Bia Kicis é confirmada presidente da CCJ da Câmara

A CCJ é a comissão mais importante por analisar a constitucionalidade das iniciativas e por ser parada obrigatória de quase todas as matérias

Foto: Erick Mota/Congresso em Foco

do Congresso em Foco

por Lauriberto Pompeu 

A deputada Bia Kicis (PSL-DF) será a presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. A definição aconteceu nesta terça-feira (9) durante reunião entre o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), e líderes partidários. A previsão é que a instalação das comissões da Câmara aconteça nesta quarta-feira (10).

A indicação para o comando da CCJ coube ao PSL, o maior partido da Casa. A CCJ é a comissão mais importante por analisar a constitucionalidade das iniciativas e por ser parada obrigatória de quase todas as matérias.

A Comissão de Relações Exteriores ficará com o deputado Aécio Neves (PSDB-MG). A deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO) presidirá a Comissão de Educação e o  deputado Doutor Luizinho (PP-RJ) presidirá a de Seguridade Social. As informações foram confirmadas ao Congresso em Foco pelo líder do DEM, deputado Efraim Filho (PB).

Bia Kicis já havia sido primeira vice-presidente da CCJ. O último presidente foi Felipe Francischini (PSL-PR). Em 2020 não houve atividade de nenhuma comissão por conta da pandemia de covid-19.

A deputada compõe a chamada ala ideológica do governo federal e é uma das aliadas mais fiéis ao presidente Jair Bolsonaro. Dados do Radar do Congresso, plataforma de dados do Congresso em Foco, apontam que Bia acompanhou o governo em 97% das votações nominais da Câmara.

Ela defende em suas redes sociais o uso de medicamentos ineficazes contra o novo coronavírus e é contrária ao uso de máscaras e do isolamento social.

A indicação de Bia para a presidência da CCJ é parte de um acordo com o presidente do PSL, Luciano Bivar (PE). O deputado é indicado para ficar com a primeira secretaria da Câmara. A combinação prevê ainda que Major Vitor Hugo (PSL-GO) passe a liderar o partido na Casa.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora