A Pequenina Cruz do teu Rosário em sua letra original!, por Luciano Hortencio

Moacir Weyne interpreta A PEQUENINA CRUZ DO TEU ROSÁRIO de Fernando Weyne e Roberto Xavier de Castro.

A Pequenina Cruz do teu Rosário em sua letra original!

por Luciano Hortencio

Fernando Weyne, de tradicional família cearense, escreveu A PEQUENINA CRUZ DE TEU ROSÁRIO e a publicou em seu primeiro livro “MIUDINHOS”, sendo o poema musicado por Roberto Xavier de Castro.

Há que se dizer que o cantor Paraguassu dela tomou conhecimento e a interpretou pela primeira vez. Só que modificou algumas palavras e retirou várias estrofes, achando-se, por isso, o autor da composição. Isso provocou uma grande contenda judicial, que terminou com a família Weyne como vencedora da causa. Ocorreu que, como a letra conhecida era a de Paraguassu, os cantores que a interpretaram posteriormente continuaram a cantá-la com a mesmíssima letra por ele interpretada.

Dando eu uns bordejos no Arquivo Nirez, descobri que A PEQUENINA CRUZ DO TEU ROSÁRIO foi gravada em acetato na antiga rádio cearense PRE-9, no ano de 1978, pelo sobrinho de Fernando Weyne, o cantor Moacir Weyne.

Feliz com a descoberta, trago aqui a letra original de A PEQUENINA CRUZ DE TEU ROSÁRIO e o vídeo onde Moacir Weyne interpreta a belíssima composição de seu tio Fernando Weyne e Roberto Xavier de Castro.

Agora que não vejo-te a meu lado
A segredar-me apaixonadas juras,
Busco, às vezes, do nosso amor passado,
Recordar estas íntimas loucuras.

Faz muito tempo, eu nem me lembro quanto
A vida é longa e o pensamento é vário
Tu mostrava-e a rir. e idílio santo
A pequenina cruz do teu rosário.

E sempre que me vias , recordava
Do nosso amor a fantasia louca
Cada vez que a pequena cruz beijavas ,
Eu beijava, febril a tua boca.

Leia também:  Pois sim, Jamelão!, por Luciano Hortencio

Mas o tempo passou, triste segui
Da minha vida o longo itinerário,
E nunca mais e nunca mais eu vi
A pequenina cruz do teu rosário.

Do amor fugiu-me a benfazeja luz
Não posso mais, errante caminheiro,
Sem Cirineu, tal como o de Jesus
Verga meu corpo ao peso do madeiro.

Já vou trilhando a estrada da amargura
Antes, porém, que chegue ao meu Calvário,
Dá-me a beijar, ó santa criatura
A pequenina cruz do teu rosario.

Recorda ainda o nosso amor de outrora
Vamos lembrar os tempos de criança
Se da vida perdi a doce aurora
Resta em minha alma um raio de esperança

Tu que és tão boa, que és tão meiga e pura
Quando eu baixar ao campo funerário
Vens deitar em minha sepultura
A pequenina cruz do teu rosario.

Moacir Weyne – A PEQUENINA CRUZ DO TEU ROSÁRIO – Fernando Weyne – Roberto Xavier de Castro.

Acetat0 PRE-9.

Ano de 1948.

Áudio e fotografia do intérprete Moacir Weyne, gentilmente cedidos pelo amigo Miguel Ângelo de Azevedo, mantenedor do Arquivo Nirez.

Coisas que o tempo levou.

luciano hortencio.

 

Por oportuno, colo aqui o link publicado por Eleuterio, sobre o tema.

http://astrilhasdavida.blogspot.com/2019/04/fernando-weyneloucuras-fernando-da.html

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora