Dallagnol tem mais um processo administrativo suspenso no CNMP

A 5ª Vara Federal de Curitiba determinou a suspensão do julgamento de um processo administrativo contra o procurador

Jornal GGN – Mais um processo contra o procurador Deltan Dallagnol foi paralisado. A 5ª Vara Federal de Curitiba determinou a suspensão do julgamento de um processo administrativo contra o procurador no Conselho Nacional do Ministério Público.

A informação foi divulgada pela repórter Julia Chaib, da Folha. Segundo ela, foi a juíza substituta Giovana Mayer que determinou, por meio de um despacho, o prazo de 24 horas para a decisão da magistrada titular, Anne Karina, fosse cumprida.

Karina havia determinado na última semana que o CNMP não poderia julgar o processo administrativo contra o procurador sem antes ouvir uma testemunha exigida por Dallagnol. Dessa forma, o Conselho deve reabrir o prazo de alegações finais para a testemunha de Dallagnol. O caso seria julgado na próxima terça-feira (26) pelo CNMP.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Noblat: Januário Paludo pode levar a Lava Jato em Curitiba ao "lixo"

11 comentários

  1. Olhem como está este poder de Curitiba, a corte maior do pais (STF), determina uma coisa e a justiça de Curitiba dá outra ordem, quem é maior, a justica de Curitiba ou o STF ?

    • Bom dia Roberto,mas tem razão pois tem que ouvir testemunhas de defesa se tem algo a mais acrescentar, só que eles não quiseram ouvir Tacla Duran, aí a contradição

  2. Isso é o que chamavam recursos protelatórios e com a venia da justiça? Ou pior, é orquestração mais ampla?

  3. E as nossas bancadas de esquerda defendendo os privilégios desses f… ! A esquerda parece que não sabe que dinheiro é poder! Corta os privilégios desses gigolôs de emprego público, que esses vagabundos perdem o poder que têm para perseguir quem não lhes paga o óbulo da subserviência (como a quadrilha do PSDB). O melhor remédio contra essa quadrilha de encostados nos cofres públicos se chama PAULO GUEDES! Acaba com a estabilidade desses f…, com as férias de 60 dias e o duplo benefício de 1/3 do salário (no caso deles, 2/3), acaba com licença prêmio, com os “atrasados” que engordam todo o mês os altos salários dessa caterva, determina a perda da aposentadoria como pena para juiz e promotor corrupto, vendedor de sentença, para aquele que abusa do poder, agrava as penas por peculato, advocacia administrativa, prevaricação … É o único meio de enfrentar essa raça de filhinhos de mamãe, que desmamaram do peito materno e arrumaram um meio de aleitamento vitalício nos cofres públicos!

  4. Os farsajateiros unidos pra salvar a pele uns dos outros. É a justiça deles. As leis deles. A constituição deles.

  5. Por falar em Dallagnol, o $érgio Moro quer federalizar a investigação sobre o assassinato da Marielle e do Andérson.

    Federalizada, a investigação do assassinato da Marielle e do Andérson melindrará milicianos cujo apoio é importantíssimo ao $érgio Moro. E ele precisa do apoio dos Milicianos para conseguir duas coisas: tornar lícitos assassinatos praticados por policiais em serviços, (até porque, segundo o Bolsa de Bostanaro, policial que não mata não é policial), e punir pessoas presumidamente inocentes.

    O Camundongo $érgio Moro quer jogar a pá de cal sobre a apuração do assassinato cruel e brutal da Marielle e do Andérson.

    Cai fora, seu cloaca de urubu

  6. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome