PRF contesta dados mostrados por Vasques na CPMI

Tatiane Correia
Repórter do GGN desde 2019. Graduada em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Com passagens pela revista Executivos Financeiros e Agência Dinheiro Vivo.
[email protected]

Ex-diretor é alvo de inquéritos em andamento na Polícia Federal e na própria PRF para apurar bloqueios no segundo turno das eleições

O ex-diretor-feral da Polícia Rodoviária Federal, Silvinei Vasques. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Os dados apresentados por Silvinei Vasques, ex-diretor da Polícia Rodoviária Federal (PRF), na CPMI que investiga os atos golpistas de 08 de janeiro foram contestados pela própria corporação.

Em depoimento realizado na última terça-feira, o ex-diretor da PRF afirmou que cinco ônibus foram recolhidos na região Nordeste em 30 de outubro de 2022, dia do segundo turno das eleições gerais no país.

Contudo, a corporação afirma que foram apreendidos nove ônibus, enquanto a região Sudeste contabilizou uma única apreensão. Dos 13 veículos retidos com passageiros, 70% eram na região Nordeste.

Além disso, os dados compilados pela PRF para apresentação à CPI destacam o total de abordagens efetuados em 30 de outubro: apenas na região Nordeste, foram 322 veículos fiscalizados, ou 46,6%, enquanto no Sudeste foram 79, ou 11,43%.

Tais informações não foram citadas por Vasques durante seu depoimento, que preferiu rebater as acusações informando a média de veículos fiscalizados por pontos de controle.

Os bloqueios realizados levaram o ex-diretor da PRF a ser investigado pela Polícia Federal e por um procedimento interno na PRF, e a relatora da comissão, senadora Eliziane Gama (PSD) sinalizou que vai pedir uma notícia-crime junto ao Ministério Público Federal (MPF) contra Silvinei Vasques por falso testemunho.

Com O Globo

Leia Também

Tatiane Correia

Repórter do GGN desde 2019. Graduada em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Com passagens pela revista Executivos Financeiros e Agência Dinheiro Vivo.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador