Aras defende que Bolsonaro escolha como quer depor sobre interferência na PF

De acordo com parecer do PGR, Bolsonaro pode se explicar à PF por escrito ou até ficar em silêncio

Foto: Sérgio Lima/Poder360

Jornal GGN – O procurador-geral da República, Augusto Aras, apresentou parecer nesta quinta-feira, 2 de julho, para que Jair Bolsonaro (sem partido) escolha a forma que irá prestar depoimento no inquérito que apura sua suposta interferência política nos trabalhos da Polícia Federal.

Aras sugere que Bolsonaro escolha entre prestar depoimento por escrito, pessoalmente de acordo com sua disponibilidade de data e horário, ou de “exercer o direito constitucional de permanecer em silêncio”. 

O parecer é uma resposta ao Supremo Tribunal Federal (STF), a cargo do inquérito que tem como relator o ministro Celso de Mello. O STF pediu uma manifestação da procuradoria sobre o pedido da PF para ouvir Bolsonaro.

Para Aras, o Código de Processo Penal permite que o presidente, vice, presidentes da Câmara, do Senado e do STF escolham a oralidade nas oitivas. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Gilmar e Lewandowski reconhecem que Moro é parcial e interferiu na eleição

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome