Trinca de ases de ouro, por Aquiles Rique Reis

Trinca de ases de ouro

por Aquiles Rique Reis

Foi pleno de uma alegre expectativa que pus para rodar Dos Navegantes (Biscoito Fino), trabalho conjunto de Edu Lobo (voz), Romero Lubambo (violão e guitarra) e Mauro Senise (flautas e saxes) – todos experientes, virtuosos, talentosos –, produzido por Ana Luísa Marinho (mulher de Senise).

O CD abriga onze músicas de Edu Lobo, sendo uma inédita, e dez regravações, cujos arranjos originais, escritos pelos maestros Chiquinho de Moraes, Cristóvão Bastos e Gilson Peranzzetta, foram adaptados pela trinca de ouro.

E assim, com o reforço do contrabaixista Bruno Aguilar (em dez faixas), do percussionista Mingo Araújo (uma faixa) e a participação especial do arranjador e pianista Cristóvão Bastos (uma faixa), Lobo, Senise e Lubambo reforçam a sacada da hora: num momento de crise, unir forças é o caminho que os músicos vêm trilhando. Tocar e cantar junto finda sendo bom para eles e também para o público: os músicos pelo prazer de agregar talentos e fãs, o público pela chance de curtir um trabalho inédito.

Entende-se a dificuldade dos três ases para resumir em onze faixas o vasto repertório de Edu; bem como deve-se louvar a escolha final: onze músicas que privilegiam suas obras menos conhecidas, mas do mais fino e puro rigor musical. São duas em parceria com Cacaso, quatro com Chico Buarque, uma com Paulo César Pinheiro, uma com Gianfrancesco Guarnieri, uma com Capinan, uma com Ronaldo Bastos e uma apenas dele.

O CD abre com “A Morte de Zambi” (EL e Gianfrancesco Guarnieri). Somando contrabaixo ao violão e à flauta baixo, um quê de melancolia reina por Zambi. Edu canta. E bem. Seus graves, mais do que seus agudos, ainda estão redondos e afinados. Fascina o seu duo com o baixo, enquanto dobra a própria voz. A harmonia de Edu Lobo, interpretada por Lubambo, encanta. Volta a voz dobrada com o contrabaixo e a flauta baixo, ela que segue em frente, apoiada por violão e baixo. A sonoridade é sedutora.

Fechando a tampa, um instrumental inédito de Edu: “Noturna”. Piano (Cristóvão Bastos) e guitarra, junto com o sax soprano, iniciam o lindo tema. O soprano sola e o piano o acompanha. A guitarra improvisa, com piano e sax dando pinta. Suave, o sax sola, com o piano apoiando-o belamente. O piano traz para si o improviso, o baixo dá suporte. A seguir, primeiro o sax e depois a guitarra improvisam. O sax retoma a melodia. A guitarra se junta a ele, noutro duo. Sax, piano e guitarra conduzem o tema ao final… Meu Deus!

Concluindo, um trecho do que escrevi sobre o CD lançado por Edu Lobo em 2008: “Como um alfaiate, agulha e linha entre os dedos, o compositor costura o pano de fundo da sua emoção. É dessa harmonia que ele extrai a alma que estimula a criação. Sobre a cama macia, harmoniosa, Edu estende o lençol da melodia feita nota por nota. E assim, inventada a harmonia, criada a melodia, nasce sua música”.

A soma desse formidável talento de Edu, com o requinte de Mauro e o esmero de Romero, orgulha a música brasileira.

Aquiles Rique Reis, vocalista do MPB4

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora