Quatro a cada 10 obras no Brasil estão paralisadas, diz TCU

Tatiane Correia
Repórter do GGN desde 2019. Graduada em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Com passagens pela revista Executivos Financeiros e Agência Dinheiro Vivo.
[email protected]

Relatório afirma que mau planejamento de gestores públicos compromete andamento dos empreendimentos; total investido chega a R$ 27,2 bilhões

O Brasil possui quatro em cada dez obras paralisadas, segundo levantamento divulgado pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Os dados constam do Painel de Obras Paralisadas, onde o TCU reuniu e deu transparência às informações dos principais bancos de dados oficiais do país e buscou apresentar o cenário mostrando a quantidade, os valores, e a lista detalhada desses empreendimentos.

Ao todo, 8.674 obras estão paralisadas, enquanto o país totaliza 22.559 projetos no papel – ou seja, 38,5% dos empreendimentos estão parados e já consumiram R$ 27,2 bilhões.

Ao mesmo tempo, pelo menos 14.403 contratos de obras se encontravam com a situação “paralisado” nos bancos de dados. Somando-se os valores, esse rol de contratos totalizou a monta de aproximadamente R$ 144 bilhões. Ressalta-se que apenas parte desse montante havia sido efetivamente investido nos empreendimentos à época da análise.

De acordo com o levantamento, o mau planejamento dos investimentos é o principal ponto de paralisação para os empreendimentos. Esse mau planejamento é representado por projetos básicos deficientes; ausência de contrapartida financeira por estados e municípios e falta de capacidade técnica para execução do empreendimento.

Segundo o TCU, metade das obras paralisadas (cerca de 4,4 mil projetos) está na área de educação, seguida por saneamento (388 obras paralisadas); saúde (289); infraestrutura de transporte (277); agricultura (161); habitação (126); turismo (66); e defesa civil (25).

Na análise por estado, o Maranhão contabiliza 905 obras paralisadas, seguido por Bahia (807), Pará (671), Minas Gerais (657), Ceará (577) e Goiás (484).

Confira abaixo a íntegra do processo do TCU. Outras informações a respeito podem ser obtidas no Painel de Obras Paralisadas no TCU.

021.731-2019-5-VR-acompanhamento-obras-paralisadas

Saiba Mais

Tatiane Correia

Repórter do GGN desde 2019. Graduada em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Com passagens pela revista Executivos Financeiros e Agência Dinheiro Vivo.

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. O que chama a atenção é o baixo investimento realizado pelos milicos milicianos comparado com o período anterior. Até 2018 os investimentos toraluzavam R$722 bilhões com R$144 bilhões de obras paralisadas.
    Com os milicos milicianos, o total de investimentos não chegou a R$180 bilhões, ou seja,UM QUINTO,do que era investido.
    Dá para entender porque nosso país andou tanto para trás?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador