Eduardo Bolsonaro pode ser incluído em investigação sobre invasão ao Capitólio

Investigação apura o envolvimento de conexões internacionais da extrema-direita no ataque

Eduardo Bolsonaro
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agencia Brasil

O Jornal GGN produzirá um documentário sobre o avanço da ultradireita mundial e a ameaça ao processo eleitoral. Saiba aqui como apoiarColabore!

da Sputnik Brasil

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) pode ser incluído nas investigações sobre a invasão ao Capitólio, nos EUA, em 6 de janeiro de 2021.

A informação foi dada pelo deputado democrata Jamie Raskin a uma comitiva de representantes de entidades civis do Brasil, que está em Washington para conversar sobre um eventual risco de golpe nas eleições presidenciais do Brasil.

Segundo noticiou a Folha de S.Paulo, Raskin disse à comitiva brasileira que uma das linhas de investigação do caso envolve a participação de conexões internacionais da extrema-direita na invasão. Eduardo Bolsonaro pode ser incluído porque estava na capital americana dias antes da invasão, e se reuniu com pessoas próximas ao então presidente Donald Trump.

Segundo noticiaram sites americanos, Eduardo teria se reunido com o empresário Michael Lindell e outros aliados de Trump envolvidos no planejamento da invasão. O deputado brasileiro nega que tenha participado de reuniões com pessoas ligadas ao ataque. Ele diz que esteve na capital americana em 4 de janeiro, para se encontrar com a filha do então presidente, Ivanka Trump, e seu marido, Jared Kushner, na época assessor de Trump.

Raskin elogiou a reunião com a comitiva brasileira, afirmando que foi “muito educativa”. “Está claro que as forças pró-democracia e pró-direitos humanos no Brasil estão com medo de que algo parecido com o que ocorreu nos EUA em 6 de janeiro possa acontecer em seu país”, disse Raskin.

Leia também:

As peças do Xadrez da Ultradireita

A atuação das mineradoras no financiamento da ultradireita

A formação das milícias bolsonaristas

Em perguntas ao TSE, militares estudaram caminhos para anulação das eleições

Como a Cibersegurança do Exército serviu para ataque de Bolsonaro às urnas

NRA, a Associação Nacional de Rifles, o aliado preferencial do bolsonarismo

Centro de Inteligência do governo atua longe de qualquer controle

Xadrez do homem que inventou o Cambridge Analytica

Xadrez da ultradireita mundial à ameaça eleitoral

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador