Ao lado de Aécio, Paulinho “não passa no teste do bafômetro”

 O deputado Paulinho da Força (SDD-SP) comprou garrafas de Tequila Revolucion, para recepcionar o senador Aécio Neves (PSDB-SP) na festa do 1º de Maio, em São Paulo. Às 11h, já circulava com um copo na mão. Paulinho chegou a tomar também doses de pinga com conhaque. Foi o que informou a jornalista Vera Magalhães, que edita a coluna Painel, da Folha de S. Paulo.

Já “calibrado” e recalcado por ter tido uma votação pífia quando se candidatou a prefeito em 2012, indo para a oposição, o deputado Paulinho serviu de porta-voz de Aécio para a baixaria contra a presidenta Dilma e disse em seu discurso “Se fizer o que a presidente Dilma falou ontem, quem vai parar na Papuda é ela”. Um discurso que não “cola”. Nem os oposicionistas sóbrios colocam em dúvida a honestidade pessoal da presidenta. Falar que Dilma é desonesta, ninguém acredita. Já o deputado Paulinho, assim como Aécio, não tenho tanta certeza se tem tanta credibilidade no quesito honestidade.

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, comentou: “Isso é linguajar de quem está muito doido, fora do juízo. Esse deputado deve ter enchido a cara antes do ato”.

O deputado referiu-se ao pronunciamento em cadeia de TV pelo dia do trabalho, quando a presidenta disse: “Quero reafirmar o compromisso do meu governo no combate incessante e implacável à corrupção. Novos casos têm sido revelados por meio do trabalho da Polícia Federal e da Controladoria Geral da União, órgãos do governo federal. Sei que a exposição desses fatos causa indignação e revolta a todos, seja a sociedade, seja o governo, mas isso não vai nos inibir de apurar mais, denunciar mais e mostrar tudo à sociedade, e lutar para que todos os culpados sejam punidos com rigor. O que envergonha um país não é apurar, investigar e mostrar. O que pode envergonhar um país é não combater a corrupção, é varrer tudo para baixo do tapete”.

Detalhe: Paulinho responde a alguns processos e inquéritos no STF decorrente de operações da Polícia Federal. Talvez tenha vestido a carapuça do discurso de Dilma em si.

O fato é que o deputado Paulinho “não passou no teste do bafômetro” na hora de discursar, assim como o senador Aécio Neves há pouco tempo atrás teve o carro apreendido após uma balada na noite do Rio de Janeiro e se recursou a soprar o bafômetro.

http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2014/05/ao-lado-de-aecio-paulinho-nao-passa-no.html

1 comentário

  1. Paulo Pelego tem seu “dia de glória” – do Blog do Paulinho –

    Quem é Paulinho da Força?

    Formado pelo Senai em Inspeção de Qualidade, começou sua vida política como sindicalista na época da ditadura militar, atuando como militante do Partido Comunista do Brasil (PC do B).

    Em 1991, após a redemocratização, tornou-se secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo. Depois, se tornou presidente da instituição e, mais adiante, presidente da Força Sindical, organização que lhe rendeu o apelido pelo qual é conhecido: Paulinho da Força.

    Que beleza.

    Mas a Força Sindical sempre se caracterizou com uma espécie de genérico da CUT, porém sem seu princípio ativo, que era jamais se deixar cooptar por forças conservadoras. É uma espécie de central sindical coxinha. Não mexe com o patrão.

    Vimos a Força se aliar com Maluf, Pitta, Covas, Alckmin, Serra, enfim, tudo aquilo que jamis seria bom para o trabalhador.

    Vimos a Força não apoiar greves, deixando para a CUT o sacrifício, e depois usufruindo das conquistas. Uma central pelega.

    Paulinho sempre foi oportunista, não medindo até onde poderia ir seu caráter, para estar sempre onde o poder está.

    Foi assim que se elegeu deputado.

    E uma vez dentro do Congresso Nacional, flertou sistematicamente com o capital, em detrimento dos trabalhadores.

    Abandonou o histórico PDT de Leonel Brizola, fundando seu próprio partido político SDD, Solidariedade, nome que nos remete ao Solidarność, de Lech Walesa, que lutava contra o governo comunista da Polònia.

    Pois é, esse mesmo cidadão, que diz lutar pelos avanços da classe trabalhadora, comparece num palanque no 1º de maio, dia dos trabalhadores, juntamente com Aécio Neves, conhecido por suas recentes declarações em que defende a redução do salário mínimo e outras medidas impopulares, fazendo política eleitoreira da pior espécie, com grosserias e verborragia de quinta categoria.

    ”Todos os anos, nós convidamos todos os candidatos a presidente para o palco. Neste ano, só teve coragem o Aécio, que não mandou representante. Veio ele mesmo. Quer dizer, a Dilma também veio, mais feia que o diabo” (em alusão a um ator caracterizado com a Presidenta), anunciou. “Vocês viram a banana que jogaram no Daniel Alves? Quem merece uma banana é ela. Quem aí sabe fazer o gesto da banana? Vamos dar uma banana para a Dilma.”

    “O governo que deveria dar o exemplo está atolado na corrupção. Se fizer o que a presidente Dilma falou ontem, quem vai parar na Papuda é ela.”

    Mas quem deveria ir para a Papuda é ele.

    A Justiça Federal em 9 de março de 2011 condenou o deputado federal Paulinho da Força, ainda no PDT, por improbidade administrativa e irregularidades no uso de dinheiro público do Programa Banco da Terra, conforme noticiou ” O Estado de S.Paulo”. A sentença contra Paulinho o obriga a pagar multa de cerca de R$ 1 milhão. O deputado ainda pode recorrer da decisão.

    Na audiência de Graça Foster na Câmara, Fernando Francischini de seu partido, o SDD-PR disse que Paulinho da Força tinha R$ 298 mil em ações da Petrobras em 2008 e que, hoje, elas valem menos de R$ 60 mil. Porém, em sua declaração de rendimentos não consta esse dado, o que, se a Receita Federal e a Procuradoria Geral da União tiverem culhões, hão de investigar.

     Quem é Paulinho da Força para falar assim contra Dilma. enquanto Dilma estava no cárcere sendo torturada, onde estava Paulinho? Um militante (?) do PCdoB mais incógnito impossível.

    Sobre Aécio, sinceramente, fôsse ele seu avô, ou tivesse 1% de seu DNA, teria condenado essa atitude de Paulinho. Perdeu a oportunidade de sair de lá com uma imagem de estadista. Até por que, tenho certeza que com essa atitude sairia bem na foto das manchetes dos jornalões, seus cupinchas.

    Mas Aécio está longe disso. É incapaz disso. Não tem a mesma fineza política de Tancredo. Faz a política mais rampeira possível. Não lhe haveria escala negativa suficiente em um hipotético caratômetro (aparelho destinado a medir o caráter de uma pessoa).

    Eduardo Campos chegou mais tarde. Mas deve ter sido informado da baixaria. Preferiu não tocar no assunto, fingindo-se de morto. Perdeu uma grande oportunidade de mostrar a tal nova política, tão a gosto da Rede Sustentabilidade.

    Mas e as pessoas presentes?

    A maior parte certamente estava lá pelas apresentações musicais. Sempre foi assim no 1º de maio da Força Sindical. Essa central sindical nunca politizou ninguém.

    Alguns devem ter prestado alguma atenção aos discursos, e devem ter saído pensando: ”Ué, esses caras estão contra a mulher que botou comida na mesa dos meus parentes lá no sertão?”

    ”Tô fora!”

     http://bogdopaulinho.blogspot.com.br/2014/05/paulo-pelego-tem-seu-dia-de-gloria.html?view=classic 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome