais pesado do que o ar (coxinhas, não mencionem aqueles irmãos ridículos e mafiosos que eu parto pra briga!). Durante o período colonial, era proibido imprimir jornais no Brasil. No final do "maravilhoso" e longo (60 anos) império de Pedro II, só havia um colégio público no Brasil: o tradicional Pedro II, jogado às traças no mandato do carioca Fernando Henrique Cardoso, que para meu desgosto, muita gente boa acha que ele é paulista. Enquanto o cientista alemão Albert Einstein participava do bi-centenário de Princeton em 1946, nossa mais antiga e tradicional universidade, a USP, engatinhava em seus jovens 12 anos de idade. Essa é uma boa explicação para nosso atraso científico e tecnológico. Mas mesmo assim, temos ótimos cientistas por aqui. Engenheiros, arquitetos, médicos, geólogos. O mesmo não se pode dizer dos principais jornalistas dos principais jornais, revistas e TV's. Os melhores, são uma lástima. Literalmente.

AlvaroTadeu

- 2014-10-13 21:58:36

Títulos, ora, títulos.

Márcio Alcântara, com todos esses  títulos alegados, você faz parte da crème de la crème da intelectualidade brasileira. Você acredita que possa haver um gênio estúpido? Pois é, eu suspeito que sim. Certamente voê sabe da importância tecnológica do transistor. Sem ele, não haveria computadores eletrônicos, celulares, TV's HD, GPS. No limite, transistores são substitutos das válvulas termoiônicas, que tornaram possíveis o rádio e a TV da primeira metade do século XX. Elas eram muito grandes e gastavam muita energia aquecendo. Enquanto uma válvula tinha o tamanho de uma metade de salsicha, o transistor era do tamanho de um grão de feijão. E não aquecia! Gastava muito menos energia.

Esse assunto é meio chato, mas o que interessa neste texto são os inventores do dito cujo, nos Bell Labs. Não vou nomeá-los, mas receberam o Nobel de Física de 1956. Pois é, uns 15 anos depois do prêmio, um deles despirocou. Ou desbundou, como era nos seventies. De Físico virou biólogo. E apareceu  com umas teorias racistas. "Provava" que o negro era inferior ao branco, comparando Estados Unidos e Europa Ocidental (capitalista) aos países mais atrasados da África, onde ainda predominavam sociedades tribais. Não era esse gênio um grande idiota?

Samuel Nascimento

- 2014-10-12 17:06:50

Incrível!

E eu que achava que depois de crescidos deixavamos de acreditar em Papai noel e duendes, a tem também a fada dos dentes. Vou precisar rever meus conceitos!

 

Aldo Cardoso

- 2014-10-11 12:07:38

Uma universidade com esse status...

Uma universidade brasileira com esse status, justo em São Paulo, é com certeza mais uma obra de mentes nativas privilegiadas, de homens que têm visão de águia e alcance quiçá planetário como FHC, Serra e Alckmim que ora estão sendo reconhecidos por seus grandes feitos em favor do povo.

Marcio Alcântara

- 2014-10-10 14:38:31

Resposta a Lenita

 

Lenita sou docente e com muito esforço fiz iniciação cientifica, aprimoramento, mestrado, doutorado e pós doutorado, sempre trabalhando e não recebendo bolsa de qualquer espécie. Sou especialista e avalio cursos para o MEC e CEE/SP e para seu conhecimento tanto a São Marcos como as escolas cariocas, fecharam por pessima gestão financeira (novamente os empresários deitam e rolam) e não resultado apenas da péssima qualidade de ensino (apresente algum exemplo onde a qualidade de ensino resultou no fechamento), procure se informar pois quem fala baboseiras é a senhora. Não sou um troll, sabemos que isso é pratica do PT, inclusive com congressos apenas para orientações deste tipos, congressos provalvelmente financiado com dinheiro da Petrobras. Você conhece as federais do nordeste? Tenho certeza que não, com raras exceções estão sucateadas e sem a minima condição de formar alguém. O que podemos esperar de lideres que se intitulam "presidenta" e que valorizam a ignorância....  Quanto ao outro colega não só os Correios, mas o MEC também está aparelhado inclusive padronizando livros didáticos em consonância com os ideias bolivarianos do PT. Desculpe não responder diretamente a você, mas o sistema está com problemas agora e eu não aguentei esperar. Vale lembrar que a experiência em São Bernardo é digna de louvor, pena que é uma exceção em um oásis de ineficiência. Informe-se!

 

 

Silvanomenezes

- 2014-10-09 16:16:37

Klaus Capelle é o correto.

Klaus Capelle é o correto.

Silvanomenezes

- 2014-10-09 16:16:34

Klaus Capelle é o correto.

Klaus Capelle é o correto.

Silvanomenezes

- 2014-10-09 15:50:10

O nome do reitor está errado.....

O nome do reitor está errado.....

andre sousa t r

- 2014-10-09 05:58:42

sempre tem um mas para odiar o pt
O projeto eh bom mas...mas o pt aparelha o mec. Em governo tucano nao ha tucamo ocupando cargos...para de picaretagem ta

Alzira Fabiana

- 2014-10-09 04:11:54

Houve também a implantação de

Houve também a implantação de uma Universidade Federal, chamada Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), com campus no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande Sul. Esta universidade foi implantada em 2009 e é extremamente significativa para o ensino superior da região, visto que no Sudoeste do Paraná, por exemplo, nunca havia sido implantada uma universidade federal. Agora, a partir de 2015, serão 2, a UFFS e o IFPR - Capanema. Duas universidades federais em menos de 30 km de distância. No Sudoeste do Paraná, dos 42 municípios, Dilma ganhou em 35. Viva Dilma!!!!

ignorância ao CUbo

- 2014-10-09 02:51:51

  =      ¨Em sua última

 

=     

¨Em sua última edição (Outubro de 2012), na página 37, a renomada revista Scientific American publicou um artigo com dados sobre os 'Melhores Países na Ciência'. Nele, me chamou atenção que o Brasil está situado na sétima posição em número de doutores formados, na frente de países tradicionalmente reconhecidos nesta área como Canadá, Espanha, Austrália, Suécia, Suíça (12º lugar), Polônia, Holanda (14º lugar), Áustria, Bélgica, Finlândia e Dinamarca (24º lugar).

 

 Na primeira instância, nos desperta muito orgulho e admiração. Mas (há um 'mas' no caminho), a alegria não dura muito. Na coluna de categoria de trabalhos publicados em periódicos indexados e de razoável impacto, o Brasil não aparece em nenhuma posição relacionada, nem na última, que é o 25º lugar! ¨

 

NASSAR, N., ESTATÍSTICAS CIENTÍFICAS ALARMANTES, JC e-mail, 4614, 3011 2012,

www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=84791

ignorância ao quadrado

- 2014-10-09 02:49:28

Nos  difga então quantas

Nos  difga então quantas vagas na moradia estudantil há para os próximos ingressantes.  Isso é o mínimo para começar ser alguma coisa que preste e não  apena  especulanca como todas que chamamos de universidade. 

rita scaramuzzi

- 2014-10-09 01:50:12

levem o pessoal das outras

levem o pessoal das outras universidades para um curso de reciclagem! kkkkk

FMG

- 2014-10-08 22:56:31

Estamos perdendo tempo! Os

Estamos perdendo tempo!

Os coxinhas, com seu discurso de ódio e preconceito, levantam uma bola que deveríamos chutar: colar esse discurso no PSDB. E olhem que o FHC está ajudando nisso!

junior50

- 2014-10-08 22:02:55

Outra visão, moderna e sustentavel

  "demandas das empresas não se encaixam em caixinhas " - Prof.Dr. K. Capelle.

   E a UFABC vem confirmando esta frase, ao possuir uma interlocução constante com a iniciativa privada, principalmente a de alta tecnologia.

   Moderna e "antenada": A UFABC está se constituindo em uma das bases do "cluster" de empresas de tecnologia do ABC paulista, pela qualidade e inovação presentes em seus cursos, ela tornou-se um imã para empresas nacionais e estrangeiras, instalarem-se na região, e colaborar com os programas da Universidade - vide como exemplo o programa de pós-graduação em engenharia da HarpiaAeroSystems, alunos da UFABC, que possuem mais de 10 patrocinadores privados, nacionais e estrangeiros ( até uma das maiores players interncionais da area, a Thales-Omnisys), no facebook: https//pt-br.facebook.com/HarpiaAeroDesing

Mari Lucia

- 2014-10-08 21:34:06

Bravo! Bravo!

Alguém começa a desencaixotar a cabeça da moçada. Memorável esse momento.

Ignorancia velada

- 2014-10-08 20:21:59

Transformar uma reportagem

Transformar uma reportagem como essa em assunto político é no mínimo um desrespeito com todos os envolvidos com essa instituição.

 

Se morar na cidade de São Paulo dê um pulo em Santo André e conheça a infraestrutura maravilhosa e gigantesca dessa universidade.

 

Eu sou aluno e visto a camisa da UFABC, provavelmente você não teve a oportunidade de estudar numa instituição como essa e é um antipetista que quer falar mal de tudo.

 

Mais repeito por favor, sem mais.

lenita

- 2014-10-08 18:14:07

Interessante saber.

Por acaso o sr. Marcio já se interessou em saber quantos cursos foram fechados pelo MEC, em faculdades particulares. Procure saber. Inclusive uma muito famosa do Rio e outra mais famosa ainda de SP - A são Marcos. E o sr. imagina quantos anos demora para uma universidade se tornar famosa? O sr. nem deve ser da área, apenas um troll, pago p/ dar seus palpites em questões fora  é do seu conhecimento e dizer baboseiras.

Athos

- 2014-10-08 16:53:55

Quanto mais negativam mais eu

Quanto mais negativam mais eu gosto!

 

Qual o grande projeto do PT para educação? Qual o assunto? 

Aaa sim, boa vontade e mais do mesmo. Aperfeiçoar o sistema falido que não funciona por estar falido, desestimulado, aos frangalhos... e por aí vai.

 

Bons tempos aqueles onde eu abria o jornal e havia um novo escândalo de  desvio de recursos para compra de merenda escolar.

Foram lá, liberaram a grana sem qualquer controle PARA oferecer o serviço. E foi o PMDB! 

Os malandros, obviamente, pularam sobre a grana.

 

Hoje, não há escãndalos na educação. Não há sobra. Não há nada além de boa vontade.

 

Não tem plano, não tem projeto, LIBERA A GRANA!!!!!

Quero ver as contas públicas um lixo!

 

jcm

- 2014-10-08 16:08:24

Esse é um resumo do que

Esse é um resumo do que acontece no Brasil. A despolitizaçao  interessa so à direita e o PT virou um partido de politicos e nao de politica.

Eduardo Pereira

- 2014-10-08 16:00:22

Atenir, a UNIPAMPA foi criada

Atenir, a UNIPAMPA foi criada na metade sul do Rio Grande do Sul, atingindo um total de 10 cidades, a saber: Bagé, Jaguarão, São Gabriel, Alegrete, Uruguaiana, São Borja, Caçapava do Sul, Dom Pedrito, Livramento e Itaqui. Durante os anos 80 esta região passou por uma depressão econômica tão forte que alguns deputados chegaram a propor que algumas políticas públicas utilizadas em regiões pobres do nordeste brasileiro fossem aqui aplicadas para diminuir a diferença entre o sul e o norte do estado, esta uma região com indicadores bem melhores.

Nenhuma medida séria foi tomada até a chegada de Lula na presidência. Em educação há que citar ainda a duplicação de vagas em todas as demais Universidades Federais gaúchas, com a contratação equivalente de professores e funcionários, bem como a verba para a construção de prédios e a compra dos equipamentos necessários. Muitas dessas Universidades expandiram sua atuação abrindo campi em cidades antes sem oferta de ensino superior, de modo que são bem mais que dez as cidades atingidas por essa expansão do ensino público de nível superior (e nem falei da Educação a Distância que une Universidades e Prefeituras em Polos de EAD, multiplicando o número de cidades que hoje possuem turmas de alunos matriculados em cursos de graduação).

Além de uma Universidade que atinge 10 cidades de uma só vez, há ainda, entre outros, os investimentos em estradas (duplicações: da BR392 entre Pelotas e Rio Grande, já concluída, e da 116 entre Pelotas e Porto Alegre, em andamento) e o Polo Naval, que turbinou o desenvolvimento da região mantendo uma situação de pleno emprego.

No RS, as poucas estradas duplicadas haviam sido construídas no tempo do regime militar; só nesses 12 últimos anos no mínimo já se quadruplicou a quilometragem de estradas duplicadas - a BR10, de Osório a Torres, concluída, a 290 de Guaíba em direção ao centro do estado, em início de obras, e a BR448, uma estrada novinha em folha feita do zero para desafogar o trânsito na BR116 dentro da região metropolitana da grande Porto Alegre. 

Teria muito mais para citar mas gostaria de concluir com uma constatação: se todo esse investimento público foi possível durante o período de um governo que, segundo alguns comentaristas, foi o responsável pelos maiores escândalos de corrupção, então para onde foi o nosso dinheiro nos oito anos de governo tucano que antecedeu os governos petistas? Se eles roubaram menos, sempre segundo esses mesmos analistas, e ainda fizeram caixa com a privatização, que foi da Cia Vale do Rio Doce às Teles passando até pelas ferrovias, então deve ter sobrado muito dinheiro. Alguém viu ou sabe notícias dele? Leio jornais e revistas, assisto aos telejornais da grande mídia mas não vi uma pista sequer sobre isso. Por que será?

nem me diga

- 2014-10-08 15:32:35

com a desgraça das demais, 

com a desgraça das demais,  como USP, as petista   cresceram horrores

JBzinho

- 2014-10-08 14:23:45

Quarto verdades: 1, Quem

Quarto verdades:

1, Quem nasce e reproduz em curto prazo é coelho, não universidade.

2. E por reproduzir em longo prazo, a USP tem o maior número de doutores, que vem sendo formados desde os anos 50.

3. Aparelhamento existe nos Correios, não no MEC.

4. Você é burro.

Athos

- 2014-10-08 14:02:10

Educação nem assunto é nas
Educação nem assunto é nas eleições. Matérias como esta só fazem a militância perder o foco. Este assunto não interessa a ninguém. E este não é nem nunca foi nosso problema educacional. Quer falar sobre educação? Vamos falar então. ...

Rose Silva

- 2014-10-08 13:58:48

Universidades brasileiras

Você falou tudo.

Zé da Lamparina

- 2014-10-08 13:46:25

Enquanto isso, em outra universidade federal novinha...

Aqui na Amazônia, a Universidade Federal do Oeste do Pará - Ufopa, sediada em Santarém, foi criada em 2009 com modelo interdisciplinar inspirado no da UFABC e já está sendo alterada para retornar ao modelo antigo de institutos e cursos compartimentados, imitando a UFPA. E o que é pior: a turma que está operando a mudança é ligada ao próprio PT (a reitora é esposa de um deputado estadual do PT e ocupou cargos no governo da Ana Júlia: 2007-2010).

A reitoria foi eleita há menos de 1 ano e já chegou mudando tudo, pois ela e seu grupo são contra o modelo instalado pelo MEC.

Reitor alemão? Aqui a reitora disse na imprensa que a Ufopa só começará a se estabilizar quando seu corpo docente for composto de professores da região, pois os de fora vêm e não ficam. E dizem as más línguas que os concursos são "dirigidos" para aprovar professores da região. O grupo que está no poder não aceita "ingerências de gente de fora".

Professores vindos de outros estados (e até da capital, Belém), que não aceitam entrar nos "esquemas", reclamam de assédio moral; a debandada de docentes e técnicos já soma dezenas de profissionais que pediram transferências para outras IFES. 

Por ironia, o reitor pro tempore que instalou a Ufopa é ligado ao PSDB (Seixas Lourenço é ex-reitor da UFPA), e estava seguindo o projeto do MEC; mas o modelo interdisciplinar nunca teve apoio da elite política e intelectual da região e foi combatido desde o começo. Os próprios petistas, dentro e fora da Ufopa, é que sabotaram o projeto.

Uma traição ao próprio MEC, ao PT, ao Lula e à Dilma! Mais uma universidade nova que já nasce velha!

E o povo de minha região ainda reclama de abandono por parte do governo federal...

Marcio Alcantara Fernandes Jr

- 2014-10-08 13:31:17

UFABC

 

Enquanto isso o mesmo PT através do aparelhamento do MEC permite que as instituições particulares que disponibiliza a grande maioria vagas no Brasil faz o que bem entende, fornecendo cursos de péssima qualidade, pagando maus os professores, não investindo nos cursos entre outra dezenas de ações que só favorecem os empresários. Vale lembrar que todas mamam no FIES e não formam ningémc com empregabilidade, pagaremos caro por isso nas próximas gerações, a UFABC é uma exceção em um pais de 200 milhões de habitantes e fica claro a imparcialidade do Lula na distribuição de recursos justamente para poder fazer propagandas. Pq nestes doze anos este modelo não foi replicado? Quanto a USP, da onde será que vieram a maior parte dos doutores que hoje conduzem este trabalho de excelencia no ABC (Terrinha do conversinha)

joao

- 2014-10-08 13:30:08

Daniel
Muito bonita esta tua memoria da formacao politica da universidade. Parabens. Acredito por sermos capaz de fazer e construir um mundo melhor.

Marcio Alcantara Fernandes

- 2014-10-08 13:28:58

UFABC

 

Enquanto isso o mesmo PT através do aparelhamento do MEC permite que as instituições particulares que disponibiliza a grande maioria vagas no Brasil faz o que bem entende, fornecendo cursos de péssima qualidade, pagando maus os professores, não investindo nos cursos entre outra dezenas de ações que só favorecem os empresários. Vale lembrar que todas mamam no FIES e não formam ningémc com empregabilidade, pagaremos caro por isso nas próximas gerações, a UFABC é uma exceção em um pais de 200 milhões de habitantes e fica claro a imparcialidade do Lula na distribuição de recursos justamente para poder fazer propagandas. Pq nestes doze anos este modelo não foi replicado? Quanto a USP, da onde será que vieram a maior parte dos doutores que hoje conduzem este trabalho de excelencia no ABC (Terrinha do conversinha)

Olívia Ghetti

- 2014-10-08 13:23:06

Parabéns, Nassif!

Nassif, leio seus textos diariamente e, simplesmente, adoro todos! Você tem feito um trabalho informativo maravilhoso! Isso sim é imprensa positiva e atuante! Criticar quando necessário e, principalmente, informar!

É muito importante que o PT pegue estes exemplos tão bem sucedidos de seus 12 anos de governo e mostre à sociedade o que poderemos perder com o retrocesso ao se eleger novamente alguém do PSDB, ainda mais do calibre do Aécio...

Sou mineira e sei como ele simplesmente NÃO dá importância à questão da educação!

Mais uma vez, obrigada por seu papel atuante e informativo!

gerson luciano

- 2014-10-08 13:09:20

Moro em são josé do rio preto

Moro em são josé do rio preto - sp, onde esta cheio de obras do PAC, e é só nas placas que ficamos sabendo, não sou PT, mas é o partido que mais diminuiu a desigualdade social e regional, mas o PT é ruim de markting ein, principalmente para os jovens.

Franbeze

- 2014-10-08 13:04:51

Depende

"Com seu reitor alemão Klausn Capelli, a UFABC deverá se transformar em um divisor de águas do ensino e da pesquisa universitária, na passagem para o século 21."

 

Depende. Se a direita voltar ao poder todas as Universidades Federais serão sucateadas. Vejam o exemplo da USP.

Victor A. Silva

- 2014-10-08 12:54:28

Inacreditavelmente...

...tenho um cunhado que estuda lá, tá no penúltimo ano, votou no último domindo no Skaf e na Marina, no 2º turno está em dúvida entre anular o votar no Aécio, sei lá o que pensar...

Simone Ambrósio

- 2014-10-08 12:51:47

Nassif, bacana essa

Nassif, bacana essa matéria.

Agora, gostaria de colocar a minha ignorancia e pedir seu comentário sobre um argumento (sem embasamento

imediatamente), mas que se repete nos sujeitos "fora PT".

Por que dizem "O Brasil está afundando?"

Onde isto está causado?

Grata,

Simone.

Daniel Klein

- 2014-10-08 12:31:25

A UFABC tem grande futuro

Em 2004, quando Tarso Genro era titular do MEC, o governo deu início à REUNI – Reestruturação e Expansão das Universidades. No mesmo ano, a Academia Brasileira de Ciências criou um grupo de trabalho para analisar a reestruturação. O resultado foi o documento Subsídios Para a Reforma do Ensino Superior, bastante crítico de toda a nossa estrutura universitária, na qual o aluno tem de fazer a opção por um curso já no concurso de ingresso, no qual recebe formação excessivamente especializada numa grade curricular muito rígida. O projeto acadêmico proposto era semelhante ao criado na UFABC. Tarso Genro foi à Academia e declarou que aquele era o projeto dos seus sonhos, mas era politicamente inviável. A resistência, ficou claro, vinha de dois setores: a) estrutura burocrática já instituída nas universidades federais, partilhada em departamentos e dominada pelas escolas de prestígio, que são Medicina, Engenharia e Direito; b) a ideologia antimeritocrática do PT e dos sindicatos que dominavam o movimento docente. Era patético verificar que o ministro, que revelou boa visão e compreensão dos problemas, era refém dos oponentes da reforma necessária.

Em 2005 Haddad assumiu o MEC. Lula encomendou-lhe a criação da UFABC e ele teve a coragem para por sob teste a estrutura inovadora proposta pela Academia. Convidou Luiz Bevilacqua, membro do grupo de trabalho da Academia, para criar e coordenar a equipe formuladora do projeto acadêmico da UFBAC. Fui membro tanto do grupo de trabalho da Academia quanto da equipe formada por Bevilacqua. As divergências sobre projetos acadêmicos universitários são naturais e saudáveis, e as discussões internas do grupo foram muito intensas e até acaloradas. No final saiu um projeto realmente inovador, diante do qual ninguém fica neutro e os posicionamentos das pessoas tendem a ser extremos: alguns o amam, outros o odeiam. As pessoas menos inspiradas tendem a taxar como utópico tudo o que sai fora da sua própria experiência e isso determina a reação das pessoas diante da UFABC. Estava claro desde o início que só o futuro diria quem estava certo, e também que a boa implementação do projeto era essencial para o seu eventual sucesso. Tivemos a sorte de ver o projeto sendo bem implementado. A UFABC ainda é pequena e não é bom que ela cresça açodadamente, por várias razões.  Uma delas é que muitos dos professores contratados na UFABC demoram a absorver a nova filosofia e a nova estrutura e tendem a repetir lá dentro as práticas de suas universidades de origem.  Por isso, as bancas dos concursos têm de ser compostas de pessoas que entendem e aprovam o projeto da UFABC e devem avaliar a capacidade de adaptação dos candidatos ao projeto e à estrutura. Os dirigentes se saíram muito bem em toda a empreitada. O atual reitor, Prof. Capelli, é extremamente qualificado e tem sido, desde seu ingresso na UFABC, um veemente advogado da estrutura. Ótimo cientista e ótimo gestor, convicto dos seus objetivos.

Além de méritos de caráter acadêmico, a UFABC tem perseguido com sucesso o uso compartilhado e por isso muito mais intenso dos equipamentos de pesquisa de maior porte, o que gera redução de custos. Os estudantes, logo adquirem espírito de trabalho em grupo e capacidade para colaborar em grupos multidisciplinares, o que tem sido muito apreciado pelas empresas que os contratam. O sucesso profissional dessa turma ajudará a promover a sua universidade.

atenir

- 2014-10-08 12:19:09

O governo Dilma e do PT são

O governo Dilma e do PT são tão ruim de divulgar o que fazem que eu nem sabia que existia essa UNIPAMPA. 

A coisa é assim: os caras fazem muitas obras/projetos, mas ningem fica sabendo. Fico impressionado com essa comunicação medíocre do pt e do governo...

o mar da silva

- 2014-10-08 12:00:06

"Em 2006 a UFABC foi

"Em 2006 a UFABC foi inaugurada com 50 professores e 500 alunos, sem campus próprio. Oito anos depois, tem 552 professores, todos com título de doutor, 10 mil alunos, 26 cursos de graduação, 21 de pós, 2 campi próprios, 100 mil m2 de área construída e primeiro colocada em vários rankings.

Em 2012, entre as 2 mil instituições avaliadas pelo MEC, foi uma das 27 que tiraram nota máxima. O estudo holandês  Leiden Ranking of Brazilian Research Institutions and Universities analisou 60 universidades brasileiras e conferiu à UFABC o primeiro lugar em colaboração internacional e o segundo em quantidade de publicações entre os 10% mais citados em cada área."

 

Em 2006, o presidente da República era o Lula do PT. E esse é um dos legados do nordestino, retirante ao Brasil.

 

Para maiores informações, deixo aqui a resposta do ex-reitor da UFBA - Naomar de Almeida ao Reinadinho da inVeja sobre a comparação entre Lula e FHC no quesito universidade federal:

 

http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Educacao/Educacao-superior-em-Lula-x-FHC-a-prova-dos-numeros/13/16291

 

 

joao

- 2014-10-08 11:35:18

concordo sobre avancos
Dentro do meu espaco tempo, procuro seguir a universidade do ABC. Muito inovadora alem de ser fortemente estruturada em inovacao de ensino e pesquisa. Teoria como formacao. Agora nao concordo com aproximacao com as velhas universidades de ensino como a USP ou UFRJ como exemplo, pq digo isto, a univetsidade de Sao Carlos na decada de 70 e 80 deu um salto muito grande em relacao as outras do pais e com aproximacao e intercambio, como mestrados e doutorados hoje passou ao mesmo nivel das outras ou pior. Foi destruida em relacao ao passado. Temos de cuidar da ABC, tirar da primeira pagina do noticiario, apoiar conforme for a decisao dela, criticas e apontar caminhos. Somente assim pode se fortalecer e ser um caminho a ser seguido por outras universidades " monstrosity" velhacas federais. Seria um farol de luz a guiar como poucas ha no mundo! Junto e misturado se nivelaria. Ou metade metade, nunca seria inteira. Deixemos ABC ser a estrela a nos guiar para bem dos nossos filhos e irmaos. Abs.

altamiro souza

- 2014-10-08 11:34:15

parece que o novo está

parece que o novo está nessa federal  do abc,

que incentiva a pesquisa e o intercambio

com empresas e na área internacional.

parabéns aos que inovam nesse setor, inclusive a esse blog que tbinova..

pois essas boas notícias são escpondidas pela grande mídia.

Roberto Monteiro

- 2014-10-08 11:13:56

Temos a Unipampa!

Nassif e colegas leitores do Blog: aqui na região mais pobre do RS foi implantada a Universidade Federal do Pampa - UNipampa, com vários campi espalhados pelo pampa gaúcho. Talvez não tenha atingido, ainda, o nível da ABC, mas já está mudando o perfil desta região carente; Imagino que a Unipampa não tenha tanta repercussão por que está longe dos grandes centros, mas a sua importância não é menor do que estas que aí estão.

Assis Ribeiro

- 2014-10-08 10:32:39

Para quem não teve leu a série, aqui estão os links:

No plano estratégico Nassif já indicou que Dilma está no caminho certo.

Abordou no GGN sobre a industria Naval, a de medicamentos e a do pré-sal, e no Brasilianas.Org sobre a indústria de defesa, como indústrias mães, geradoras de várias outras, que criará a nossa nova indústria e a articulação produtiva

Nos links:

"Brasil 2015: a política industrial da saúde"

"Brasil 2015: os novos passos da indústria naval"

"A estratégia para a indústria de defesa nacional"

"Brasil 2015: o modelo Prominp de articulação produtiva"

Assis Ribeiro

- 2014-10-08 10:27:39

Excelente, Nassif

Não adianta procurar o novo em palheiro verborrágico

O novo já está sendo construído

É só olhar para perto e se verá as sementes plantadas do novo ciclo brasileiro

A dificuldade é para encontrar essas informações em um sociedade que foi manobrada para se manter informada  pelos conteúdos dos jornalões enviesados e manipuladores

Por isso pedi insistentemente que o blog encontrasse a sua linha ideológica própria desgarrada do convencional. Assim os seus leitores encontrarão fonte de conhecimento

Parabéns pela matéria, parabéns pela série sobre indústria naval, a de defesa,  de petróleo e a farmacêutica que serão, junto com o que o governo vem fazendo na educação, os novos polos de desenvolvimento do Brasil

sergio m pinto

- 2014-10-08 10:09:27

Isso implantado por um

Isso implantado por um "apedeuta". Imagine se o homem fosse um "intelectual", como uns e outros.

jo lima

- 2014-10-08 09:48:29

O Brasil é um país que em

O Brasil é um país que em todas as áreas possui ilhas de excelência. O exemplo posto pela Nassif é mais uma ilha. O que nós precisamos é de um estadista que juntasse essas ilhas e as tornasse um continente. Você pega a UFABC e a USP e você vê claramente o exemplo de avanço e o de estagnação respectivamente. 

O que me desânima é que nessa campanha eleitoral, esses tópicos fundamentas não são discutidos e se o são é muito raso. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador