Correção de aposentadoria não vai cobrir inflação

Especialistas dizem que aumento de 10% não vai ser suficiente para suprir perda do poder de compra decorrente da alta de preços

MARCELLO CASAL JR / AGÊNCIA BRASIL

Jornal GGN – Os aposentados e pensionistas terão uma correção de 10,06% nos valores recebidos pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) durante o mês de janeiro – contudo, tal correção não será suficiente para suprir a perda do poder de compra gerada pela inflação.

O reajuste em questão repõe a inflação das famílias mais pobres, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que recebem um salário mínimo em média – 23,4 milhões dos 36 milhões de cidadãos atendidos pelo INSS recebem um salário mínimo.

Tal reajuste também será aplicado a benefícios como o auxílio doença e as pensões. Desta forma, o teto das aposentadorias passará de R$ 6.443,57 para R$ 7.087,22. Os valores serão repassados a partir de 25 de janeiro.

“Para algumas famílias, que utilizam mais transportes públicos e têm gastos maiores com habitação e artigos de residência, a reposição das perdas determinadas pela inflação não serão totalmente compensadas, pois o aumento dos custos do transporte foi de 19,3% e o de habitação ficou acima de 13%”, explicou o economista José Luiz Pagnussat, conselheiro do CORECON/DF, em entrevista ao jornal Correio Braziliense.

Para Pagnussat, o mais adequado seria ter reajustes acima da inflação, e que incorporem os ganhos gerados pela economia ao longo do ano.

Leia Também

Com exceção de policiais, funcionalismo federal perdeu renda em 10 anos

Faltam vetores para crescer em 2022, por Anto­nio Cor­rêa de La­cer­da

Efeito câmbio responde por pelo menos 54% do IPCA de 2021, por Luis Nassif

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carioca

- 2022-01-16 20:20:27

Quando a inflação bater 86% ao mês Sua Alteza Real do STF irá divulgar seu voto sobre o treco da vida toda dos surrupiados na aposentadoria. Ou seja, ou vida ou morte.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador