IPSOS: Desaprovação alta para todos candidatos, menos Lula

Michel Temer é desaprovado por 95% dos entrevistados, Alckmin por 70%, Bolsonaro por 61% e Lula por 51%. Ja a aprovação do líder petista aumenta para 47%
 

Foto: Agência Brasil
 
Jornal GGN – A campanha eleitoral começa oficialmente com a desaprovação dos candidatos em alta pela população brasileira. É o que mostrou a pesquisa Ipsos, encomendada pelo Estadão, nesta segunda-feira (20). Enquanto a maioria dos candidatos viu um aumento na desaprovação pelo eleitorado, apenas Lula teve queda nessa avaliação e, ao mesmo tempo, aumento da aprovação.
 
O tucano Geraldo Alckmin, então governador de São Paulo, é o que lidera os números negativos: é desaprovado por 70% dos entrevistados. Em seguida, Ciro Gomes, do PDT, aparece com 65% de desaprovação. 
 
O candidato da extrema direita Jair Bolsonaro (PSL) aparece com 61% de desaprovação, mesmo número obtido por Marina Silva (Rede). Henrique Meirelles tem 60% dos que não aprovam seu nome e o candidato a vice de Lula, Fernando Haddad, do PT, tem hoje 59% das análises negativas.
 
A pesquisa não teve como obejtivo medir as intenções de votos, mas entender os níveis de confiança e de credibilidade dos candidatos à Presidência da República nas eleições 2018 junto à população.
 
Nesse sentido, se Lula teve a menor desaprovação de todos os mais cotados para o cargo, 51%, este também é o número mais baixo obtido pelo líder petista quando o tema é desaprovação. A pesquisa anterior havia registrado 53%.
 
Do outro lado, houve um aumento de dois pontos percentuais daqueles que, positivamente, aprovam seu nome como candidato à presidente: 47% dos entrevistados. 
 
Se a desaprovação de Lula é a menor entre os mais cotados à Presidência, a sua aprovação também a maior entre as 17 personalidades apresentadas pela pesquisa realizada pela Ipsos, que inclui candidatos, mas também outros nomes populares.
 
É o caso do magistrado de Curitiba, Sérgio Moro, que comanda a Lava Jato no Paraná. Ele está outro extremo e ao mesmo tempo uma das preferências dos eleitores quando a pergunta é aprovação: 41% dos entrevistados.
 
Em seguida, Marina Silva obteve 30% de aprovação e Joaquim Barbosa, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), que ficou reconhecido por seu julgamento polêmico no chamado mensalão, conseguiu 28% de aprovação.
 
O nome que não poderia ficar fora deste ranking de “aprovados” e “desaprovados”, o atual mandatário Michel Temer segue com os números mais elevados de desaprovação pelos brasileiros: 94%.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora