Auditor do TCU confessa que pai militar repassou informações falsas sobre o Tribunal a Bolsonaro

Segundo as informações falsas, que chegou a serem divulgadas pelo mandatário, cerca de metade dos óbitos da Covid-19 registrados durante a pandemia não teriam sido causadas pelo vírus

Agência Senado

Jornal GGN – O auditor Alexandre Figueiredo Costa e Silva confessou ao Tribunal de Contas da União (TCU) que foi o autor do ‘estudo falso’ citado por Jair Bolsonaro (sem partido) sobre o questionamento do órgão em relação às mortes por Covid-19 no país. Segundo as informações falsas, que chegou a serem divulgadas pelo mandatário, cerca de metade dos óbitos pela doença registrados durante a pandemia não teriam sido causadas pelo vírus. Costa e Silva afirmou, no entanto, que foi o seu pai, militar e amigo pessoal da família Bolsonaro, quem enviou o texto ao chefe do Executivo. 

A corregedoria do tribunal, encabeçada pelo ministro Bruno Dantas, encaminhou um relatório sobre o caso à presidente do órgão, ministra Ana Arraes, que autorizou nesta quarta-feira, 9, a abertura de processo administrativo disciplinar contra Costa e Silva. 

Segundo o ministro Dantas “os fatos até aqui apurados pela Corregedoria são graves e exigirão aprofundamento para avaliar a sua real dimensão”, a partir disso os envolvidos deverão ser ouvidos, como informou a coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo. 

Costa e Silva foi afastado do cargo de supervisor no Núcleo de Supervisão de Auditoria do tribunal e o posto será assumido por Fábio Mafra.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome