Ernesto Araújo ganha cargo administrativo no Itamaraty até Bolsonaro decidir seu futuro

Lideranças no Senado deixaram claro que não pretendem dar liberação para a designação do ex-ministro como embaixador de uma missão diplomática internacional

Jornal GGN – O ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, recebeu nesta quarta-feira, 31, um cargo na secretaria de gestão administrativa do Itamaraty. Ele deixou a chefia da pasta na última segunda-feira, 29. 

Segundo interlocutores ouvidos pela Folha de S. Paulo , a ideia é que o ex-ministro permaneça na posição subordinada até que Jair Bolsonaro (sem partido) decida o seu destino, que está entre ficar no Brasil ou ser enviado para missão no exterior.

O setor que Araújo foi encaminhado é chefiado pela embaixadora Cláudia Buzzi e fica responsável por tratar das remoções para o exterior, entre outros temas. 

A reportagem destacou que, em uma situação normal, o esperado seria que o ex-ministro fosse enviado para chefiar alguma embaixada no exterior, mas sua demissão ocorreu em meio a uma crise do Congresso contra a sua gestão no Itamaraty.

Lideranças no Senado deixaram claro que não pretendem dar liberação para a designação de Araújo como embaixador de uma missão diplomática fora do Brasil.

Segundo apuração, uma das alternativas é que ele seja enviado para uma posição fora do Brasil que não requer autorização do Parlamento, como a missão brasileira junto à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora