A maior interpretação de Elza Soares, por Luís Nassif

José Miguel Wisnik, na melodia de Ernesto Nazareth, colocou a letra, o acompanhamento de piano, o arranjo.

Agência Brasil

Esses meus ouvidos cansados já ouviram todo tipo de música, do que o Brasil já produziu de melhor. Mas poucas me comovem como “Bambino”, de Ernesto Nazareth, com Elza Soares.

A obra prima conta com participação intensa de um dos maiores músicos e intelectuais brasileiros: José Miguel Wisnik. Na melodia de Ernesto Nazareth ele colocou a letra, o acompanhamento de piano, o arranjo.

Sobre essa moldura nobre, desfilou a voz de Elza Soares. Poucas vezes vi algo igual, a maneira como vai colocando, sutilmente, o sincopado nas sílabas escandidas, quando ronrona que nem uma tigresa, em uma interpretação negra, à altura das maiores damas negras do jazz.

Luis Nassif

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador