ABJD cobra resposta do CNMP diante das violações de Deltan

A Associação insiste que o CNMP pare de arquivar os sucessivos pedidos de investigação que vêm sendo protocolados no órgão.

da ABJD – Associação Brasileira de Juristas pela Democracia

ABJD cobra resposta do CNMP diante das violações de Deltan

A ABJD (Associação Brasileira de Juristas pela Democracia) apresentou nova Representação ao CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) nesta quarta-feira, 18/9, para que afaste imediatamente Deltan Dallagnol da Lava Jato e Thaméa Danelon de investigações correlatas à Operação, instaure processo administrativo disciplinar e aplique as penalidades cabíveis.
A Associação insiste que o CNMP pare de arquivar os sucessivos pedidos de investigação que vêm sendo protocolados no órgão. “A atuação dos procuradores viola o que as prerrogativas funcionais e institucionais impõem ao cargo público. A avalanche de fatos gravíssimos atinge uma fase dramática e exige do órgão uma postura”, reforça.

A Representação se baseia na reportagem publicada no dia 17/9, pelo jornalista Reinaldo Azevedo (Band) em parceria com o The Intercept Brasil, mostrando que a procuradora Thaméa Danelon participou diretamente, e com aval de Deltan Dallagnol, da construção de pedido de impeachment do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes.

Para a entidade de juristas, a ação demonstra que os procuradores agiam nas sombras ao pedirem segredo sobre o que faziam juntamente com advogado privado, com troca de informações que os integrantes do Ministério Público tinham acesso graças as suas funções.

“Houve tentativa clara de atentar contra a atuação de um ministro do STF. Não há dúvida que se trata de ilícito de índole altamente dolosa, haja vista que se pretendia, em conluio, praticar algo vedado pela legislação ou pela moralidade administrativa”.

Leia também:  Basta de tergiversações, disparates e pusilanimidades: o STF tem o dever de decidir de acordo com a Constituição e a lei nesta quinta-feira, por Marcelo Neves

A ABJD ressalta que o argumento dos órgãos de investigação até aqui, de que os diálogos vazados entre os integrantes da Lava Jato não podem ser reconhecidos como prova por terem origem ilícita, não se sustenta. As conversas não são negadas pelos atores e foram comprovadas por outras pessoas e autoridades, podendo, portanto, ser indícios para investigação e instauração de processo administrativo disciplinar.

O GGN prepara uma série de vídeos que explica a influência dos EUA na Lava Jato. Quer apoiar o projeto? Clique aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. Gostaria de entender por que este jornal, tenta de todas as formas acabar com investigações contra poderosos corruptos. Não vi nenhuma reportagem ou comentário das conquistas feitas por diversos processos contra corruptores e corrompidos. Defender um ministro que se posiciona de forma tão anti-republicana como Gilmar Mendes. Lembra da decisão escandalosa no caso do habeas corpus do empresário Barata do Rio? O sujeito foi padrinho de casamento da filha do investigado e fala que não há suspeição em conceder o habeas corpus? Por que o Supremo Tribunal Federal não pode ser investigado. Um dos pontos fundamentais do sistema político com 3 esferas de poder de Montesquieu e da independência entre os poderes, mas também na obrigação de um poder fiscalizar os outros, para coibir excessos. É simples assim.

  2. Pense num cabra safado,é esse Deltan Dallagnol.Caetano Veloso,conhecido na boa terra como pé de gelo,devia mandar desinfetar a casa dele,depois que recebeu esse canalhocrata no silêncio da madrugada.Eu hem,não me convidem para dividir a mesma mesa com Caetano Veloso,Tabata Amaral,Randolfe Rodrigues e Ciro Gomes.Querem saber por que?Todos eles teem um microfone da Globo escondido na lapela.

  3. E além de atentar contra o ministro Gilmar, há sérias suspeitas de que alguém mandou matar Teori naquele mal explicado “acidente”. Só o que se tem certeza é que o grande beneficiado foi sergio moro….que só pôde continuar delinquindo graças à morte de Teori. Aí tem coisa e se a polícia federal tiver gente com vergonha na cara precisa investigar seriamente esse assassinato.

  4. E além de atentar contra o ministro Gilmar, há sérias suspeitas de que alguém mandou matar Teori naquele mal explicado “acidente”. Só o que se tem certeza é que o grande beneficiado foi sergio moro….que só pôde continuar delinquindo graças à morte de Teori. Aí tem coisa e se a polícia federal tiver gente com vergonha na cara precisa investigar seriamente esse assassinato. Mas o duro é que o chefe é o próprio suspeito…..sei não.

  5. Não sou do GGN, mas vou me atrever a responder. Toda, absolutamente toda a mídia empresarial já faz isso que você sugere. Se todos fizerem a mesma coisa, vira totalitarismo da comunicação.
    Em segundo lugar tenho a dizer que há previsão legal de impeachment de ministro do supremo, mas é prerrogativa do senado. Não cabe a procuradores alimentarem motins contra ministros ou juízes. O GGN não pode ser acusado nunca de amaciar para o lado de GM, mas sim de ser um canal que zela pela legalidade.
    Por fim, no tocante à lava jato, nenhum ministro do supremo está imune a críticas quanto às suas decisões. Todos, em algum momento, tomaram decisões indevidas e até suspeitas. Por que seu incômodo é só com GM?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome