Supremo participará de mais um “golpe”, alertam partidos de esquerda

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN – Quatro partidos de oposição ao governo Temer emitiram uma nota alertando para a possibilidade de o Supremo Tribunal Federal participar de “mais um golpe”, agora possibilitando que o sistema político brasileiro seja alterado pelo Congresso sem consulta popular por meio de plebiscito.
 
PT, PCdoB, PDT e PSB acreditam que, na prática, se o texto passar pelo Supremo, os políticos aliados a Temer terão condições de aprovar uma espécie de parlamentarismo que retirará os poderes do presidente que vier a ser eleito democraticamente em 2018.
 
”Trata-se de um movimento acintosamente estimulado pelo governo golpista, para impedir que o presidente legitimamente eleito pelo povo assuma o governo com plenos poderes previstos na Constituição, como foi decidido duas vezes em plebiscitos nacionais (1963 e 1993)”, diz o texto.
 
Foi a pedido do ministro do Supremo Alexandre de Moraes que entrou na pauta do STF o Mandato de Segurança 22.972, ação que questiona sobre a possibilidade do Congresso mudar sistema político sem a necessidade de plebiscito.
 
Leia, abaixo, a nota na íntegra.
 
NOTA DOS PARTIDOS POLÍTICOS
EM DEFESA DA DEMOCRACIA E DA SOBERANIA POPULAR
 
 
1) A repentina inclusão, na pauta do STF, de uma ação para definir se o Congresso tem poderes para adotar o sistema parlamentarista, sem consultar a população em plebiscito, é o primeiro passo de mais um golpe contra a democracia e a soberania popular no país.
 
2) Trata-se de um movimento acintosamente estimulado pelo governo golpista, para impedir que um presidente legitimamente eleito pelo povo assuma o governo com os plenos poderes previstos na Constituição, como foi decidido duas vezes em plebiscitos nacionais (1963 e 1993).
 
3) Cientes de que não conseguirão se manter pelo voto popular, as forças que sustentam o governo golpista pretendem evitar, a qualquer custo, a retomada do processo democrático, para continuar implementando sua agenda de retrocessos, de retirada de direitos e de entrega do patrimônio nacional.
 
4) É urgente denunciar e enfrentar mais este golpe, motivo pelo qual nossos partidos constituem uma Frente em Defesa da Democracia, com o objetivo de garantir eleições livres e democráticas, com a participação de todas as forças políticas. 
 
5) Quem propõe a mudança do sistema de governo tem de enfrentar esse debate com o povo, por meio de plebiscito, e não por conchavos políticos e manobras judiciais.
 
6) Só por meio de eleições livres e democráticas teremos um governo com a necessária legitimidade para superar a grave crise econômica, social e política em que o país se encontra, retomar o desenvolvimento com justiça social, a geração de empregos e a defesa do patrimônio nacional.
 
 
Carlos Lupi, presidente nacional do PDT
       Carlos Siqueira, presidente nacional do PSB
       Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT
       Luciana Santos, presidenta nacional do PCdoB
 
 

13 comentários

  1. Não adianta espernear sem boicote ao Itau-Bradesco-Santander

    O golpe dentro do golpe (semi presidencialismo) era mais do que esperado. Lutar contra cada ponto da agenda golpista é ficar atordoado como estamos, igual baratas tontas e perderemos todas. Cada dia vem um golpe no povo que nem dá tempo de reagir.

    O único jeito que funciona de reagir é atacar a cabeça do golpe: boicote total ao Itau-Bradesco-Santander, fechando as contas, seguros, cartões etc. Levando tudo para bancos públicos. O governo golpista é empregado do mercado (Itau-Bradesco-Santander), o Congresso também, e até o judiciário obedece ao mercado. O jeito de não obedecermos é boicotarmos os bancos privados, senão estaremos sendo submissos ao planejamento estratégico dos bancos que capturou os 3 poderes através do golpe. Só milhões de trabalhadores e aposentados encerrando contas nestes bancos tira poder deles, desarranjando todo o planejamento deles, e devolve poder de volta ao povo.

  2. Mais um passo dado pelos golpistas

    Se os senadores e deputados desses partidos não agirem é isso mesmo que vai ocorrer. Não foi o que fizeram em 61 com João Goulart? Agora querem reeditar o semi-parlamentarismo para que se Lula concorra às eleições e vença, não governe de fato. Mais um golpe em nossa Constituição Federal, passando por cima do plebiscito e do qual a imprensa vai tratar de dar ares de normalidade em tempos de Estado de Exceção.

  3. ainda não perceberam?

    ainda acreditam na solução institucional?

    a oposição é formada por ‘burrocratas’ com sérios problemas de dislexia.

    não é possível.

    não existe solução pela via legal porque este judiciário não respeita as leis e a constituição.

    passou da hora de mudar o foco da ação política.

  4. Já vi esse filme

    O baldo sinistro do supremo está fazendo a sua parte.

    O que as pessoas precisam entender, por mais doloroso que seja,  é que em qualquer sistema de governo, o povo é um mero detalhe.

     

  5. Nada que os canalhas

    Nada que os canalhas golpístas, venham de onde for, sejam oriundos do judiciário, do mercado, ou, da PqP. Ninguém, nenhuma das medidas tomadas por estes bandidos e impostores está livre de ser revertida em sua totalidade.

    Logo que recuperemos o governo para quem de direito. Será necessária uma limpeza geral. Ai, não tem Multinacional, Banco, e o caralho, que esteja livre de rigorosa apuração dos seus atos. Desta feita, não deveremos deixar impunes nenhum dos canalhas que contribuiram com o assalto para roubar o mandato da presidenta legitima Dilma Rousseff, e sobretudo, mais uma vez, para incrementar o rapinagem às riquezas do Brasil e a roubalheira contra o povo brasileiro.

    Não repetiremos o lenga lenga com o qual, passamos a mão sobre a cabeça de inúmeros criminosos. Aqueles que planejaram, financiaram, e executaram o golpe do primeiro de abril de 1964.

    Deta vez, nem os filhos da puta dos veteranos golpistas: Marinho e a turma da FIESP, escaparão impunes. Assim será. 

    Orlando

  6. Putz!

    O processo completou neste 05/11/2017 nada menos que 20 anos andando pelo STF. Já está no sexto relator – só na relatoria do Ayres Britto ficou mais de oito anos, sem qualquer movimentação. É um mandado de segurança, em tese devia andar rápido, mas só para as autoridades impetradas prestarem informações foram 5 anos.

    Aí agora com medo do Lula vão desenterrar esse defunto pra preparar terreno pro Golpe 2.0…

  7. Estado de Exceção,

    Há ainda quem diga que no ESTADO não há  EXCEÇÃO. Mas o brasileiro estimulado pela Globo acredita em dias melhores. Esse futuro não promissor esta no estágio inicial. A Ditadura vem posterior…

  8. Número do processo
    Por qual motivo a impressa nunca informa o NÚMERO DO PROCESSO, para que o leitor possa consultá-lo.
    Informação de processo sem número do processo é informação ruim.

  9. Número do processo
    Por qual motivo a impressa nunca informa o NÚMERO DO PROCESSO, para que o leitor possa consultá-lo.
    Informação de processo sem número do processo é informação ruim.

  10. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome