Global Aviation diz que nave que caiu com Campos não pertence à frota

Jornal GGN – A Global Aviation enviou uma nota à imprensa para esclarecer que a aeronave Cessna 560XL, prefixo PR-AFA, que está sendo divulgada após o acidente que causou a morte de Eduardo Campos (PSB), não fazia parte de sua frota.

“A empresa segue os mais altos padrões de segurança e tem as principais certificações internacionais, como Wyvern, ARGUS e IS-BAO, que são oferecidos às companhias aéreas cujos padrões de qualidade e segurança operacional ultrapassam os exigidos pela indústria em geral. Este compromisso da Global Aviation faz com que a empresa se destaque no mercado por contar com aeronaves modernas, serviço ágil, seguro e exclusivo. A Global Aviation lamenta o ocorrido e se solidariza com os familiares das vítimas”, diz o informe.

Na manhã desta quarta-feira (13), a aeronave caiu em Santos, no litoral paulista. Campos utilizava o jato hoje para se deslocar entre Rio de Janeiro e Guarujá, onde tinha uma agenda de campanha definida previamente. A candidata a vice-presidente Marina Silva (Rede/PSB) desistiu de embarcar com Campos na noite seguinte.

Informações dão conta de que o modelo Cessna PR-AFA pertence ao grupo Andrade, detentor de duas usinas de açúcar e álcool, uma em Minas Gerais e outra em São Paulo. O Comitê Financeiro do PSB teria recebido 89 mil reais de uma das empresas do grupo. O dono confirmou ser proprietário da nave que caiu com Campos à Veja, mas não forneceu mais detalhes. Outros jornais afirmam que o equipamento apresentou falhas em outras viagens do presidenciável.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora