Bolsonaristas atacam MBL após prisão de membros do movimento 

Hashtag #DerreteMBL foi levantada nesta manhã em perfis de apoiadores do governo. Eduardo Bolsonaro gravou vídeo atacando grupo 

Reprodução Youtube

Jornal GGN  – Empresários ligados ao Movimento Brasil Livre (MBL) foram presos nesta sexta-feira, 10 de julho, em São Paulo, durante operação que investiga um esquema milionário de lavagem de dinheiro. Em resposta, bolsonaristas criaram a hashtag #DerreteMBL para provocar o grupo. 

Um dos detidos foi Carlos Augusto de Moraes Afonso, conhecido pelo pseudônimo Luciano Ayan nas redes sociais. Ele é apontado como um dos gurus do MBL, apesar de não ter relação formal com o movimento. 

Apesar de ter sido um dos grandes ativos na campanha pelo impeachment da presidente Dilma Roussef e chegar apoiar a candidatura de Jair Bolsonaro (sem partido), o grupo hoje é criticado pelo clã Bolsonaro. 

O deputado federal, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), não perdeu tempo e  gravou um vídeo para atacar o grupo e outros parlamentares, que já apoiaram o governo, mas depois mudaram suas narrativas

O MBL mudou de lado e deixou de apoiar o governo, após atritos no Congresso Nacional. O líder e deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) chegou a protocolar um pedido de impeachment de Bolsonaro.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Atuação pró-bolsonaristas já incomoda Congresso e Supremo

4 comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome