BNDES dobra volume de crédito para o Nordeste

Sugerido por Assis Ribeiro

A Região Nordeste recebeu o dobro de recursos nos primeiros sete meses do ano, quando em comparação com igual período do exercício anterior, por parte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); foram liberados R$ 14,6 bilhões, contra R$ 7,2 bilhões entre os meses de janeiro a julho do ano passado, um crescimento de 101%; os maiores desembolsos ficaram com os estados da Bahia (R$ 5,8 bi), Maranhão (R$2,07) e Pernambuco (R$ 1,9 bi)

 
A Região Nordeste recebeu o dobro de recursos nos primeiros sete meses do ano, quando em comparação com igual período do exercício anterior, por parte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A Instituição liberou um total de R$ 14,6 bilhões, contra R$ 7,2 bilhões entre os meses de janeiro a julho do ano passado, um crescimento de 101% no volume de desembolsos. Os estados que mais receberam os financiamentos foram a Bahia, Maranhão e Pernambuco, com R$ 5,8 bilhões, R$ 2,07 bilhões e R$ 1,9 bilhão, respectivamente.
 
De acordo com o BNDES, o crescimento dos desembolsos foi impulsionado pelas obras de infraestrutura e pela implantação de grandes projetos industriais em todo o Nordeste. Os financiamentos para a Região, que no ano passado chegaram ao equivalente a 13% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, representaram 14,3% nos sete primeiros meses deste ano. A expetativa é que ao término deste exercício o volume total de recursos aplicados no Nordeste chegue a R$ 23 bilhões. Em 2012, este volume foi de R$ 21 bilhões.

 
De acordo com o chefe do Departamento Regional do BNDES, Paulo Guimarães, a alteração no ranking – Pernambuco caiu da segunda para a terceira posição, ficando atrás do Maranhão – se deve ao fato de que grandes projetos , como a Refinaria Abreu e Lima e a Petroquímica Suape já terem seus financiamentos liberados anteriormente.
 
Segundo o Jornal do Commercio, a maior parte dos financiamentos (27,26%) destinados para Pernambuco foram voltados para a administração pública, sendo empregados em obras de infraestrutura hídrica e viária, saneamento, saúde, logística e infraestrutura portuária. Guimarães acredita que, ao longo do segundo semestre, o Estado deverá voltar à segunda posição no ranking regional e fechar o exercício com desembolsos da ordem de R$ 3,5 bilhões, contra R$ 3,2 bilhões registrados em 2012.
 
Na Bahia, que registrou um crescimento de 174%, os financiamentos entre os meses de janeiro  a julho passaram de R$ 2,1 bilhões em 2012 para R$ 5.8 bilhões em 2013. Já o Maranhão, viu os seus desembolsos saltarem de R$ 606,6 milhões em 2012, para R$ 2,07 bilhões neste ano. Os maiores repasses foram voltados para financiamentos de projetos de papel e celulose e para o setor de mineração. 
 
http://www.brasil247.com/pt/247/bahia247/116153/BNDES-dobra-volume-de-cr%C3%A9dito-para-o-Nordeste.htm
 

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador