Giro GGN Queimadas: A situação do Brasil em dados do Inpe

O Inpe fornece dados coletados por satélites e são disponibilizados diariamente.

Jornal GGN – Segundo dados do Inpe – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais eis um panorama das queimadas pelo país. O Inpe fornece dados coletados por satélites e são disponibilizados diariamente. Veja as tabelas a seguir.

Na América do Sul, o Brasil é o país que, disparado, mais tem focos de incêndio. Este levantamento é de setembro, a partir do dia 1 e até o dia 23.

Nos últimos cinco dias, apesar da Argentina ter apresentado um incremento no número de focos de incêndio, o Brasil tem oscilações de focos, mas sempre em números assombrosos. No dia 19 de setembro, o país contabilizava 1.849 focos. No dia 23, são 573 focos. A Argentina chegou a 1.063 no dia 22, mas baixou para 492 no dia 23.

Dos Estados brasileiros, Mato Groso concentra o maior número de focos de incêndio, seguido do Pará e Amazonas.

No acumulado do mês, a mesma coisa. Mato Grosso lidera o número de focos seguido do Pará e Amazonas.

No dia 23, repete-se a liderança que vem desde sempre, com Mato Grosso liderando nas queimadas. Mas Pará e Amazonas trocam de lugar, ou seja, ontem foram verificados mais focos de incêndio no Amazonas do que no Pará.

Nos últimos cinco anos, Corumbá, no Mato Grosso do Sul, lidera na contagem de incêndios. Este ano foram 5.184 focos de incêndio identificados na cidade.

Já nos últimos cinco meses, é Barão de Melgaço, no Mato Grosso, que lidera o ranking de focos de incêndio, com 2.053 focos em setembro, um aumento de 175% em relação a agosto. Altamira, no Pará, chama a atenção para os saltos apresentados: se hoje apresenta 1.340 focos, e já em recuo de 45% do apresentado no mês anterior, em agosto teve 2.425 focos, 3.689% mais que no mês de julho, isto é, pulou de 64 focos para 2.425.

Poconé, no Mato Grosso, lidera em focos acumulados nos últimos cinco dias, com 43 identificados.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora