Após revelações do Cade, Alckmin tenta se manter blindado da Lava Jato

O silêncio, o distanciamento de outras figuras arroladas, como José Serra, e até possivelmente queimar algum assessor estão entre os planos do PSDB
 
 
Jornal GGN – As revelações de que o esquema de corrupção em licitações de obras de rodovias e metrô de São Paulo durante as gestões tucanas de Geraldo Alckmin, José Serra e Alberto Goldman não passou despercebido e entrou na malha do Cade preocupa o futuro do partido para 2018.
 
Ainda que em datas festivas, na última semana de atividades judiciárias e legislativas, antes dos recessos na política e governo, o cartel das empreiteiras sobre obras milionárias no estado, que teria beneficiado tanto as empresas quanto agentes dos governos do PSDB, virou notícia e a olhos públicos.
 
Apesar de o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), como órgão subordinado ao Ministério da Justiça e responsável por analisar concorrências e abusos do poder econômico a nível das instituições, tratar de preservar os nomes dos caciques tucanos diretamente envolvidos, os líderes do PSDB passaram o dia de ontem (19) debatendo sobre como lidar com a nova crise.
 
Após as informações sobre os casos, divulgados por toda a imprensa, eventuais efeitos nas candidaturas do PSDB foram postas à mesa, começando pelo próprio novo presidente nacional da sigla e governador arrolado nas acusações, o presidenciável Geraldo Alckmin.
 
Em um primeiro momento, a estratégia adotada foi similar à do governo Temer, de tentar abafar as repercussões, silenciando posicionamentos. Para isso, Alckmin chegou a cancelar a agenda pública que tinha nesta terça-feira e jogou a bola para a Secretaria de Transportes Metropolitanos, que deve se posicionar como instituição, e não governo, em defesa das acusações.
 
As revelações, já tratadas anteriormente em delações da Odebrecht e de outras empreiteiras à Operação Lava Jato, mas somente agora expostas, conflitam com a blindagem até então dos nomes tucanos afora da Lava Jato. Apenas recordando de como o partido atuou no caso do senador Aécio Neves, afastando-o drasticamente do cenário político, como exemplo de como a sigla vinha fazendo para se expor o mínimo possível em relação às acusações da Lava Jato.
 
Assim, uma vez que o nome envolvido é do próprio presidenciável em 2018, o discurso tomado pelo PSDB será o de que o atual governador de São Paulo impulsiona as investigações e poderá queimar nomes de auxiliares, assessores e/ou funcionários públicos, para que a punição dos mesmos seja o enterro das acusações contra o partido ou cacique tucano.
 
 
 

7 comentários

  1. Tucanos safos

    Os tucanos são safos, quando a coisa aperta são poupados pela mídia por algum tempo, depois voltam com perguntas tipo “levanta a bola”, algumas ligações (“Se pudesse ligar para o Flexa aí e fala…”) e tudo é solucionado. Tristes tempos vivemos mas reveladores, só não vê quem tem a visão muito desfocada ou é cego.

  2. No vocabulário do PIG, roubo alto e continuo de $$$

    dos contribuintes, quando pelos tucanos, se chama “Cartel”.

    Mas os paulistas acham chique ser roubados por tucanos. De qualquer forma, trens e metró são coisas de pobres, então está tudo certo.

  3. Em plena modinha de moralismo… os maiores bandidos blindados

    Esse país é uma piada pronta ridícula!

    No auge do moralismo e das perseguições feitas pela justiça… a casta dos nobres bandidos do PSDB segue intocável…

    Todo o jornalismo político do Brasil se transformou em um mero panfleto partidário tucano… os blogueiros, youtuber, valentões anti-corrupção silenciados diante de mais uma acusação contra os BANDIDOS do PSDB.

    Eu nunca vi nenhum empregado da grande mídia dar chilique por causa de corrupção tucana. 

  4. Os Tucanos são safos e cada

    Os Tucanos são safos e cada vez mais previsíveis, quando a coisa pega somem da mídia, voltam com perguntas tipo “levanta a bola”, alguns telefonemas para as pessoas certas (“Você sabe um telefone que você poderia dar que ajudaria…) e tudo volta ao normal.

  5. teatro….

    Quanto à Maluf não existe processo. Não existe mais ninguém. Só a ânsia de prender Maluf. Começo, meio e fim de tal perseguição. Fica o desafio de citar outro condenado no mesmo processo. Quando ao TRENSALÂO TUCANO, Paulo Preto é figura que será lembrada em livros de História. O Maior ‘Testa de Ferro’ da Humanidade. Descobrirá a Justiça, que mandava em SP, mais que Montoro, Covas, FHC, Serra, Kassab, Goldman, Lembo e Picolé. E que estes todos de nada sabiam. Lembra dos 4,5 milhões do PSDB, que ele torrou com a Mulher e todos ficaram quietos?! ‘Ladrão que rouba ladrão….O CADE, que não altera o monopólio dos gângsters e da RGT no futebol. O CADE e não o MP? Revelador. Assim como revelador o MP TUCANO, quero dizer o MP / SP correr em entrevista coletiva para dizer depois de anos que está indiciando as mesmas figuras. É Hilário. 20 minutos depois do CADE anunciar suas investigações. Descobrimos que o maior problema do Judiciário Paulista são as Gavetas. Pobre dos criminosos quando o MP / SP tiver gavetas que emperrem menos. Assim como revelador que tudo exposto na véspera do Recesso Nababesco da Realeza Nacional. Decisões, indiciamentos, revogações, inquéritos, conduções coercitivas, somente depois do julgamento do Lula. Revelador, não é mesmo? Mas só coincidência. Tudo neste país é coincidência. 

  6. Teoria da conspiração kkkkk

    Alguns páus mandados do Partido Paulista, tem o descaramento de dizer ser Teoria da Conspiração, aos que acreditam estar tudo sendo feito de acordo com orientações americanas do norte. A blindagem deles está sendo bancada por quem mesmo ? , além de alguns brasileiros (?) que sonham viver num país imperial. kkkkkk

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome