João Gilberto e Edgar Gianullo

João Gilberto tem um perfil no Facebook. Fake, verdadeiro? Nunca vi dando uma informação errada. De vez em quando recebo mensagens dele, em resposta a algumas notas aqui do Blog.

Hoje indaguei do perfil sobre Jacó, o lendário violonista que João Gilberto menciona em gravações caseiras pré-Chega de Saudade – considerando-o o maior violonista brasileiro da época. No ano passado armamos uma discussão aqui especulando sobre a identidade do Jacó.

No aniversário do Carlos Lyra, na casa de um amigo, bossanovistas paulistas me informaram ser meu amigo Edgar Gianullo, dos conjuntos Edgar e os Tais e do 4×4, e que conheço desde os anos 1970, apresentado por nosso amigo comum, Nelsinho Risada.

Dia desses encontrei o Edgar numa caminhada na Avenida Sumaré e combinei gravar um depoimento dele.

Pois enviei uma mensagem ao perfil, indagando do Jacó. Primeiro, alegou problemas de vista, para a tela, e entendeu que eu perguntava de Gago – que não sei quem é. Mas me disse ser um rapaz que morreu novo.

Disse-lhe que perguntava de um violonista paulista, o Jacó. Respondeu-me que era um rapaz novinho na época, uns 18 anos, mas que tocava muito. Era a idade de Edgar na época, que foi influenciado por Garoto e influenciou a muitos, incluindo Toquinho.

Aí vão algumas peças dele, dos arquivos históricos do Loronix.

A última gravação é a conversa de João Gilberto, em 1957, falando do Jacó, de “vinte anos”. Na mosca.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora