Carta aberta ao jornal O Estado de S. Paulo

Jornal GGN – Os advogados do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins, soltaram carta aberta ao Estadão respondendo sobre notícia veiculada pelo jornal. A defesa do ex-presidente fala sobre o comunicado feito ao Comitê de Direitos Humanos da ONU que, com visão bem diferente do noticiado pelo jornal. Os advogados explicam o caminho de tal comunicado e a aceitação pelo organismo internacional. 

Além disso, levantam o debate sobre a diferença entre notícia e opinião, coisa que o jornal se perde vez em muito, transformando um desejo em notícia ou uma notícia em nada, já que não esclarece os pontos primordiais.

Leia a carta a seguir.

Carta aberta ao jornal O Estado de S. Paulo

Ao Diretor de O Estado de S. Paulo

Att. Sr. João Fábio Caminoto

Cc jornalista Jamil Chade

Prezado Sr. 

O jornal O Estado de S. Paulo mais uma vez publica notícia factualmente errada em relação ao comunicado individual feito pelo ex-Presidente Luiz Inacio Lula da Silva ao Comitê de Direitos Humanos da ONU, em 28/07/2016.

Além dos diversos editoriais e reportagens equivocados sobre o tema, desta vez, o jornal pretendeu se arvorar na condição de intérprete tupiniquim do órgão internacional.
 
O jornalista  Jamil Chade, em cobertura a partir de Genebra, chegou a vaticinar (edição de 6/10) que o caso não teria andamento neste ano (https://www.google.com.br/amp/m.politica.estadao.com.br/noticias/geral,onu-deixa-caso-de-lula-para-2017,10000080547.amp). Foi desmentido pela realidade, com o registro do comunicado de Lula ocorrido no dia 26/10.
 
De acordo com o art. 86 das regras do Comitê de Direitos Humanos da ONU, o registro de comunicado individual é precedido de uma análise sobre diversos aspectos relativos ao seu conteúdo. Há previsão até mesmo para que o Secretário-Geral da entidade, se necessário, apresente questionamentos ao autor do comunicado. No caso de Lula, o registro foi realizado sem a necessidade de qualquer esclarecimento adicional, razão pela qual entendemos que foi superada a primeira etapa do procedimento.
 
Jamais dissemos que o caso estava finalizado ou ganho perante a ONU. Mas as evidências de violações ao Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos em relação a Lula pela Operação Lava Jato e seus desdobramentos chocam a comunidade jurídica internacional. Tal evidência é o receio do Estado, que se calou diante dessas sistemáticas violações. Nem mesmo quando 25 advogados do nosso escritório foram grampeados pelo juiz Sergio Moro, com a divulgação parcial das conversas gravadas, o jornal reagiu. Conduta muito diferente, por exemplo, de quando, recentemente, a Justiça autorizou a quebra do sigilo telefônico de um jornalista.

É inaceitável que um veículo de comunicação deturpe a realidade, abandonando a função social de bem informar a sociedade, em prol de viés próprio na cobertura dos fatos. Não se pode confundir opinião com notícia e muito menos com fato.

 
Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins

 

4 comentários

  1. Moro, o Incauto por ignorância, má-fé não

    O Meretrissimo pisou feio na bola processual e não foi só por burrice, não, foi também e principalmente por má-fé, pode botá fé

    Eu conheço cara de pinto que pinica b****z

    Quando ver jabuti em cima do pau pode saber que foi arguém que botou ele lá

    Jabuti sabe ler, não sabe escrever

    sobe no pau mas não sabe dc

  2. http://jornalggn.com.br/notic

    http://jornalggn.com.br/noticia/o-tribunal-de-roma-a-lava-jato-e-o-mensalao-por-edivaldo-oliveira#.Vt3SkLad278.facebook

     

    O GGN publicou este meu artigo no mes de março deste ano, propondo ao PT que entrasse com denuncia junto ao Tribunal de Roma -TPI – por crime contra a humanidade.

    É um texto atualíssimo e os advogados de Lula deveriam considerar tal possibilidade. Ainda mais agora que a ONU se mostrou receptiva a reclamação do mesmo.

    O TPI – Tribunal Penal Internacional ou Tribunal de Roma como é conhecido, embora sediado em Haia, Holanda e não se confunda com o Tribunal de Haia, É o Tribunal responsável por julgar pessas acusadas por crimes contra a humanidade e no artigo que escrevi, mostro a real possibilidade de Lula, entre outros políticoa do PT, estarem sendo vítimas desse tipo de crime.

     

    Edivaldo Dias de Oliveira 

     

  3. vamos responder com cartas mas precisamos mais

    Ok, devemos responder com cartas contra o projeto da direita mas precisamos fazer mais do que isso!!!

    Tem que haver mobilização e convencimento dos amigos e colegas e até estranhos  para combater o que o PIG  repesenta.

    Tem sque ser uma guerra sem trégua. Eu não perco uma oportunidade para explicar o que o PIG representa e falar mal.

    Tenho comigo 2 inspiradores que acabei de ler: Palmiro Togliatti, na luta contra o fascismo e Lenin contra a ordem feudal dos tsares e sociais- chauvinistas ( essa é a expressão usado por ele).

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome