Programa federal paga quase R$ 1 bilhão em benefícios indevidos

Auditoria da Controladoria-Geral da União focou o programa de Benefício Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEM)

Jornal GGN – O programa desenvolvido pelo governo federal para manter emprego e renda dos trabalhadores durante a pandemia de covid-19 pagou quase R$ 1 bilhão de forma indevida.

Auditoria realizada pela Controladoria-Geral da União mostra que os pagamentos irregulares efetuados pelo BEM (Benefício Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda) chegaram a R$ 990,7 milhões, segundo reportagem da revista Crusoé.

Ajude o GGN a manter seu jornalismo independente. Clique aqui e saiba mais

Os auditores chegaram a identificar mais de 8 mil repasses a beneficiários que já faleceram, menores de 14 anos e servidores públicos, e outros 492 mil repasses a pessoas que também recebera o auxílio emergencial – nestes casos, as despesas indevidas totalizaram R$ 492 milhões.

O BEM permitiu a redução proporcional de jornada de trabalho e de salário e a suspensão temporária do contrato de trabalho e, segundo o Ministério da Economia, teria ajudado a manter 12 milhões de empregos durante a pandemia.

Leia Também

“Naturalizar que teremos eleições em 2022 é ingenuidade”, diz a cientista política Mara Telles ao Cai na Roda

Consumo das famílias desaba aos níveis de 2013

Eleitor escolhe Lula por gestão e economia, enquanto Bolsonaro atrai por antipetismo e características pessoais

0 Comentário

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador