Steve Bannon é condenado a quatro meses de prisão por desacato ao Congresso

Ana Gabriela Sales
Repórter do GGN há 8 anos. Graduada em Jornalismo pela Universidade de Santo Amaro. Especializada em produção de conteúdo para as redes sociais.
[email protected]

O aliado de Trump e da família Bolsonaro se recusou a entregar documentos e a depor na comissão que investiga a invasão do Capitólio

Foto: Elekes Andor – via Wikipedia

A Justiça dos Estados Unidos condenou nesta sexta (21) o ex-conselheiro de Donald Trump ideológico da família Bolsonaro, Steve Bannon, a quatro meses de prisão e multa de US$ 6.500 por desacato ao Congresso americano.

A sentença é referente ao um processo em que Bannon foi condenado em julho, por se recusar a entregar documentos e a depor à comissão da Câmara que investiga a invasão do Capitólio.

Ainda cabe recurso à sentença e o estrategista aguarda em liberdade o fim do processo.

Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente. Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn

A invasão

Em 6 de janeiro de 2021, apoiadores de Trump invadiram a sede Congresso dos EUA para tentar impedir o reconhecimento da vitória do democrata Joe Biden. Na ocasião, cinco pessoas morreram.

A condenação

Para analisar a invasão do Capitólio, foi formado um comitê na Câmara com sete deputados democratas e dois republicanos.

De acordo com as investigações do grupo, Bannon falou com Trump ao menos duas vezes no dia anterior ao ataque e participou de uma reunião de planejamento em um hotel em Washington.

Com isso, ele foi intimado pelo comitê a entregar documentos e comunicações com Trump, mas se recusou, argumentando que teria direito ao chamado “privilégio executivo”, que protege as comunicações do presidente e seus assessores.

A comissão do Congresso rejeitou a justificava, mas Bannon não respondeu às intimações.

Em meio ao caso, a promotoria havia pedido que o aliado de Trump fosse condenado a seis meses de prisão. A defesa buscava a liberdade condicional.

O promotor J.P. Cooney disse na audiência desta sexta-feira que Bannon optou por “desprezar o Congresso” e que ele “não está acima da lei, e é isso que torna este caso importante“, disse Cooney.

Leia também:

Ana Gabriela Sales

Repórter do GGN há 8 anos. Graduada em Jornalismo pela Universidade de Santo Amaro. Especializada em produção de conteúdo para as redes sociais.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador