Da ala militar e de perfil técnico, reitor do ITA ganha força para assumir MEC

Entre os cotados para substituir Carlos Decotelli no Ministério da Educação ganhou força o nome do atual reitor do ITA, Anderson Ribeiro Correia

Foto: Força Aérea FAB

Jornal GGN – Em meio a grandes polêmicas, entre os cotados para substituir Carlos Decotelli no Ministério da Educação ganhou força o nome do atual reitor do ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica), Anderson Ribeiro Correia, que chegou a integrar a equipe de transição do governo Bolsonaro.

Trazendo o perfil técnico que o mandatário busca e com apoio dos evangélicos, Correia fez carreira na instituição e sempre esteve à frente de coordenações de ensino, seja no ITA até o Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), no ano passado.

De acordo com informações divulgadas pelo Estadão nesta terça (30), foram diversas as recomendações de Anderson Correia para assumir o MEC que chegaram ao governo. O mandatário estaria checando as credenciais e sondando a viabilidade de oficializar seu nome ainda nesta quarta (01).

Além de evangélicos e da ala militar, uma vez que o renomado instituto sediado em São José dos Campos, interior de São Paulo, é da Aeronáutica, o atual reitor do ITA também contaria com o apoio de especialistas e o terceiro setor.

Correia fez parte do grupo de transição para o governo de Jair Bolsonaro, sendo de lá indicado para presidir o Capes, aonde permaneceu até o ano passado, quando milhares de bolsas de mestrado e doutorado foram cortadas pelo governo. Ele ainda ajudou a formar a composição do Ministério da Educação, logo no início do governo Bolsonaro, quando era comandado por Ricardo Velez.

Próximo da ala militar do governo, em sua breve participação indireta no início da gestão Bolsonaro, Anderson Correia teria mostrado oposição à ala olavista que ganhava espaço no MEC.

 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome