A guerra volta em Gaza e Israel deixa 32 mortos nas primeiras horas

A trégua entre Israel e o Hamas terminou. Estado de Israel já deixou 32 mortos nas primeiras horas de ataque

As IDF são acusadas de cometer crimes de guerra na Faixa de Gaza, na Cisjordânia e Jerusalém Ocupada. Foto: Forças de Defesa de Israel, divulgada em 01/12/23

A trégua entre Israel e o Hamas terminou e o Estado de Israel já voltou às operações de ataque aos palestinos, deixando nas primeiras horas de ataque 32 mortos.

Desde o início da trégua, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu deixou claro que não tinha intenções de pausar a guerra definitivamente, mas que a interrupção dos ataques seria temporária.

“Com o reinício dos combates, enfatizamos: o governo israelense está empenhado em alcançar os objetivos da guerra – libertar os nossos reféns, eliminar o Hamas e garantir que Gaza nunca representará uma ameaça para os residentes de Israel”, escreveu Netanyahu.

O cessar-fogo começou na última sexta-feira, foi prorrogado duas vezes, permitindo a troca de reféns detidos e a entrada da ajuda humanitária em Gaza.

O Estado de Israel afirmou que o Hamas não teria cumprido com partes do acordo de trégua, ao manter como réfens algumas mulheres e começar a disparar foguetes uma hora antes do fim do cessar-fogo, às 7h desta sexta.

Após o comunicado do primeiro-ministro do Estado de Israel, um membro da cúpula do Hamas afirmou que “o os israelenses não conseguiram durante os cinquenta dias antes da trégua, não conseguirão continuando a sua agressão após a trégua.”

O dia amanheceu, assim, do retorno da guerra, já voltando a deixar feridos e mortos.

Com agências internacionais.

Redação

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador