Guedes critica empresários que ameaçaram retirar investimentos do Brasil

"Nossa imagem está muito ruim lá fora, até mesmo uma parte de nós falamos muito mal do País. Lá fora há muito oportunista protecionista, como a França", atacou

Paulo Guedes - Foto: ABr

Jornal GGN – O ministro da Economia, Paulo Guedes, tentou defender a política ambiental do governo de Jair Bolsonaro, afirmando que “uma parte de nós falamos muito mal do Brasil lá fora”. A declaração é em referência ao grupo de empresários estrangeiros que ameaçaram deixar de investir no Brasil.

Um grupo de cerca de 30 instituições financeiras de todo o mundo anunciou, na semana passada, que se o governo brasileiro não frear o crescente desmatamento no Brasil, deixará de manter negócios no país.

De acordo com o jornal britânico Financial Times, as empresas afirmaram que a continuidade do desmatamento gerou “uma incerteza generalizada sobre as condições para investir ou fornecer serviços financeiros ao Brasil”.

O grupo de investidores enviou uma carta ao governo de Jair Bolsonaro na última terça-feira. Juntas, estas instituições financeiras gerenciam mais de US$ 3,7 trilhões em ativos totais, incluindo a Legal & General Investment Management e a Sumitomo Mitsui Trust Asset Management.

“Como instituições financeiras, que têm o dever fiduciário de agir no melhor interesse de longo prazo de nossos beneficiários, reconhecemos o papel crucial que as florestas tropicais desempenham no combate às mudanças climáticas, protegendo a biodiversidade e assegurando serviços ecossistêmicos”, disseram.

Logo após a manifestação, a resposta do presidente Jair Bolsonaro e do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, foi de criticar os investidores, chamando-os de “desinformados”.

Nesta terça (30), foi a oportunidade do ministro da Economia de responder, e saiu em defesa a política ambiental de Bolsonaro. “Nossa imagem está muito ruim lá fora, até mesmo uma parte de nós falamos muito mal do País”, criticou.

Leia também:  Merkel manifesta preocupação com desmatamento e deterioração da proteção de indígenas no Brasil

“Lá fora há muito oportunista protecionista, como a França, que é uma parceira, investe aqui, mas não quer que exportemos produtos agrícolas para lá. Os Estados Unidos querem entrar com etanol no Brasil e não aceitam açúcar brasileiro lá”, continuou Guedes.

“Esses países jogam uma ‘pecha’ (de destruição do meio ambiente) no Brasil, independentemente de dados embasados. Vamos proteger meio ambiente sem cair na armadilha de outros países em falar mal do Brasil”, acrescentou.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. “Uma parte de nós FALAMOS muito mal do País”.

    Os Idiotas tomaram conta do país. Imagine um Ministro de Estado não saber concordância verbal. Imprecionante.

    7
    1
  2. Puxa, você está realmente com a razão.
    A culpa toda é do governo federal, incompetente, entreguista.
    E o Ministro da Economia, então, é o pior dentre eles.
    O capital suporta riscos, mas não aceita que um imbecil ensandecido crie um cenário obviamente não lucrativo.

    • Essa matéria podia ser resumida assim: “Neoliberal descobre que o neoliberalismo só funciona na cabeça dele e culpa o mundo real por não corresponder às suas idêias.”

  3. Para os empresários, existem razões mais importantes. Pergunte a qualquer empresário estrangeiro sobre os problemas e ele dirá que estava cansado de pagar subornos enormes à polícia (sem eles é impossível carregar um único contêiner no navio) e está sob constante ameaça de prisão.

    • Eu notei isso. Os fiscais brasileiros não respondem a ninguém na prática, então podem cometer qualquer crime que quiserem que não serão punidos por isso. Eles podem roubar os seus produtos na sua frente e você não têm como contestar.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome