Ministro Tarcísio de Freitas assinou contratos do Dnit acusados de corrupção

Hoje ministro, Tarcísio assinou nove contratos, enquanto era diretor do Dnit, entre 2012 e 2014, hoje investigados de corrupção

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Frequentemente elogiado pelo presidente Jair Bolsonaro, o hoje ministro Tarcísio de Freitas assinou nove contratos, enquanto era diretor do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), entre 2012 e 2014, hoje investigados de corrupção.

Um inquérito da Polícia Federal, a partir da deflagração da Operação Circuito Fechado, no início do mês, apontou os documentos, divulgados pelo Estadão, com supostos desvios de R$ 40 mil dos cofres públicos por uma empresa de tecnologia junto ao Dnit.

Um dos contratos foi assinado por Tarcísio no dia 14 de agosto de 2012, com a B2T, para fornecer licenças de programas de computador, no valor de R$ 11,7 milhões. Outros são aditivos de R$ 22,6 milhões com a assinatura dele.

Reprodução Estadão

Apesar de Tarcísio não ser diretamente investigado, nove documentos apresentados pelos investigadores têm a assinatura do hoje ministro de Jair Bolsonaro, e os investigadores alegam que não há evidência de que o serviço tenha sido prestado. O hoje ministro alega que as contratações não foram uma decisão individual, mas colegiada.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Bancada Feminista do PSOL pede investigação sobre participação de vice de Covas em máfia das creches

2 comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome