Justiça admite que Bolsonaro dissemina ódio contra minorias, mas não pode puni-lo

 
Jornal GGN – O candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro assumidamente faz discurso de ódio contra minorias mas, como é deputado federal e tem foro privilegiado, não pode ser punido por propagar suas ideais violentas na Câmara. É isso o que consta em uma decisão judicial revelada pelo UOL nesta quarta (27).
 
Segundo o portal, o desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo Rui Cascaldi anotou que Bolsonaro, embora dissemine “ódio contra a minoria” que entrou com a ação (comunidade LGBT), “goza de imunidade parlamentar” porque fez o discurso de ódio “estando ele no exercício de seu mandato de deputado federal.”
 
O discurso “alegadamente ofensivo proferido pelo apelado [Bolsonaro] é incontroverso”, e sua defesa sequer se preocupou em corrigir sua fala. Ao contrário: usou como desculpa a “impossibilidade de ser punido civil ou criminalmente por sua condição parlamentar”.
 
A ação foi movida após Bolsonaro dizer que a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo é um “festival de baixarias”.
Leia também:  Ex-assessores de Bolsonaro são atingidos na quebra sigilo bancário do filho Flávio

1 comentário

  1. Pulhas
    Justiça nazista!

    … O policial pode matar quem ele quiser porque tem uma arma?

    … O juiz pode condenar um inocente porque tem uma toga?

    Calhordas!!!

    Na verdade, são hipócritas que usam de contorcionismos lógico verbais para justificar o injustificável.

    Por trás de toda essa retórica se esconde o fato de que a justiça apoia e se identifica com o Bolsonaro e seu pensamento.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome