Sem delação, Marcelo Odebrecht poderia ser condenado a 70 anos de prisão

 
Jornal GGN – Após um dos procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato, Carlos Fernando dos Santos Lima, negar a conclusão do acordo de delação premiada com executivos da Odebrecht, a Folha obteve a informação de que o ex-presidente do grupo, Marcelo Odebrecht, deve receber a maior das penas entre os delatores assegurada pela colaboração. Sem o acordo, os cálculos poderiam chegar a 70 anos de condenação na Lava Jato.
 
“Não há um acordo firmado com a Odebrecht, não há nenhum acordo. Existem muitos detalhes para resolver. (…) Não tenho confiança absoluta em fechar um acordo, porque estamos num ambiente de instabilidade institucional no Brasil”, havia dito o procurador à agência de notícias Reuters na última semana.
 
Entretanto, o jornal paulista divulga detalhes das previsões do acordo com Marcelo, em reportagem nesta sexta (04). Segundo a publicação, o ex-executivo cumprirá dois anos e meio em regime fechado e mais cinco anos de prisão domiciliar, que corresponderia à mais dura pena entre todos os que fecharam acordo com os procuradores da Lava Jato.
 
A prisão em Curitiba seria concluída no fim de 2017, uma vez que está preso desde 19 de junho de 2015. E o período de domiciliar também seria estrito: metade em regime fechado, não podendo deixar a residência e somente a outra metade em semi-aberto, devendo permanecer em casa entre às 22h e 7h, sem sair aos fins de semana.
 
O resultado seria referente às penas de 19 anos de prisão em uma das ações penais que já foi condenado por Sérgio Moro, acusado de comandar o esquema de corrupção na Odebrecht. Ainda é réu em outros três processos na Lava Jato do Paraná e um em Brasília, por suspeita de pagar propina para obter recursos do BNDES para obra em Angola.
 
Advogados ouvidos pelo jornal calculam que a soma de todas as condenações poderia chegar aos 70 anos de prisão. Diante deste cenário, a negociação para Marcelo Odebrecht do acordo é motivo de pressão e preocupação para o réu.
 
Enquanto isso, Carlos Fernando Lima mostrou que a equipe de procuradores não tem pressa: “Todas essas negociações são muitos complexas, demoram muito para terminar porque envolvem muitos fatos, muitos pessoas”, completando ainda: “não sei se há interesse do governo federal em que essas colaborações se efetivem. Boa parte do que é falado nessas colaborações, e não estou falando só da Odebrecht, se refere a personagens políticos que foram ou são do governo”.
 

8 comentários

  1. Obscuro, como sempre, o
    Obscuro, como sempre, o comentário do dito procurador; afinal, que interesse teria ele em saber se a delação do Marcelo interessaria ou não ao governo? Parece chantagem…

  2. Que País é este?

    Só num País de comando frouxo se chega numa situação dessas!….Ferra-se a economia e as empresas que geram receitas, em nome do combate a corrupção, esse moralismo inócuo!…

    A Operação Lava Jato,  na forma como ficou e está conduzida, jamais prosperaria em paíse como os EUA, França, Reino Unido, Rússia, Japão, Alemanha, etc….Só sem noçãos destroi seu país por considerações morais.

    Vale lembrar que por iniciativa de Martin Bormann, o governo nazista salvou a economia capitalista da Alemanha quando permitiu que as grandes empresas colaboradoras do nazismo, e, portanto, criminosas, expatriassem seus ativos para nações neutras. Nenhum empresa criminosa fechou na Alemanha do pós guerra. Houveram punições individuais.

     

  3. sem….

    Por que você não investe empresário brasileiro? Por que tanta covardia? Depois você será extorquido de todas as formas pelo Poder Público, que dirá que você é o criminoso e não a vitima. O Poder Público, que controla o Poder Judiciário, que indica suas Cortes, que redige e implementa as leis, que controla os Fiscais, que controla as Forças Policiais, que indica os altos membros do Ministério Público, que controla e direciona o Orçamento, a execução de obras, que controla a forma de pagamentos. Este Poder Público que detém todo este “Poderio” consegue ser chantageado pelo Empresário? Se o Brasil não existisse teria que ser inventado. As nossas explicações e convicções são surreais. E adivinha (como no Mensalão) para quem irão as penas mais pesadas? Aqueles que controlam o Estado ou o ” Gerente de banco”? O que está por trás de destruir empresas genuinamente nacionais? Por que SBM Offshore, Shell, Bombardier, Alstom, CAF, Siemens, atoladas até o pescoço nestas investigações foram todas e seus diretores excluídos de qualquer incriminação criminal? Por que estão fora de delações premiadas, conduções coercitivas, acordos de leniência, devoluções bilionárias? O que estamos ganhando mantendio o país e suas empresas na sarjeta?

  4. Os canalhas fazendo o jogo da

    Os canalhas fazendo o jogo da tortura da prisão de longo termo com a familia Odebrecht. Eh terrivel tudo o que estamos vivendo. A criminalização dos movimentos sociais, das manifestações dos estudantes; a falta de uma imprensa independente e plural. Parece que não sairemos tão cedo desse buraco no qual estamos caindo.

  5. E a Globo? Mantém dinheiro no

    E a Globo? Mantém dinheiro no exterior quando deve ao povo brasileiro mais de meio bilhão de reais?

  6. Observando
    O Janot pediu 23

    Observando

    O Janot pediu 23 anos para o Eduardo Azeredo, ele não fez delação, o caso está , sei lá como, e está solto….

  7. capital nacional e soberania

    A Lava-Jato é basicamente uma operação de criminalização do capital e da soberania nacional.

    Marcelo Odebrecht cometeu estes dois grande crimes (perante o Império NWO…), ousou ter e adminstrar uma empresa com forte capital nacional, que domina engenharia pesada como poucas no mundo e ainda mais grave:

    Envolveu sua empresa em projetos de alta tecnologia militar, como a compra da Mectron e o projeto do submarino nuclear brasileiro, projetos cujo desenvolvimento que poderiam alavancar a tecnologia e soberania nacional…

    Por isto é acossado pelos cães do império, infiltrados no judiciario e midias “brasileiras”. Aqui não há nem sombra de justiça…

     

     

  8. Se delatar petistas, sairá praticamente impune

    Se delatar petistas, mesmo que nada seja provado, sairá praticamente impune e com o dinheiro sujo obtido com seus crimes lavado a jato pelo Sérgio Moro.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome