Juiz ordena que GGN tire do ar todas as matérias sobre o BTG

A decisão judicial diz que o conteúdo deve ser removido do site porque pode causar prejuízo financeiro aos acionistas do banco

Publicada em 29/08/2020

Jornal GGN – A Justiça do Rio de Janeiro determinou que o GGN “retire do ar” uma série de reportagens e artigos exclusivos, assinados por Luis Nassif e pela repórter Patrícia Faermann, sobre o banco BTG Pactual. Segundo a decisão, o trabalho da imprensa não pode “causar danos à imagem de quem quer que seja”.

O juiz escreveu ainda que o site “transbordou os limites da liberdade de expressão”. Sem entrar no mérito das informações levantadas pelo GGN, a decisão aponta que o conteúdo deve ser removido do site porque pode causar prejuízo financeiro aos acionistas do banco.

Confira a decisão:

Arquivo 00016 – 000217 – Concedida a Antecipação da Tutela

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Governo Bolsonaro estuda construir nova estrada na Amazônia

64 comentários

  1. Este tipo de ação pelo BTG Pactual, como já demonstrado em inúmeros outros casos, é muito pior. Eu não tenho sombra de dúvidas de que, somente em função disso, o número de pessoas que vai tomar conhecimento dos atos praticados pelo BTG, ilícitos ou não, será multiplicado por algumas centenas. Desde já, me coloco a disposição do GGN para, voluntariamente colaborar, dentro das minhas possibilidades, com doações, dentro da lei, que tenham por objetivo o custeio da defesa jurídica deste órgão de imprensa.

    85
    1
    • O que eu quero saber é quando é que o Ministério Público vai ser acionado para que, em fim, se abra uma investigação sobre esta negociata com um banco que nos pertence. Se a coisa é pública que se explique como se deu esta transação suspeita. Eu falo em nome do maior acionista do BB, o povo.
      TODA A SOLIDARIEDADE AO GGN.

      6
      1
      • “(…) quando é que o Ministério Público vai ser acionado (…)”

        Camarada, tu não tá entendendo nada. O judiciário (incluindo aí MP) é o problema nº 1 aqui. É um bando de gente mimada, a maioria das quais extremamente nojenta, com um poder absolutamente antidemocrático em mãos, sem qualquer controle popular, e que ultimamente não respeitam sequer o próprio direito e as leis.

        O judiciário tem uma seleção de classe pesadíssima, então muitos juízes são compadres dos grandes empresários, um bando de burguês safado.

        A ditadura no Brasil começou com o Judiciário! Abaixo esses juízes pilantras!

    • Não estava acompanhando o noticiário sobre este banco, mas agora vou esquadrinhar a internet pra ler tudo que puder e, naturalmente, compartilhar com meus contatos.

    • As Elites Absolutistas e Fascistas dentro do Estado podem forçar a mão. Mas a pergunta a ser respondida: Onde está STF? Onde está ABI? Onde está OAB? Onde estão os Partidos Políticos? Onde estão os Sindicatos da Imprensa? Onde estão os Órgãos de Direitos Civis? Onde está a Constituição? Onde está a Indignação e a Revolta? Onde está a Estrutura que sustenta a Democracia neste País?

        • C.Poivre : Não se iluda. Esta ilusão pueril é que arrasta este país a intermináveis 90 anos de NecroPolítica. Vivemos sob o resultado da Anistia de 1979. Vivemos no Estado da Redemocracia que completa 40 anos, sendo 30 destes anos, embaixo do manto de uma tal farsante Constituição Cidadã. Não dê desculpas para os crimes. Sejam eles da sua preferência ou não.

          • Zé Sérgio, entendo tua revolta, mas você faz perguntas, por exemplo “Onde está a Constituição?” e depois responde ao C.Pimenta para não se iludir referindo-se à CF como farsante (no que eu concordo). Ou seja, qualquer resposta à primeira pergunta está errada.

          • Farsante pois ele coloca data (2016) na mudança ditatorial deste país, quando na verdade, não temos Democracia há 90 anos. Farsante então é a Redemocracia e a tal Constituição Cidadã. A base que dá sustentação para o Estado Absolutista e Ditatorial continuar sendo arbitrário, como vemos.

    • Enio Cardoso

      Complementando sua excelente e oportuna manifestação.

      Se necessário, em momento oportuno, sugiro ao GGN abrir um “crowdfunding” para custear as despesas com este processo judicial.

    • Por isso que eu acho que ninguém deve pedir ou comemorar exclusão de perfil ou qualquer outra medida de censura contra ninguém. Tem a censura do bem, só para combater as fake news? Pois é, mas isso abre o caminho para interpretações cada vez mais subjetivas. Pau que bate em Chico acaba batendo em Francisco.

    • Pois é…..digo sempre e repito outra vez…mas tem gente que acha que isso “non ecziste”……
      Quando se trata se protegerem sempre tem um para fazer o papel de censor……

      10
    • Mais uma prova de que Paulo Guedes ainda tem influência e gerência no BTG. Apesar das humilhações sofridas, mantém seu pé firme no governo a fim de cumprir sua missão, que é levar a cabo os negócios de interesse da empresa da qual participa. Quanto aos maçons, é notório e escancarado que eles estão dentro do governo, já acima do pescoço, tramando, mais uma vez, contra a República e defendendo os interesses privados dos “irmãozinhos” da seita, amealhando vantagens e patrimônio público a preços vis. Aliás, seita deveria ter sido exterminada pelo tio Adolfo! É uma pena que não deu tempo!

      16
  2. Este é aquele BTG do Paulo Guedes que ganhou uma carteira de crédito de mais de 3,5 bilhões do banco do Brasil pagando mixaria de 300 milhões?

    36
  3. O juiz afirma que o GGN poderia causar prejuízos ao BTG.
    Os danos que o BTG causou e pode causar a terceiros e à economia são irrelevantes? Por que o Banco não pediu direito de resposta para desmentir o GGN?
    Não se trata de preservação de interesses econômicos e sim de CENSURA.

    39
    1
  4. 40 anos de Elites Fascistas dentro do Estado Brasileiro. Mas podem chamar de Redemocratas. O Poder Judiciário comandado por pseudo Indicações Progressistas, analisando a Legislação baseada em 30 anos de Constituição Cidadã. Não estão vendo? Pobre país rico. Como Fracassados fizeram fracassar uma Nação? Mas de muito fácil explicação.

    10
    3
  5. Nosso judiciário e os juízes mostram a verdadeira carta. Lamentável e vergonhosa censura. Será que o meretíssimo não se envergonha de bancar o censor? Um dos nossos maiores problemas, e temos problemas demais, está no sistema judiciário.

    18
  6. Assinado pelo Grande Maçon em pessoa….
    Jornalismo investigativo e liberdade de expressão sob ameaça!!
    GGN e Nassif sempre foi a publicação progressista mais ponderada, com diversidade editorial e compromisso com a veracidade das informações e fontes. Acompanhei as matérias e nada havia de difamatória, o que se sabia de fatos se citava como tal com as fontes, o que eram hipóteses sempre foram assim apresentadas. O mercado financeiro representa os “trocadores de moeda” de outrora, não há ética nem respingo de moralidade no sistema financeiro e monetário, montado sob a apropriação do trabalho alheio e respaldada pela falsa crença em relativismo moral.
    Conte com o apoio dos leitores, o interesse é de todos nós!!!

    17
  7. quer dizer que não pode mais mencionar o envolvimento do BTG com o ministro da economia? Isso é censura ou deram outro apelido?

    12
  8. É uma questão interessante que esteja no meio da decisão a citação de “crime contra a honra do banco”, quando é controversa esta ideia, dado que a honra se dá à pessoa no sentido estrito, humano.
    Outra coisa é este “parece” anterior à “campanha orquestrada”. Foi dada uma decisão com base num chute. É uma decisão que não possui nem mesmo certeza sobre aquilo que julga!
    Sobre os acontecimentos narrados pelo GGN, a pergunta é: ocorreram de fato ou não? São objetos de investigação, de questionamento, são legais mas imorais, foram engavetados ou encobertos sob uma poeira de silêncio?
    Por exemplo, em https://www.cartacapital.com.br/politica/edital-do-ministerio-da-economia-favorece-btg-ex-banco-de-guedes/. Dados de funcionários públicos foram comprados ou não? Bem, o juiz deveria, portanto, colocar esta pergunta, em vez de se debruçar no achismo.
    É um tipo de decisão que não se lamenta apenas pelo erro, mas por sua mediocridade de juízo.
    O BTG em que se encontra André Esteves e até mesmo Paulo Guedes deve estar realmente preocupada com sua “honra”.

  9. Caro Nassif,

    O problema é que o povo descansa com um jargão como esse que termina esse artigo: “Não passarão”.

    Mentira, balela.

    Já passaram faz tempo. Desde quando começou o golpe.

    A estratégia tem de ser outra.

    Se precisarem de ajuda, contem comigo. Mas para estratégias, não para balela.

    O GGN é brilhante, e para entender o país e o tabuleiro basta lê-lo, ou ouví-lo. E você, Nassif, é um dos poucos a fazer um trabalho decente no Brasil.

    É uma pena.

    Herbert Tartarotti

    • Não é possível, pois existe cláusula de confidencialidade, ao contrário da cláusula de confidencialidade que Marina alegou existir entre ela e aqueles que a alimentavam, que não existia.

      A cláusula de confidencialidade que a candidata do PSB usou como justificativa para manter sigilo sobre valores recebidos não existe.

  10. Prezado Nassif.
    Sou assíduo leitor do GGN. Seus artigos vão ao cerne da questão. Sem sombra de dúvida é o motivo de tamanha violência. Minha solidariedade.
    A C Cesar

  11. Nassif, é o caso de ir ao STF – coloco-me à disposição para contribuir com o que for necessário – Abraços.

  12. O justiça está sempre ao lado dos ricos ao enterrar a cabeça com uma avestruz ou mesmo passa panos sobre o escândalo da bolada que foi entregue a esse banco através da carteira do Banco do Brasil.

  13. Mais um absurdo jurídico , a serviço da política suja e espúria que frequenta o Poder, em nosso país. Mas o tiro vai sair pela culatra, pois quem ainda não sabia o que é o Pactual e o Guedes, vai ficar sabendo .
    Sou solidária com o GGN no apoio moral e financeiro de que precisarem

  14. …de um juiz, suas convicções pessoais e a destruição do Estado Democrático de Direito…
    .
    O cidadão Leonardo Grandmasson Ferreira Chaves tem, como todos nós, direito à opinião, ideologias, preferências, gostos pessoais. Como, por exemplo, detestar a linha editorias e os artigos do GGN e preferir o “Antagonista”, ou a “Veja”, provavelmente, órgãos de imprensa mais afeitos à sua personalidade, valores e crenças. O juiz, definitivamente, NÃO!, obriga-se, pela devoção intrínseca que deveria nortear suas falas e ações – na qualidade de juiz… – à submeter-se ÁS LEIS, à Constituição, aos princípios mais basilares do que entendemos como um país civilizado e a vigência, nesse país, de um Estado Democrático de Direito.
    .
    Incorre, o magistrado em erro grave de comportamento e mesmo de ABUSO DE PODER, ao nortear sua decisão em “sentimentos” expressos em verbos como: “…PARECENDO PELO CONJUNTO DA OBRA, UMA ESPÉCIE DE CAMPANHA ORQUESTRADA PARA DIFAMAR O BANCO.” – Ora, “parecer”, aos olhos da Lei, não significa NADA, absolutamente nada!, é uma opinião, uma convicção, que torna o pensamento jurídico do senhor juiz tão inócuo e vazio de sentido, de LEGITIMIDADE, quanto o famoso powerpoint do procurador Deltan Dallagnoll, que de certo modo, bem poderia usar o mesmo verbo do juiz Leonardo, algo do tipo: “PARECE, afinal, que Lula era o chefe de um esquema criminoso…” – ambas as ações, ambos os discursos, do juiz e do procurador, de um AUTORITARISMO PESSOAL, que só joga as instituições que todos deveríamos respeitar, definitivamente, na LAMA de uma politização imperdoável dessa parcela parcial de juízes e membros do Ministério Público.
    .
    Seguindo a linha de raciocínio do ilustríssimo magistrado, o CNJ poderia puni-lo, por “PARECER” que o mesmo faz parte do grupo linha dura radical do Judiciário e MP, alinhados a Moro ou Bolsonaro, que tem como um dos objetivos destruir, calar, perseguir uma a uma, as vozes dissidentes da grande mídia – os blogs INDEPENDENTES dedicados ao jornalismo no Brasil.
    .
    Vou além: pessoas precipitadas, poderiam dizer que “PARECE SUSPEITA A DECISÃO DO LUIZ LEONARDO”, e até preconceituosa, pelo fato de referir-se ao GGN como um “pequeno Jornal”. Gente maliciosa e injusta, poderia afirmar que “PARECE QUE SUA EXCELÊNCIA NÃO TOMARIA ESSA DECISÃO SE AS CRÍTICAS PARTISSEM DA PODEROSA REDE GLOBO…” – Alguém deveria lembrar ao juiz Leonardo, que não se tomam decisões de tamanha magnitude -CENSURA, PURA E DESLAVADA CENSURA!!!!! – e absurdamente nocivas à pluralidade de ideias e opiniões, tendo como base ‘O QUE PARECE”, na opinião do cidadão Leonardo, alguém talvez devesse lembrá-lo, que ao um magistrado cabe a SUBMISSÃO ÀS LEIS, e tanto é assim, que um juiz deve se considerar suspeito quando é amigo ou simpatizante de uma das partes, e “POSSA PARECER QUE SUA DECISÃO, AFINAL, FOI INFLUENCIADA DIRETAMENTE POR ESSAS SIMPATIAS PESSOAIS….”
    .
    A decisão trágica, absurda, manifestamente ILEGAL, INCONSTITUCIONAL E DITATORIAL do juiz Leonardo, NÃO PARECE ALGO QUE REPRESENTARÁ A PÁ DE CAL EM NOSSA QUASE MORTA DEMOCRACIA, ela é sim, AOS OLHOS DA LEI (e, lembremos, isso é tudo o que importa, nessa questão…), um erro, uma distorção, uma violência, que deveriam ser reparados vigorosamente por quem de Direito.
    .
    Ao Nassif, nosso abraço e apoio mais solidários!!!!!

  15. …de um juiz, suas convicções pessoais e a destruição do Estado Democrático de Direito…
    (sobre a decisão do juiz que ordenou ao Nassif que retirasse de seu blog as matérias contra o BTG PACTUAL)
    .
    O cidadão Leonardo Grandmasson Ferreira Chaves tem, como todos nós, direito à opinião, ideologias, preferências, gostos pessoais. Como, por exemplo, detestar a linha editorias e os artigos do GGN e preferir o “Antagonista”, ou a “Veja”, provavelmente, órgãos de imprensa mais afeitos à sua personalidade, valores e crenças. O juiz, definitivamente, NÃO!, obriga-se, pela devoção intrínseca que deveria nortear suas falas e ações – na qualidade de juiz… – à submeter-se ÁS LEIS, à Constituição, aos princípios mais basilares do que entendemos como um país civilizado e a vigência, nesse país, de um Estado Democrático de Direito.
    .
    Incorre, o magistrado em erro grave de comportamento e mesmo de ABUSO DE PODER, ao nortear sua decisão em “sentimentos” expressos em verbos como: “…PARECENDO PELO CONJUNTO DA OBRA, UMA ESPÉCIE DE CAMPANHA ORQUESTRADA PARA DIFAMAR O BANCO.” – Ora, “parecer”, aos olhos da Lei, não significa NADA, absolutamente nada!, é uma opinião, uma convicção, que torna o pensamento jurídico do senhor juiz tão inócuo e vazio de sentido, de LEGITIMIDADE, quanto o famoso powerpoint do procurador Deltan Dallagnoll, que de certo modo, bem poderia usar o mesmo verbo do juiz Leonardo, algo do tipo: “PARECE, afinal, que Lula era o chefe de um esquema criminoso…” – ambas as ações, ambos os discursos, do juiz e do procurador, de um AUTORITARISMO PESSOAL, que só joga as instituições que todos deveríamos respeitar, definitivamente, na LAMA de uma politização imperdoável dessa parcela parcial de juízes e membros do Ministério Público.
    .
    Seguindo a linha de raciocínio do ilustríssimo magistrado, o CNJ poderia puni-lo, por “PARECER” que o mesmo faz parte do grupo linha dura radical do Judiciário e MP, alinhados a Moro ou Bolsonaro, que tem como um dos objetivos destruir, calar, perseguir uma a uma, as vozes dissidentes da grande mídia – os blogs INDEPENDENTES dedicados ao jornalismo no Brasil.
    .
    Vou além: pessoas precipitadas, poderiam dizer que “PARECE SUSPEITA A DECISÃO DO LUIZ LEONARDO”, e até preconceituosa, pelo fato de referir-se ao GGN como um “pequeno Jornal”. Gente maliciosa e injusta, poderia afirmar que “PARECE QUE SUA EXCELÊNCIA NÃO TOMARIA ESSA DECISÃO SE AS CRÍTICAS PARTISSEM DA PODEROSA REDE GLOBO…” – Alguém deveria lembrar ao juiz Leonardo, que não se tomam decisões de tamanha magnitude -CENSURA, PURA E DESLAVADA CENSURA!!!!! – e absurdamente nocivas à pluralidade de ideias e opiniões, tendo como base ‘O QUE PARECE”, na opinião do cidadão Leonardo, alguém talvez devesse lembrá-lo, que ao um magistrado cabe a SUBMISSÃO ÀS LEIS, e tanto é assim, que um juiz deve se considerar suspeito quando é amigo ou simpatizante de uma das partes, e “POSSA PARECER QUE SUA DECISÃO, AFINAL, FOI INFLUENCIADA DIRETAMENTE POR ESSAS SIMPATIAS PESSOAIS….”
    .
    A decisão trágica, absurda, manifestamente ILEGAL, INCONSTITUCIONAL E DITATORIAL do juiz Leonardo, NÃO PARECE ALGO QUE REPRESENTARÁ A PÁ DE CAL EM NOSSA QUASE MORTA DEMOCRACIA, ela é sim, AOS OLHOS DA LEI (e, lembremos, isso é tudo o que importa, nessa questão…), um erro, uma distorção, uma violência, que deveriam ser reparados vigorosamente por quem de Direito.
    .
    Ao Nassif, nosso abraço e apoio mais solidários!!!!!
    .

  16. Minha total solidariedade ao Nassif, jornalista de verdade, que lixo de país virou o Brasil, mais nada é eterno, vamos voltar a ser um país de verdade, da verdade.

  17. Caro, Nassif! Desejo todo apoio do segmento democrático da sociedade brasileira à sua competência e valorosa luta na produção de informação de interesse público relevante.

  18. Quando a verdade é incontestável a ponto de se recorrer a censura é sinal de que se caminha na direção correta ao expô-la. O jornalismo real e honesto não é uma realidade no Brasil de tantos conchavos e entreguismos. Mas nós sempre estaremos ao lado da verdade e quem faz da sua busca uma profissão digna.

  19. Não duvido e posso crer em uma casta de corruptos andando de braços dados com a justiça que valida cada palavra das reportagens proferidas por GGN. Isso vem bem detalhar o que esses juízes fazem sem ao menos ler o teor das reportagens, das denúncias e de que o envolvimento é geral em uma terra inteira dominada por pessoas sem carater, mas que tem a decisão de grande porte em suas mãos sujas. Não é conto, não é inventado é uma realidade dura de digerir, sabendo que nós cidadãos comuns não temos para onde recorrer, esperar que tenham um agonizante bem vindo ao inferno. Gente desse tipo tem sua vida abreviada, pois isso é bíblico.

  20. Que tristeza ler tantas imbecilidades de tantos comentaristas, principalmente dos que culpam a Constituição. Um país de gente honesta nem precisaria de constituição, logo, se tivéssemos um judiciário com pelo menos 80% de honestos o país não seria essa pocilga que se tornou, porque JUÍZES LADRÕES MANDAM MAIS QUE SENADORES E ATÉ PRESIDENTES E DUVIDO QUE VOCÊS NÃO CONHEÇAM PELO MENOS UM CASO DE GENTE QUE FOI ESPOLIADA POR UM JUIZ EM UMA CAUSA QUE SERIA GANHA POR ELE CONTRA UM CORRUPTO OU UM RICO.
    Aquele velho ditado “de bumbum de bebê e de cabeça de juiz nunca se sabe o que sai”, não é só porque sai a mesma coisa é porque da cabeça de juiz sai o que a justiça verdadeira não deixaria sair.

  21. O site GGN se faz de besta ou como se diz… se faz de morto pra comer o FIOFÓ do coveiro. O proprio GGN nao publica qualquer critica a Bolsonaro. Eu mesmo tentei publicar uma critica a esse esquizofrenico e nunca consegui postar a mensagem. Por que será que nao consegui? Modifiquei de varias formas a maneira de escrever a critica, mas sempre com conteudo critico ao Bozo, e nada, nada de conseguir publicar. Entao por que será? Ora GGN, ninguem é besta pra nao perceber seu lado.

  22. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome