Força-tarefa da Lava Jato de Curitiba pode estar com dias contados

O procurador-geral Augusto Aras tem até o dia 10 de setembro para renovar os procuradores que hoje integram o grupo.

Foto: Divulgação

Jornal GGN – A força-tarefa da Lava Jato de Curitiba pode estar com os dias contados. Isso porque o procurador-geral Augusto Aras tem até o dia 10 de setembro para manter os procuradores que hoje integram o grupo.

Para ser mantido, o grupo precisa da autorização de prorrogação pelo chefe maior do Ministério Público Federal (MPF). Segundo reportagem da Reuters, as pressões são para que a força-tarefa acabe, sem necessariamente afetar as investigações em curso.

Ao todo são 400 inquéritos que ainda estão em andamento pela força-tarefa de Curitiba, o berço da Lava Jato. São casos diretamente relacionados às empreiteiras e empresas contratadas pela Petrobras, ou desdobramentos destas primeiras investigações que começaram há 6 anos.

Deste total, 200 são inquéritos abertos pela polícia federal, que contam com a atuação do MPF do Paraná, e outros 200 diretamente criados pelos procuradores. Ainda de acordo com o jornal, os inquéritos incluem casos sob sigilo e inéditos, envolvendo políticos que perderam o foro privilegiado, além das já conhecidas táticas de delação premiada e modus operandi de investigação coercitiva da Lava Jato em andamento.

Além dos pedidos de afastamento do coordenador da força tarefa, Deltan Dallangol, derrubadas de decisões da Lava Jato na última instância, o Supremo Tribunal Federal (STF), as investigações em CPIs no Congresso contra o grupo, e as revelações de irregularidades -já de conhecimento público-, o que está mais evidente nos últimos meses é o atrito criado pela equipe liderada no passado pelo ex-juiz Sérgio Moro e o atual procurador-geral, Augusto Aras.

Leia também:  Renan Calheiros diz que Moro agiu como verdugo para emplacar projeto de poder

“O modelo de forças-tarefas é usado no mundo inteiro para investigar e atuar contra esquemas criminosos complexos. Um procurador sozinho não dá conta de todo o trabalho. Os números mostram que o modelo é eficiente e compensa”, saiu em defesa, o próprio ex-juiz Moro, à Reuters.

A Lava Jato de Curitiba ainda conta com 14 procuradores exclusivos atuando para os casos e mais 45 servidores em auxílio, desde o dia 15 de março, de forma remota.

Do lado de Aras, contudo, não há confirmações sobre a necessidade de se manter este pessoal. Isso porque há o conjutno de forças-tarefas no país e superior às unidades do MPF, com procuradores nos 20 estados. Além disso, há custos elevados para manter uma força-tarefa.

As irregularidades nas formas de investigação da Lava Jato também são temas de preocupação do procurador-geral, que já indicou que há apurações internas em curso contra estes casos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Nassif: sem rodeios, essa pôrra de ForçaTarefaDosPinhais se encaminha pro que clamou o ProfetaDelcidio. Nem mais, nem menos.

    A tramoia, elucubrada no pico das Agulhas, consiste em “terminar” com os Gogoboys, num primeiro passo. Os Esquerdopatas soltarão rojões, sem desconfiar que estão fazendo o joguinho dos milicos. A imunidade e preclusão do causo PatoBranco dá a tônica.

    Ao seguinte, deixar com eles seus respectivos quinhões (legais e ilegais), como um “calaboca. Um rei babilônico já dizia que nenhuma fortaleza resiste se pelos seus muros passar uma mula carregadinha de ouro (como o causo?). Bolsa cheia, vão pra lugares inusitados, alguns até pros esteites, como anunciou o AvivadoMor (papai vai junto).

    Numa outra, mas não menos pitoresca fase, TODAS (eu disse TODAS) provas, conversas, correspondências, papos-cabeça com a escória do crime e da política (há diferença?) serão incineradas. Sefinir… Até escutas ilegais na cadeia de Curitiba (principalmente desta). Apagados vestígios, inclusive os que estão com os Sabujos do PríncipeParisiense, pousam de heróis, os meninos de Curitiba até dão baixa da carreira, abrindo banca pra bandidagem (sempre há um Japonês em apuros). Os 400 causos “pendentes” podem se transformar numa vigorosa fonte de renda pras “bancas (e seus agregados). Com todo mundo feliz, que se danem os Kummunistas…

    Essa ForçaTarefa tá com dias contados. Agora, vai se dedicar (exclusivamente) a ContarGrana…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome