Dilma projeta novo programa de concessões para junho

Da Agência Brasil

Após assinar hoje (18) o contrato de concessão da Ponte Rio-Niterói, a presidenta Dilma Rousseff disse que a segunda etapa do programa de concessões do governo federal será lançada em junho e que espera que a nova fase repita os resultados da primeira.

“Acreditamos ele [o programa de concessões] terá o mesmo sucesso que o primeiro teve. Este vai ser um programa de concessões um pouco mais amplo, porque vai abranger não apenas rodovias, mas ferrovias, aeroportos, portos e outras concessões”, adiantou.

Dilma considerou a primeira etapa do programa “muito bem- sucedida”. O governo conseguiu licitar mais de 25 mil quilômetros, com previsão de investimentos de R$ 32 bilhões ao longo da vigência dos contratos.

Para a presidenta, a continuidade das licitações mostra que o programa funcionou, com respeito às regras e aos contratos. “Mostra que temos maturidade suficiente para ter um programa que foi respeitado, que as regras foram observadas, cumpridas, que não houve nenhum desequilíbrio no contrato e isso significa robustez num projeto de concessão. Significa que o projeto de concessão brasileiro é credível e forte”, avaliou.

A concessionária Ecoponte vai administrar a Ponte Rio-Niterói por 30 anos. O contrato assinado hoje prevê investimentos de 3,3 bilhões em operação e obras. Entre as melhorias de infraestrutura determinadas pelo governo, estão a construção da Avenida Portuária, de uma alça de ligação com a Linha Vermelha e de uma passagem subterrânea em Niterói para separar o tráfego local dos veículos que chegam pela ponte.

Leia também:  Coluna Econômica: a recuperação insuficiente da indústria

Com a nova concessão, o valor do pedágio na ponte vai cair de R$ 5,2 para R$ 3,7 a partir de 1° de junho.

O ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues, disse que o governo vai fiscalizar o cumprimento do contrato. “Não tenho dúvidas de que concessão atende a importantes solicitações da população do estado do Rio de Janeiro. Estaremos atentos aos compromissos assumidos pela concessionária, para que sejam todos cumpridos.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

11 comentários

  1. Estaremos atentos aos

    Estaremos atentos aos compromissos assumidos pela concessionária, para que sejam todos cumpridos.

     

    ____________

    Inicialmente pergunto:

    Na data aprazada?

    Se não cumprirem vai para o MPF e fica a troco de um TAC que comumente não se cumprem?  

     

  2. Minha sugestão, se não se

    Minha sugestão, se não se atacar de frente o problema da BUROCRACIA, nada vai andar, pode ter o dinheiro que for.

    Os Grupos Votorantim e Gerdau DEVOLVERAM  13 concessões PAGAS de hidroeletricas médias porque APOS 11 ANOS

    não conseguiram vencer as burocracias da FUNAI, da Fundação Zumbi dos Palmares (quilombolas) e do IBAMA, sem falar em Tribunal de Contas, Procuradorias de todos os niveis.

    Esses orgãos SENTAM em cima dos projetos e sem uma certidão de um não se continua na GINCANA.

    Os orgãos da BUROCRACIA DE PROJETOS não tem PRAZO, se segurar um projeto 30 dias ou DEZ ANOS, o salario do birocrata, suas ferias, contagem de tempo de aposentadoria, licença premio, NADA É AFETADO, eles não em METAS,

    não tem que dar produtividade, não tem obrigações ou compromissos, o Ministro acima deles não tem autoridade para os fazerem trabalhar.

    A BUROCRACIA não foi criada pelo PT mas depois do PT no Governo piorou muito porque ninguem manda mais em ninguem, o mega aparelhamento dos orgãos introduziu gente incapaz , com a cabeça cheia de ideologia anti-empresarial,  não há mais criterio de racionalidade ou noção de tempo.

    Não conheço no Governo NENHUM esforço, programa, intenção ou vontade para combater a burocrcia, então não ponho fé nessas concessões, elas vão empacar na burocracia, nem a paciencia chinesa vence, os chineses já estão com projetos emperrados pela burocracia na area de linhas de transmissão. (linha do Teles Pires).

    Se não combater a BUROCRACIA os chineses vão tentar concessões e vão desistir.

    O Governo Militar criou um Ministerio de Desburocatização e um Plano Nacional para combater a burocracia, tudo foi desmontado já no Governo Sarney, hoje a coisa é muito pior do que em 1964.

    • É a fé que atrapalha!

      Não é burocracia, seu diagnóstico está incorreto!

      Estes projetos não tem licença e NEM TERÃO porque o posicionamento de Marina Silva venceu!

      Não se pode mais construir reservatórios neste país. Belo Monte passou porque o Governo se empenhou em fazer passar. E mesmo com todo o empenho, Lula teve que DEMITIR a Ministra do Meio ambiente E DEMITIR também o chefe do Ibama! Não foi fácil!

      Deste conceito entende-se que a geração de eletricidade por base hídrica é uma das mais danosas ao meio ambiente. Este conceito SÓ EXISTE NO BRASIL e é mais fé do que qualquer outra coisa. As pessoas tem fé que é assim!

      Se fosse burocracia SERIA MOLEZA resolver!

      Então…vai lá discutir com estas pessoas de fé. Não existe assunto a ser discutido porque é questão de fé!

      Se vc não concorda com eles, vc vira O Diabo na hora! Já foi a alguma reunião prévia de licenciamento? Vá lá ver como é!

      Isso aqui que vc disse está correto, em parte, porque faz parte do embasamento da fé:

      “A BUROCRACIA não foi criada pelo PT mas depois do PT no Governo piorou muito porque ninguem manda mais em ninguem, o mega aparelhamento dos orgãos introduziu gente incapaz , com a cabeça cheia de ideologia anti-empresarial,  não há mais criterio de racionalidade ou noção de tempo.”

      Só que…

      Não é a ideologia anti-empresarial , a ideologia de esquerda, quem está parando estes projetos. Se vc for por este caminho, vc está ajudando os que param este projetos.

      É a ideologia verde de gente que acha que a humanidade TEM QUE procurar OUTRO caminho para se desenvolver, tem que apagar as luzes, tem que um monte de coisas…gente que quer ditar como vc deve viver.

      • olha eu concordando com A.A.
        Neste caso o André Araujo tem razão, o Estado não pode ficar a mercê dos burocratas, tenham eles fé ou não.

        Ontem mesmo li num site especializado em petróleo que o governo tinha baixado uma portaria normatizando as competências dos órgãos ambientais federal e estaduais para emitirem as licenças. Fica mais ou menos assim: a partir de tantos megawatts é federal, abaixo disso é pch e de competência estadual.

        Demorou tanto tempo só para decidir isso? 13 anos?

  3. já terceirizaram os correios também?

    Tentar, já tentaram, vender os correios, inclusive  para o Fedex dos USA.

    Agora, do jeito que os correios estão a passo de cágado entregando correspondências sedex ou PAC ou qualquer outra, imagino que tal ente desgovernou-se e passou para a privada iniciativa.

    A iniciativa privada, como se sabe,  não investe (Sabesp, Copasa, trens do Rio de Janeiro, etc) nem tostões, já que seu objetivo é e sempre será ganhar dinheiro a partir da concessão abocanhada.

     

     

  4. Está reclamando do que cara pálida ?

    Na ponte Rio Niteroi o pedágio cai de 5,2 para 3,7. Vai morar no interior de SP e você  verá como são os pedágios tucanos. Por outro lado veja estas concessões como os impostos que os bacanas se recusam em pagar, impedindo o investimento público “

    • De novo essa lenga-lenga?

      De novo essa lenga-lenga? Como se o preço do pedágio fosse o único indicador… O relevante é se o pedágio é condizente com a qualidade da estrada. E se por trás de um pedágio “barato” não estão escondidas falhas na conservação/segurança ou subsídios marotos. 

      As estradas de SP tem pedágio caro mas são decentes. Melhor do que algumas rodovias federais concedidas que tem o suposto pedágio “baratinho” e continuam esburacadas.

      Situação parecida foi com a mutreta das tarifas de eletricidade. O governo federal fez uma redução cretina do valor das tarifas e conceceu empréstimos para as empresas de energia para cobrir o rombo. Ou seja, achamos que estávamos pagando mais barato na conta de luz, mas a diferença estávamos pagando na forma de empréstimos com dinheiro de impostos.

      Não cola. Sejam mais sofisticados.

      • As distribuidoras NÃO PODEM

        As distribuidoras NÃO PODEM passar a conta da energia que compram imediatamente para a conta porque a LEI diz que é assim.

        Existe um GAP!

         

  5. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome